='cap-left'/>

Wendy Burge - Vestígios do Passado - CHE 197


Esse livro é lindo, lindo, lindo, mil vezes lindo!
Sabem aquele livro que lemos uma única vez e fica marcado de verdade, e a cada releitura ele só acrescenta mais?
Vestígios do Passado é repleto de amor, ternura e paixão, ainda que não seja um livro sensual, absolutamente. E isso não faz a menor falta, porque o amor desse casal é tão imenso e intenso, que nos prende de tal forma que sofremos com eles durante toda a leitura, que acreditem... é carregada de emoção!







Vestígios do Passado
Classico Historico Especial 197 ( Love me Again )
Wendy Burge.

Inglaterra, 1814
Os pecados do passado...
Varek von Vischering tinha apenas um único dever: providenciar um herdeiro para as terras da família. Agora, com problemas políticos ameaçando seu reinado e os conselheiros exigindo que se divorcie, ele teme pela segurança de sua esposa, Christina.
Um amor nunca esquecido...
Christina nunca seria capaz de assistir seu amado marido tomar uma outra mulher. Assim, ela foge e encontra asilo nos braços de um nobre britânico. Mas tudo muda quando ela o acompanha a um congresso na Áustria, onde o destino a colocará frente a frente com o passado e com o ex-marido, que ela jamais esquecera.


Esse casal se ama demais... Christina conhece o Varek ainda quando uma criança desengonçada, e o seguia por toda a parte. Essa amizade foi se transformando no mais puro sentimento de amor. Eles deveriam se casar apenas quando ela tivesse maioridade, mas eles se amavam tanto que ela engravidou na adolescência, culminando num casamento adiantado e no primeiro aborto de uma série de outros, consecutivos e inexplicáveis.
O fato da duquesa não conseguir levar uma gravidez até o fim não era bom augúrio, porque era obrigação e dever de Varek prover um herdeiro ao seu ducado, que para piorar estava às votas com ameaças de uma guerra civil.
Após o sétimo aborto consecutivo, mesmo com o coração destruído por ser forçado a tomar uma segunda esposa para que possa ter o tal herdeiro, Varek implora para que Cristina o espere, dizendo que depois de ter um filho, ele voltaria para ela... Claro que ela não aceita a sugestão, que mulher aceitaria? Então ela foge de Varek, do ducado, do país, dos sentimentos, de seus sonhos, de tudo! Sergei, fiel amigo do casal, tornou-se seu protetor e acompanhou-a naquela fuga sem rumo.
Varek fica desesperado à procura da esposa, mas nada encontra.


Anos depois, Christina é volta ao ducado, em companhia de seu marido...
SIM! Ela se casou, mas não a culpem! No livro é lindamente explicado como ela foi levada a isso, e a culpa que ela sentia por não amar realmente ao marido:

“— Sei que nunca amarei outro homem tanto quanto amei Varek. De certa forma, ele está comigo. Quando aprecio as estrelas, quando saboreio um bom vinho, sempre que olho para Eddie... Ele está nas árvores, nas flores, na neve, na luz do fogo. Simplesmente Varek é parte de mim. E minha maior fraqueza.”

Rever o ex-marido e ainda seu grande amor foi um choque sem tamanho... e não só para ela! Os sentimentos se exaltam e ao amor vem à tona, tendo que ser fortemente reprimido. Leiam que trecho magnífico, logo no início, com o Varek cheio de saudades e ciúmes de Christina:

“— Eu sou seu marido. Diga-me que não vê meu rosto quando ele a possui. Com que freqüência você precisa se convencer de que o ama? Que está feliz nesse seu mundinho seguro e entediante? Diga-me, cotovia, a quem está se es forçando para convencer, a mim, ou a você própria?”

Varek fica verdadeiramente alucinado quando revê a esposa, e os dois invariavelmente acabam se encontrando em inúmeras situações. Christina fica sabendo que agora ele é um viúvo, e teve uma filha. A linda e meiga garotinha que tem o nome da única amada do pai... (ai, nem tem como falar... praticamente “todos” os trechos do livro são incríveis e emocionantes, e se eu for destacar todos, minha resenha vai longe, ainda! (risos)


"Christina parecia haver perdido a fala. Enxergava apenas a menina. Oh, Deus, a filha dele! A filha que não fora capaz de lhe dar. Impossível entender o misto de sentimentos que a invadiu. O ar lhe faltava, um suor frio cobria-lhe a testa e o chão ameaçava desaparecer sob seus pés. Ali estava a filha de Varek com outra mulher. Aquela criança angelical deve ria ter nascido de suas entranhas.
Quase em transe, ajoelhou-se diante da garotinha. Ela era igualzinha ao pai! Os mesmos olhos intensamente azuis, en feitados por cílios espessos. Devagar, Christina estendeu a mão e tocou os cabelos loiríssimos e sedosos. Comovida, sorriu para a criança, que continuava agarrada à mão do pai.
— Olá. Sou Christina.
Percebendo a timidez da filha, que levara um dedo à boca, Varek ajoelhou-se também.
— Diga "olá" para a linda dama, Tina.
Obediente, a menininha tirou o dedo da boca, repetiu "olá" e fez uma reverência encantadora.”
Mergulhando nos olhos do arquiduque, Christina sentiu-se presa de uma emoção desmesurada.
— Tina? — indagou baixinho, não lhe escapando a se melhança de seus nomes.
— Sim. Tina Marie.
E seu segundo nome era Marie. Para não cair em prantos, Christina fechou os olhos com força. Ah, Varek, meu grande amor, ela pensou, a alma dilacerada. Mesmo durante todos aqueles anos de separação, ele fizera questão de gritar ao mundo quem, em seu coração, era a verdadeira mãe de sua filha.”

