='cap-left'/>

Janet Dailey - A carícia do vento


“Sem pensar em nada, sem ter consciência do tempo ou do local, Sheila deixou que a levasse aos horizontes desconhecidos do desejo. Parou de pensar em Ráfaga como seu captor implacável. Jamais sonhara poder entregar-se com tal abandono, nem querer receber com tanta ansiedade egoísta tudo que lhe era dado.
Quando as chamas finalmente se extinguiram, Sheila levou diversos minutos até abrir caminho por entre a escuridão. Abrindo os olhos tontos de paixão, viu Ráfaga observando-a preguiçosamente. Mentalmente, admitiu que ele era dono do seu corpo e alma, e se deu conta, com fatalismo, deque ninguém mais teria tanto poder sobre sua carne e espírito.” Página 190
Prós e contras para ler A carícia do vento?
Bom, é um livro da Janet Dailey, uma das autoras que eu mais adoro adorar. Foi originalmente publicado em 1979... Três décadas!!! Mas posso assegurar que sua trama não “envelheceu” um único dia, é muito atual.
Ok, você ouviu falar que a mocinha é muito chata e mimadinha? É verdade. (Mas é o clichê que ela deve seguir, e eu amo clichês!)
Você ouviu falar que o mocinho pode ser mau, e a castiga? É verdade. (Mas há motivos “válidos”, e só posso afirmar que esse livro é bem mais complexo do que eu certamente vou consegui fazer entender... ^_^)
O que eu posso dizer a respeito do livro A carícia do vento? Deixando formais explicações psicológicas de lado (leia sobre Síndrome de Estocolmo AQUI), na leitura procurei me concentrar no romance em si, que é um dos mais lindos que já li. Mas é a minha opinião, então se você, leitor, discordar, dou o benefício da dúvida e o convido o a ler!


