='cap-left'/>

Susan Wiggs - De volta para casa

Sabem quando lemos algo e não temos nenhuma opinião formada? Algo tão lindamente escrito e ao mesmo tempo com um enredo complicado, repleto de atitudes condenáveis? Que torna difícil conseguir extravasar os pensamentos? Aconteceu algo semelhante comigo, ao ler “De volta para casa” ...
Susan Wiggs é uma velha conhecida no Libros di Amore, conheçam/releiam as resenhas de seus outros livros clicando no título: “De passagem por paraíso” ; “Mesa para cinco”. Quem sabe ao lerem as outras resenhas poderão me entender melhor: Nelas, exaltamos essa autora por sua profundidade. Não que “De volta para casa” não seja igualmente profundo, mas a trama aborda algumas atitudes que são reprovadas por grande parte da sociedade, inclusive por mim, e me deixou um “q” a desejar. Melhor dizendo, um vazio repleto de sentimentos...





De volta para casa
Susan Wiggs




Em sua carreira como fotojornalista, a aventureira Jessie Ryder sempre viu o mundo através das lentes de sua câmera. Contudo, jamais viajou longe o suficiente para escapar de um fato doloroso que a vem assombrando ao longo dos últimos dezesseis anos: o dia em que deu sua filha recém-nascida para adoção. Agora, em meio a uma crise que alterará sua vida para sempre, Jessie decide colar os cacos de seu coração partido e seguir em busca de Lila, mesmo que isso signifique abalar o mundo de sua mãe adotiva... sua própria irmã, Luz. De Volta para Casa, o novo romance de Susan Wiggs após o sucesso de Mesa para Cinco, apresenta uma comovente trama sobre a vida em família, que faz com que o leitor reflita sobre os recomeços que a vida oferece e o imenso poder curativo do amor. Como um tornado irrompendo na vida supostamente perfeita da irmã, Jessie volta à sua cidade natal, no Texas, com um pedido avassalador: quer contar a verdade à filha. Ao mesmo tempo em que Luz e o marido se esforçam para lidar com os efeitos que o retorno de Jessie possa surtir na rebelde Lila, seu casamento, aparentemente sólido, vacila. Antigos segredos são expostos. Então, exatamente quando Jessie acerta as contas com o passado, a ironia agridoce do destino entra em ação. Jessie encontra Dusty Matlock, um jovem pai que sobreviveu a uma perda devastadora, e começa a ver surgir as possibilidades de esperança que se escondem nas mais terríveis tragédias.


Luz e Jessie, duas irmãs que viveram com uma mãe totalmente omissa.


Ao mesmo tempo em se unem e conseguem superar, se tornam mulheres de personalidade totalmente distintas. A primeira, Luz, protetora e carinhosa, chegando a ser controladora. A segunda, Jessie, inconseqüente e incapaz de tentar solucionar problemas. E isso é demonstrado pela jovem Jessie, ao engravidar.


Imaginem... ela TINHA condições financeiras de cuidar da filha, desculpa normalmente batida, mas revolve deixar para a irmã a filha e sumir no mundo! Isso. Sumir. Largar. Deixar a filha com a irmã e ir para a Austrália e dezesseis anos depois, com problemas, resolve voltar e afim de encontrar conhecer a “sobrinha”, Dizendo querer reconhecê-la como filha.
O choque na vida de Luz é enorme, pois  por dezesseis anos foi a mãe da sobrinha e do nada Jessie aparece mexendo com suas estruturas psicológicas. E apesar, de haver uma motivação criativa e verdadeira para a volta de Jessie, não há como não classificá-la de “totalmente egoísta e totalmente sem noção.”


Pessoas merecem segundas chances, merecem tentar concertar os erros e no decorrer das páginas fiquei na expectativa que houvesse uma justificativa que convincente, que conseguisse romper a antipatia criada pela personagem.


...Sim, ela sofre, mas acho que deveria sofrer muito mais. Não sou mãe, mesmo assim me pergunto “Quem poderia fazer isso? Que tipo de pessoa é?” Ok, na vida real são tantas e tantas pessoas que comentem a mesma atitude... Por esse lado, o livro trata da realidade, não o mundo cor-de-rosa nos romances.


Não há como saber se a autora queria redimir Jessie, justificando seus atos ou deixando o leitor com essa gama de sentimentos contraditórios. E não se enganem com meus comentários, pois o livro é bom, mexe com nossos sentimentos e é preferível a raiva e a descrença aos personagens do que a indiferença. Se o livro souber proporcionar algum sentimento é sinal que alguma mensagem foi repassada. Indiferente da vontade do emissor.


Houve um pequeno e pouco destacado romance da Jessie com um vizinho, pois o livro é centrado na vida das duas irmãs.
É um livro voltado a descoberta... Perdão, recomeço, família e amor em todos os sentidos. Um livro que emociona. Criativo, com algumas pitadas de humor, mas acima de tudo demonstra que nem tudo é perfeito, mas que podemos tornar as coisas o mais perto disto.

