='cap-left'/>

Dorothy Koomson - A Filha da Minha Melhor Amiga


Início que promete, desenvolvimento que emociona. Mas, no final sentimento meia-boca em relação ao livro.

No quesito emoção é um prato cheio, mas fui do choro a vontade de jogar o livro pela janela... Sério. Se você detesta mocinhas indecisas e medrosas, corra desse livro!

 OK... Pelo enredo, proposto pela autora, era nítida a necessidade desses sentimentos, mas em relação à Tegan, a pequena órfã. E não em relação à vida amorosa da protagonista adulta.

Já disse que detesto essa coisa de “hoje amo fulano, amanhã beltrano e enquanto isso como cicrano”? Pois bem, detesto! Tem que ser muito bem fundamento para que eu admita...  Não digo pela atração física, pegação, volúpia. Afinal... creio no velho lema “pegando os errados, até achar o certo”, o que eu não gosto é de pessoas ambíguas em relação aos sentimentos, pelo menos em livros.
  
*E você? Ahhh, conta aê. Pode me chamar de antiquada e chata.

Quanto à história. Ela prometeu, mas só foi boa em partes.

Kamryn acorda belo dia preparada para comemorar seus 32 anos de idade. Feliz, planejando uma noite magnífica, recebe do correio vários cartões. Só não esperava receber a carta de uma antiga amiga, Adele, pedindo para ir visitá-la no hospital. Afinal, dois anos antes desse pedido, ela descobrira que Adele e o Nate, noivo de Ryn na época, a traíram numa noite de paixão anos antes, quando o casal de noivos já estavam juntos. E dessa noite de traição, a pequena Tegan nasceu.

Indecisa e mesmo com raiva, ela vai até o hospital... É quando Kamryn descobre que Adele está morrendo de leucemia e pede para que ela cuide da menina de cinco anos.

Raiva, medo e insegurança permeiam a cabeça de Kamryn.

Como assim? Cuidar da filha de sua melhor amiga e do noivo traíra?  

Como dar conta dessa situação? Como superar seus sentimentos em prol da pequena?
 E são essas páginas do início que cativam.

Uma mulher que nunca quis ter filhos se vê cuidando de uma menina traumatizada pela morte da mãe.

Emocionante...

E para emocionar ainda mais, a autora consegue transmitir todos os sentimentos: fluência enorme e escrita recheada de percepções tão reais das emoções humanas...

Chorei. Chorei.

Mas onde está o meia-boca?

Bem, depois da autora muito bem explorar os dramas das duas protagonistas, Eis que o amor surge na forma do novo chefe dela, o Luke. A princípio ele só se interessa pela pequena, pois pensa que ela é uma mãe relapsa quando vai visitá-la, e ele e a Tegan se encantam... Ele vai visitá-la direto, as conversas acontecem, e os dois adultos acabam se relacionando.

Achei muito inverossímil e o romance dos dois não me convenceu.

Num romance repleto de realidade e sentimentos fortes, aparece uma trama mal elaborada e sem sentido, vocês tem que concordar! “Como assim? Um adulto ir visitar uma criança direto?” E ficou claro que ele não tinha interesse por KamRyn, chegando a afirmar que ela tinha um sorriso bonito, mas era gordinha.

Para piorar o defeito no quesito romance, o ex-noivo aparece e mexe com a cabeça dela. Em muitos momentos, ficou claro que o Luke era conveniente por ajudá-la a superar as dificuldades e não um grande amor, que ela ainda pensava, e muito, no ex. 

E se o relacionamento Tegan e Kanryn continuasse sendo o foco, não levaria em consideração essa observação.

Mas a autora fez o resto do livro sobre as indecisões da Kanryn, sobre os traumas... Ficou maçante. Uma pena...

Algo que era tão emocionante, se tornou chato.
Sintetizando, eu peço para vocês lerem as cem primeiras páginas para se debulhar em lágrimas. Mas o resto... bem... 


Sinopse: Kamryn Matika é uma jovem executiva de marketing independente e bem-sucedida, no entanto, sob sua aparente felicidade, ela esconde a dor de ter sido traída. Adele Brannon, mãe da doce Tegan, enfrenta o momento mais trágico de sua vida, o de aceitar a morte e planejar o futuro de sua filha, ao mesmo tempo que convive com a culpa de ter magoado alguém muito especial. No passado, Kamryn e Adele foram inseparáveis, melhores amigas, até que uma atitude leviana de Adele e Nate, o noivo de Kam, foi revelada, causando o rompimento tanto dos noivos, quanto das duas amigas. Alguns anos mais tarde, porém, certas barreiras precisam ser rompidas, em nome do



amor e do bem-estar de uma criança, Tegan. Kam perceberá, definitivamente, que Adele reservou a ela o melhor presente que poderia receber.
Comentários
26 Comentários

26 comentários:

  1. Ahhhhh parece que a autora realmente perdeu o foco !
    Chato isso !
    Beijos
    Luka.

    ResponderExcluir
  2. Ei Lari,

    Adoro o jeito como vc esculacha os livros q não gosta rsrsrsrs, a história da menina é bem linda mesmo, apesar q não é todo mundo q aceitaria esta situação e aceitava ne?

    Agora tbm achei estranho esta história do chefe so de vc contar.

    Este eu passo mas gostei da resenha rs

    bjo

    ResponderExcluir
  3. Ahhhh acho que vou correr desse livro...
    Eu não sou do tipo que iria ver uma "amiga" me que traiu mesmo que elas estivesse morrendo... me traiu dançou....

    Bjos ;)

    ResponderExcluir
  4. Não li seu post porque esse é um dos meus livros do Desafio Literário. Então eu prefiro guaradar o suspense. Quando eu terminar volto aqui pra ler o que você achou dele.
    Bjoo.

    ResponderExcluir
  5. Bahhh acho que vou passar adianta, com toda a sua enfase nao positiva com o livro, nem vou anotar.. XD

    ResponderExcluir
  6. Sabia que apesar que vc ter descido o pouco a lenha no livro..rs, fiquei interessada...kkk
    Bjos

    ResponderExcluir
  7. Gente, eu não concordo! Eu ameiiiiiiii esse livro. Entrou na lista dos meus preferidos. Achei muito emocionante, e achei que o romance entre o Luke e ela convenceu sim. Pelo menos a mim - :D Pq para mim começou meio como carência, meio como indecisão mesmo, e depois, bem depois, eles realmente viram que era amor, já que não passou com o tempo. E muitos romances da vida real começam assim mesmo. Tipo como foi comigo. Eu comecei a ficar com o meu marido só pq estava de férias e todas minhas amigas estavam de namorados, e eu não tinha nada para fazer. - :D E bem, virou amor também.
    Ah, eu amei mesmo o livro!!!

    ResponderExcluir
  8. AH eu concordo, sair pegando não me incomoda, agora dizer que ama um hoje e outro amanhã é muito estranho. Adorei a resenha super sincera é uma pena né quando o autor se perde...

    Bjus

    ResponderExcluir
  9. já tive vontade de ler esse livro, pena que seja meio maçante. =/
    Aff, menos um para a lista.

    ResponderExcluir
  10. Eu gosto muito das resenhas da Lari!
    Ela sempre é bem sincera e mostra exatamente o que a gente precisa
    pra decidir se deve ler um livro ou não!
    Pelo q vc falou não é um livro que eu teria vontade de ler! Eu realmente gosto de romance, ou suspense... ação!
    Mas livros assim quase não entram na minha lista de leituras, só se tiverem uma boa cotação de aprovação!

    Quanto a parte:

    "Já disse que detesto essa coisa de “hoje amo fulano, amanhã beltrano e enquanto isso como cicrano”?

    Concordo inteiramente Lari...
    Talvez por isso eu não me encaixe muito nessa onda de hj, de "ficar" com um e outro... ou com todos =P

    Valeu a dica mais uma vez Lari
    Bjus!

    (é impressão minha ou eu sempre falo (escrevo) demais??) O.o

    ResponderExcluir
  11. Tânia, eu chorei muito lendo esse livro. Mas da metade pro final não gostei nada nada...

    Continuei lendo pq pensei q ela ia dar seguimento ao turbilhão de emoção...

    É bom ouvir outras opniões, até mesmo para que as leitoras tenham outra visão... pq pode ser q muitas amem como você! :)

    ResponderExcluir
  12. Lari, esse livro já passou pelos meus olhos várias vezes e eu não me convenci a pegá-lo. Já ouvi várias opiniões a respeito dele, e ainda estou indecisa se vale a pena. Bjo

    ResponderExcluir
  13. Ahhhh, e outra coisa... sintam-se a vontade em discordar como a Tânia...

    Pelo simples fato de eu ser humana e estar carregada de sentimentos únicos.

    Não consigo ser imparcial, tento passar o que eu senti... afinal, não faço uma resenha técnica e sim carregada da minha opinião própria.

    A Carla tbém disse que gostou muito desse livro. E teve mais pessoas pela cotação no skoob... XD

    ResponderExcluir
  14. Lari,

    Adorei sua sinceridade em relação a esse livro!

    Acho que sou uma das poucas que gostou dele, apesar de concordar com você em alguns pontos em relação à história.

    Mas, acabei relevando, porque a história da Tegan é muito linda e emocionante!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  15. HUmmmmmm
    , adoro quando tem um " gosto-não-gosto"
    sobre um certo livro ... \o/
    sempre fico com vontade de ler para tirar minha propria conclusão *__*
    ... E dessa vez não foiu diferente!
    =)
    Essa VAI, SIM, para minha lista!!
    bjussssssssss

    ResponderExcluir
  16. Hum... livrinho polêmico...
    Mas acho que eu não iria gostar muito... também sou meio careta nessa história de relacionamentos...rss
    Se um dia ele cair nas mãos tudo bem... mas não vou atrás!!

    beijos,
    Dé...

    ResponderExcluir
  17. Tenho vontade de ler esse livro! Parece ser bem interessante a questão de se debulhar em lágrimas (haha). Eu não gosto de mocinhas indecisas e ambiguas, mas gosto de ler sobre, porque gosto de entender esses tipos de sentimento... Esse livro vai pra minha lista de leituras futuras!

    ResponderExcluir
  18. Meia boca? ás vezes os livros deixam muito a desejar mesmo, quando na realidade desejamos que sejam maravilhosos do ínício ao fim...iguais aos humanos. Com falhas.Mas adoráveis. É bom essa polêmica.
    Acho que vale à pena lê-lo.

    Beijos, Lari.

    Gosto de suas resenhas.

    ResponderExcluir
  19. esse livro deve ser legal.
    Fiquei curiosa Lariane.

    ResponderExcluir
  20. Ok, ja fugi do livro então. Bjs! kkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  21. Hum... Apesar da polêmica fiquei com vontade de ler.

    Vamos ver se ele cair na minha mão e eu estiver com tempo sobrando, lerei. =)

    Adorei a resenha, Lari.

    Beijo

    ResponderExcluir
  22. Olá, Lariane!

    Eu adorei esse livro, olhei justamente por um angulo diferente do seu...rs

    Fiz uma resenha dele no blog, se quiser passa lá:

    http://a-menina-do-fim-da-rua.blogspot.com/2010/06/filha-da-minha-melhor-amiga.html

    Grande beijo!

    ResponderExcluir
  23. Ok, eu queria ler esse livro, mas acho melhor reconsiderar minha decisão. Eu detesto mocinhas indecisas e medrosas. A menos que haja um mocinho meio vilão que faça a história mudar de figura, o que parece não ser o caso.

    Beijos

    ResponderExcluir
  24. Gostei da capa e do título, mas logo no inicio da sua resenha, perdi parte do interesse em ler o livro, pois detesto gente indecisa. Mas, continuei a ler a resenha e parece-me que devo dar algum crédito e tentar ler o livro. Se vou gostar ou amar, já é outra coisa, mas juro que vou tentar.

    ResponderExcluir