Mas enfim... Christina se vê num impasse: E agora? Que fazer? Seu passado voltava a toda carga para atormentá-la e lembrá-la de um amor que ela nunca deixou de sentir, mas ela estava casada com Robert! Estava casada e isso era um fato irremediável, e ela sentia muito carinho e gratidão pelo lorde que era um bom marido e pai, e...
SIM! Ela teve um filho perfeito e saudável! ... E escrevendo essa resenha estou me arrepiando apenas por recordar do trecho em que narra o nascimento do filho dela; mas o trecho em que Varek sabe a criança também é de extrema sensibilidade...Aff ! Estou me arrepiando de novo! (risos) Vou ter que colocar esse bendito trecho aqui, ou não terei paz:


"Christina fechou os olhos, a escuridão engolfando-a. Não tinha coragem. Não podia golpeá-lo de forma tão cruel. To davia, era como se Varek suspeitasse de seu segredo, pois só existia uma coisa capaz de esmagar as esperanças de um futuro juntos. Mas antes que dissesse algo, ou abrisse os olhos, ele a tomou nos braços rudemente e a sacudiu, as mãos trêmulas e a voz rouca traindo o medo que o consumia.

— Abra os olhos, maldição! Olhe nos meus olhos quando me contar o que é!

Cega pelas lágrimas, Christina obedeceu.

— Eu tenho um filho. Robert e eu temos um filho. — As palavras, ditas num sussurro, ecoaram pelo ar com a força de um grito angustiado.

Arfante, os olhos a ponto de saltar das órbitas, o arquiduque balançou a cabeça, sem querer acreditar no que aca bara de ouvir.

— Não! — ele gemeu, o coração sangrando. — Como você pôde fazer isso comigo?

— Sinto muito — Christina soluçou.

— Não! — Varek gritou, empurrando-a para longe como se não suportasse mais tocá-la.

Vendo-o fitá-la com um horror do qual jamais o imagi nara capaz, ela cambaleou sob o peso do fracasso de não ter podido lhe dar o filho que ambos tanto haviam desejado. Chorando convulsivamente, estendeu-lhe ambas as mãos, numa súplica.

Praguejando, Varek deu-lhe as costas e saiu da sala, morto por dentro.

Ao entrar em seus aposentos, Varek dispensou o criado que o aguardava e bateu a porta com tamanha violência que as dobradiças estremeceram.

Ainda com a respiração alterada, fechou os olhos, o quar to parecendo girar.

Um filho. Ela tinha um filho.

Atordoado, atirou-se numa poltrona, apoiou a cabeça nas mãos e apertou as têmporas como se quisesse esmagar a terrível verdade impressa em sua mente.

Christina havia dado a Basingstoke o filho pelo qual ha viam rezado inutilmente durante dez anos! Ela abençoara aquele estranho com a única coisa que teria salvado o casa mento dos dois.

Em prantos, levantou-se e se arrastou até a cama. Pela primeira vez em seis anos de uma existência miserável e solitária, não conseguiu conter as lágrimas.

E mais desesperador ainda era constatar que sua alma, embora dilacerada, continuava a pertencer à mulher que o traíra não somente uma, mas duas vezes."



Apenas para terminar: “Vestígios do Passado” deveria ser leitura obrigatória para todos os amantes de livros de romances...
Para quem ainda não faz parte desse universo de leitores, eu os desafio a ler esse livro, e logo assinar carteirinha de fã de romances, ou não me chamo Sabrina!
Mas atentem para uma dica: deixem a postos umas duas caixas de lenços, porque esse livro faz chorar, e muito!
Mais que recomendado, nota mais que mil!

Beijos no



Comentários
25 Comentários

25 comentários:

  1. Eu quero ler, adorei sua resenha, Sa. Me recusei a ler os trechos que vc colocou para poder ler na íntegra. Aff. Romântica eu? Nem um pouco. kkkkkkkkkkkkkk... Até parece. Me envia o ebook? nickinha.18@hotmail.com

    Mil bjs e parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
  2. Ei, Nick!!
    pode ficar relax q esses trechos nãosão spoiller não viu?????????
    Estão logo no "iniciozinho"...
    Esse livro ´pe realmente lindo demais e acontece muitaaaaaaa coisa nele!!!!