Comentários
18 Comentários

18 comentários:

  1. Ei Lari,
    O assunto é polêmico mas achei interessante, sua resenha mesmo não tendo gostado de muita coisa aumenta a vontade de ler rsrs

    bj

    ResponderExcluir
  2. Eu prefiro a realidade, mas essa mãe desnaturada parece bem irritante ... se bem que se o livro irritou é por que atingiu como você disse.

    Ótima resenha Lari!

    ResponderExcluir
  3. Adorei!!!
    Sou louca por livros que tem como assunto o drama familiar, sempre me emociono muito... Nunca tinha ouvido falar desse livro, mas de cara já adorei!
    Então é isso, beijãooo

    ResponderExcluir
  4. Se o livro souber proporcionar algum sentimento é sinal que alguma mensagem foi repassada.
    Muito bom isso!!!
    O livro parece ser um jogo de contradições, interessante!
    Saudade de vc Lari, no chat!
    beijão meninas!

    ResponderExcluir
  5. É um tema super polémico, não acho que ela tinha o direito dfe voltar e revirar a vida alheia, se ela abandonou a filha, perdeu todo o direito de reivindicar alguma coisa, acho que é puro egoismo, mas nem vou ler esse livro para não querer matar outro personagem com as minhas mãos..kkk
    Bjos

    ResponderExcluir
  6. Mesmo você tendo dito que não gostou tanto, por causa do assunto - eu fiquei morrendo de vontade de ler o livro ^^

    ResponderExcluir
  7. Eu estava com este livro na minha lista de desejados, mas acho que vou colocá-lo no final da fila. Afinal tenho tantos desejados...rsrs.
    Obrigada pela ótima resenha.
    Bjss

    ResponderExcluir
  8. Lari se superou nessa resenha rsrrs
    Parecia até que já estava lendo o livro.
    Gostei muito. Leitura de história de vida? Muito me atrai.
    Resenha gostosa de ser ler.
    Lari, vc descreveu com um olhar de leitora e crítica literária mesmo!
    Parabéns.

    Beijos,
    saudades.

    ResponderExcluir
  9. Gostei da polêmica do livro! Não são minhas histórias preferidas, mas parece ser interessante!

    ResponderExcluir
  10. Lari revoltada! Adoooooro! Muito interressante. Bjs.

    ResponderExcluir
  11. Oi Lari

    Tem selinho no meu blog para voce! Não sei se voce gosta,mas ... saiba que eu adoro o seu blog viu!!

    =*

    http://dlivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Lari, eu sou mãe e te digo: existe ex-marido, ex-amante, ex-amigo, ex-patrão, ex-emprego... mas não existe ex-filho. Filho é pedaço da gente, pedaço vital. Não posso imaginar uma situação dessas... nem só da mãe doida que larga e volta depois... mas e a cabeça de que criou a criança como filha???? ESSA é a mãe!
    BJ

    ResponderExcluir
  13. SUSAN WIGGS...
    NOSSA, TÔ AMANDO OS LIVROS DESSA AUTORA!!!
    nÃO TEM COMO NÃO SENTIR SOLIDARIEDADE PELA LUZ,
    IMAGINO COMO DEVE SER ALGO ASSIM...
    NEM LI E JÁ PEGUEI ANTIPATIA PELA MÃE Q LARGOU A FILHA.
    ACONTECE DIRETO, SEMPRE OUVINMOS RELATOS,
    MAS NÃO IMAGINO QUE MOTIVOS QUE POSSA JUSTIFICAR ALGO ASSIM!
    ÓTIMA RESENNHA!
    BJUS...

    ResponderExcluir
  14. Oi Lari!
    Tenho muita curiosidade sobre Susan Wiggs. Comprei um livro dela essa semana, vamos ver se é tudo que estou esperando. Tenho até medo. kk
    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Adoro estórias desse tipo, fiquei mt interessada em ler esse livro e nunca ouvi falar nele. Por isso adoro esse blog pq eu sempre fico sabendo sobre livros maravilhosos, ótimas dicas!
    bjs

    ResponderExcluir
  16. Você me mata de rir com essa sinceridade Lariane.
    Esse livro parece ser bem chatinho.
    =*

    ResponderExcluir
  17. Gostei da sua resenha Lari, mas o livro não me interessou UAHUAS ;)
    beijo :D

    ResponderExcluir
  18. Nunca li nenhum livro dessa autora.. já li outras resenha sobre esse livro, e ele está na minha lista desde então, mas até hj ainda não tive oportunidade de ler... ainda quero fazer isso, para ver o que vou achar, se tbm vou sentir essas emoções conflitantes, rs

    Ótima resenha! ;)

    ResponderExcluir