='cap-left'/>

Alana Clayton - A amante perfeita

Londres, 1820

A responsabilidade pelo sumiço de três das amantes do conde Ranson Baldwin tem pouco a ver com o objetivo de Lavinia de ajudar mulheres a encontrar uma vida digna, e tudo a ver com vingança. Um ninho de amor vazio é o que aquele libertino infiel merece, depois de partir o coração de sua irmã. Pelo menos, é assim que Lavinia pensa, até ser inesperadamente beijada por ele...

Para cumprir sua missão de desmascarar o suspeito de liderar uma quadrilha de tráfico de mulheres, Ranson precisa de uma mulher que se faça passar por sua amante para que ele possa se infiltrar nas festas exclusivas oferecidas por Hayley. No entanto, enquanto procura a amante perfeita, Ranson fica conhecendo a mulher dos seus sonhos. Lavinia é intrigante, encantadora... e estranhamente hostil. Ele quer muito conquistá-la, mas a honra o impele a levar um malfeitor à Justiça, mesmo que isso lhe custe perder a única mulher que já amou...

Bem, o livro é meio, meio... meio sei lá.
Não empolgou. O mocinho era para ser o salvador da pátria como consta no resume, mas a autora não fez com que ele ficasse com uma personalidade assim, achei ele meio fraquinho. 
Agora, já a mocinha, essa é um pouco melhor. Mas, como não se faz livro só de mocinha e como o enredo prometia e autora para mim conseguiu estragar, acho que ele merece um nota 5.

Sabe, ela tentou chegar perto da Celest Bradley, mas, bem, não conseguiu. Ahhhh, e  dei 5 por considerar que é uma Julia, provavelmente, mutilada.

Comentários
4 Comentários

4 comentários:

  1. Oiii! Passa lá no K Romances (http://www.k-romances.blogspot.com/) que tem um selinho para Você.
    Também te indiquei para ganha o selo Veja Blog e participar da maior lista dos melhores blogs e sites do Brasil. Boa sorte seu blog merece! Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Gostei da resenha, a sua sugestão está anotada, espero le-lo em breve

    ResponderExcluir
  3. Gosto de livros historicos...quando li essa resenha amei

    ResponderExcluir