    Pode deixar que vou mandar pra vc sim... manhã, ok? Pro caso de mais alguém querer, eu mando tdo junto ! ^_^

    bjussssss

    ResponderExcluir
  3. Ah não! Não acredito nisso! Que maldade!!!!!
    Agora eu quero o resto! Pode me contar o final! Que maldade fazer uma resenha assim tão boa e me deixar aqui me roendo de curiosidade!!!!

    ResponderExcluir
  4. Nossa, eu li esse livro e chorei horrores!
    Concordo que não pode passar batido no "curriculo literário" das leitoras compulsivas...
    Acho que foi o The Best na minha opinião, o livro que marcou, sabe como é Bina? Outro que sempre comento tbm, é o: A Bela e o Barão da Déborah Hale... Curti muito!!!

    Bina, amei a maneira como expôs o livro aqui...
    Parabéns linda!
    Bjs no Core!
    Flavita

    ResponderExcluir
  5. Sabrina;

    Boa resenha, vontade de ler...afff.....rs

    Bjos =)

    ResponderExcluir
  6. Adorei a resenha, ficou uma graça *-* Aparentemente é um livro emocionante!
    xxx
    Ana

    ResponderExcluir
  7. Poxa Sa,

    Vc me convenceu!! Eu queroooo

    Que resenha perfeita, amei, e olha q vc sabe que não entendo do estilo rsrsrs

    Manda a lu comprar e me emprestar :P

    bjoo

    ResponderExcluir
  8. Wooooow! Adorei a história.
    É a minha cara. Amo romances históricas com muito amor e drama.
    Já esta na lista.
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Não sou suspeita para falar desse livro, já li mais de 5 vezes..kkk
    Bjos

    ResponderExcluir
  10. Ok, pra começar: Varek é marca de Água Sanitária! Putz, difícil ler sem rir, mano! Depois, eu fico babando pelas resenha maravilhosas que vcs postam, mas num adianta! CH não vai, capice? Mas to sempre de olho, babies! Bjins.

    ResponderExcluir
  11. nem tenho coragem de ler.
    Lu muito sensível.
    Drama me faz chorar, rsrs

    ResponderExcluir
  12. Nossa to indo correndo baixar
    ou senao comprarei em algum sebo...
    *ansiedade*
    esse livro para ser INESQUECÍVEL
    vlw pela dica
    bjs nati

    ResponderExcluir
  13. Ah! Morri!!!

    Que resenha mais lindaaaaa!

    Estou arrepiada aqui. Muito mesmo.

    Parabéns, Sa.

    Beijo, meninas.

    Bianca

    ResponderExcluir
  14. Esse livro me fez derramar rios de lágrimas....

    Ele é introcavel...

    Adorooooo !!!

    Bjos,

    ResponderExcluir
  15. Já tô correndo no Skoob marcar ele como desejado! Com uma resenha dessas dá vontade comprar agora!!!

    ResponderExcluir
  16. Quando eu vi o nome do livro no twitter pensei que fosse um contemporâneo que eu li e amei *-*
    Ai Sa, que lindo me emocionei só de ler sua resenha, deve ser mesmo maravilhoso.
    (Só não chorei porque me segurei, chatonildos na área ¬¬)
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Nossa, eu estremeci só com sua resenha
    imagina lendo o livro Lari?

    Quero muito ler!!

    ResponderExcluir
  18. aiii... mais um livro para a lista... amaei a resenha! e fiquei muito curiosa quanto ao livro!

    ResponderExcluir
  19. Adorei a Resenha!!! Eu quero o ebook,tb.você pode mandar pra mim? =D
    julianaidesouza@gmail.com

    ResponderExcluir
  20. Stéfaniie Paixão27 de outubro de 2010 20:47

    aaain , o livro mais liindo que já li !
    choreii riios , esse livro é liindo !
    Amo <3

    ResponderExcluir
  21. alquém pode enviar esse livro para meu e mail por favor estou doida pra ler meu e mail é flaviaberaldo2008@hotmail.com

    ResponderExcluir
  22. Nossa já li esse livro. Muuuuuuito lindo. Intenso. Forte. TUDO. Um amor nunca esquecido. Aquele que fora escrito desde o nascer, um verdadeiro encontro de almas gemeas. Muita emoção desde o começo ao fim, sabe aqueles livros em que te prendem desde o começo, pois é, é este livro. Logo no inicio você sente o amor e a dor dos personagens... vc deseja chegar ao fim, reza pra tudo dar certo e... se emociona. A dor pela perda do amado(ª) é tão forte que vc sente a dor e frustração junto com eles. E o desenrolar do livro quando eles se encontram e reencontram nas passagens da narração não deixa em nada a desejar, emoção em cada virgula. Excelente.
    mara_francezinha@hotmail.com

    ResponderExcluir
  23. odiei o final ¬¬ detesto esse livro!!! tanto sofrimento pra nada e os viloes ainda vencem no final ... affff

    ResponderExcluir
  24. odiei esse livro!! desculpa ae mas eu detesto finais injustos ... odiei msmo o final

    ResponderExcluir
  25. Fiquei curiosa para ler o livro. Gostaria recebê-lo.
    vitoriamagally@hotmail.com

    ResponderExcluir