A carícia do vento
Janet Dailey
Sheila foge para se casar com Brad, apesar dos pedidos de seus pais para que esperasse um ano para o casamento, junto com alertas de que o namorado era na verdade “louco por dinheiro”, e não apaixonado por ela. Logo que a cerimônia é oficializada, no México, Brad escancara sua verdadeira face agressiva e obsessiva, ao ponto forçá-la a ter relações na noite de núpcias, não respeitando seu receio de virgem e magoando-a. Esbanjador de um dinheiro que não era dele, Brad resolve que merece ter lua de mel em Acapulco, e arrasta uma desiludida Sheila pra as estradas ermas do México.
Perdidos, com o carro quebrado, e eles cruzam com um grupo de homens à cavalo... A natureza exibicionista do Brad vem á tona e ele mostra o bolo de dinheiro àqueles homens mal encarados, procurando comprar-lhes ajuda para encontrar um mecânico. Claro que ele tem o dinheiro roubado e quando tenta revidar, armado, é morto em questão de segundos com um tiro fatal.
Sheila fica, então, à mercê daquele bando de renegados, e no papo convence-os a pedir resgate para seu pai. Levada pra o esconderijo deles, num desfiladeiro praticamente inacessível, um “mundo” particular com as regras impostas pelo líder, Ráfaga, Sheila sofre o choque cultural ao se deparar com a rotina quase primitiva daquela Villa, onde os renegados viviam em sociedade, com suas famílias, totalmente diferente de sua vida de patricinha no Texas. E ela passa viver na casa de Ráfaga, tendo a relativa “amizade” do um americano que integrava o bando, Laredo, e suportando as ameaças veladas de Ortega, o bandido mal-encarado que matou seu marido e a encarava com lascivos olhos cobiçosos.
E o enredo está feito...!
Sheila já havia notado o sex-appeal de Ráfaga de cara, quando cruzaram na estrada, e foi graças á sua silenciosa intervenção que ela não foi atacada pelos homens do bando. Vivendo em sua casa, essa admiração-versus-ódio-versus-atração logo os levou ao envolvimento, e acredite quando digo que não foi por meio de palavras e olhares doces, mas nem por isso foi menos lindo. *_*
“(...)Dedos fortes e esguios curvaram-se na carne macia dos seus braços. Sheila sentiu os ossos se derretendo, quando ele a puxou para junto de si. O coração martelava feito louco, contra as costelas.
As pulsações alucinadas tornavam uma piada a ideia de fuga. Estava apaixonada. Provavelmente já há muito tempo.
Mas ela lembrou-se que ele era o chefe de um bando de renegados. Mantinha-a presa, usava-a como mulher sem se importar com sua vontade. Sheila sabia de tudo isso. Sabia há tanto tempo, e não fazia diferença. O coração nunca era lógico ou sensato.” Página 248
Justificando o título, pode-se dizer que Sheila recebeu a carícia do vento, recebeu a carícia de Ráfaga, que é um pseudo-mocinho muito bem construído. “Uma rajada de vento ou um clarão de luz...” – são expressões que traduzem Ráfaga. “(...) ele está lá e não está mais. Ráfaga é como o vento.” Página 208
Eu acredito que o amor deles foi real, ainda que Ráfaga tenha sido um personagem “insondável”, mas próximo ao desfecho final ele dá uma pequena mostra de seus sentimentos com relação á Sheila, fazendo-nos nos apaixonar ainda mais por ele... Acredite, é inevitável! Em outro trecho do livro Ráfaga, que nunca fala do passado, responde algumas perguntas de Sheila, então somos levados a ver que ele tem cultura, é politizado e idealista, mas as revelações acabam aí. O mistério que fica no ar sobre Ráfaga durante toda a trama se mantém até o fim, e mais além. Minha única critica é devido ao fato do livro não ter epílogo (já falei que adoro epílogos??), porque finais bruscos e dúbios, como A carícia do vento teve, me deixam até doente de curiosidade! (risos).
Sinopse da contracapa:
“De uma rica e glamorosa cidade do Texas ás mais altas e imponentes sierras mexicanas, esta é uma história sobre desejo e destino com a marca de Janet Dailey.” The New York Times
Livro que marcou a estreia de Janet Dailey na lista dos mais vendidos do The New York times, A Carícia do vento consagrou a autora como uma das maiores romancistas do gênero. A protagonista é a jovem milionária Sheila Rogers, bela, impulsiva e mimada que viva em Austin, no Texas. Sheila contraria as expectativas de seus pais e foge para Juarez, no México, com Brad Townsend, um homem bonito e envolvente, mas que nada mais era senão um caça-dotes. A lua de mel do casal converte-se num verdadeiro inferno quando seu marido é brutalmente assassinado e ela é seqüestrada e levada por um bando de pistoleiros para um esconderijo nas montanhas. É ali que Sheila conhece Ráfaga, homem corajoso e idealista, e logo o ódio se transforma numa paixão arrebatadora.




Comentários
27 Comentários

27 comentários:

  1. Lendo a sinospe não seria um livro que eu escolheria para ler, até já vi ele para vender em algum lugar na promoção... Mas pela sua resenha, parece que é um livro com um romance diferente, uma amor que surge de um jeito difereente... gostei!!! =D
    vou procurar ele para ler!!!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Sabrina.

    Também sou fã da Janet Dailey, mas acredita que nunca li esse livro?

    Já ouvi maravilhas desse livro e, você, é mais uma das que confirmam isso!

    Os livros da Janet Dailey que eu li foram o primeiro volume da saga da Família Calder e "Ouro de Aspen", que detestei! Acho que esse não foi um dos melhores dela.

    Valeu pela dica e a história parece muito interessante!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Ahhh adorei sua resenha que está totalmente pró leitura!!! huahuahua!!!
    Bjks
    Alê

    ResponderExcluir
  4. "Oie! ^^ Nós do "Dear Book" gostamos do seu blog e indicamos ao "Selo Sunshine" olhe lá: http://book-dear.blogspot.com/2010/07/selo-sunshine.html"

    ResponderExcluir
  5. Esse livro marcou minha adolescência.. Li qdo tinha uns 15 anos. E adorei. Ótima dica!
    Bj.

    ResponderExcluir
  6. