='cap-left'/>

Cheryl St. John - Matrimônio Atormentado




Era una mujer atormentada por los recuerdos
Amy Shelby había sufrido todo lo que una mujer podía soportar. Hacía ya un año que había enterrado su corazón junto a la tumba de su hijo. Después de aquello, ni siquiera su marido, Jesse, que se enfrentaba al mismo dolor, había podido despertar en ella la menor esperanza.
Jesse Shelby tenía dos pérdidas que lamentar: la de su hijo y la de su esposa. Desde la muerte del pequeño, Amy se había encerrado en su dolor y nada ni nadie había podido traspasar el muro que había construido a su alrededor. Pero quizá hubiera una manera de volver a recuperar el amor perdido...



Mas um livro que li em espanhol. Felizmente em espanhol eu leio como em português, infelizmente não posso dizer o mesmo quanto ao inglês.

O  livro, bem, eu sou fã da Cheryl St. John, e ao ler esse resumo fui obrigada a ler e não me decepcionei. O livro é LINDO.

O Jesse e a Amy perderam o filho, Tim,  de três anos, e um ano depois disso o casamento estava deteriorado e o nosso mocinho quase um alcoólatra e a mocinha bem, não tinha aceitado a morte do guri e se afastou de todos, se isolando do mundo e cultivando sua dor.
Sabem, a Cheryl descreve tão bem as emoções de ambos, a impotência e raiva do Jesse e o medo e confusão da Amy, que emociona pela simplicidade com que ela escreve, os personagens são profundos, humanos.

Tudo começa a mudar quando o sofrido sobrinho do Jesse chega... mas até as coisas melhorarem demora. A dor é tão profunda que por vezes me vi quase chorando de pena da Amy e ainda mais do Jesse, que coitado, não conseguia ultrapassar aquela barreira.

É linda a cena em que o Jesse descobre que a Amy está grávida de novo  e ela nega  a existência do filho, não por ser má, mas por emocionalmente ainda não ter superado a morte do Tim, e ele, bem, fica com pena da pobra mulher que ainda sente e sofre.
Linda a cena onde finalmente ela chora e ele a consola. O livro em si é de uma sensibilidade incrível, para aquelas que  conseguem ler em outra língua, recomendo muito esse livro. E, para aquelas que não, torçam para ser publicado e não mutilado.


Comentários
2 Comentários

2 comentários: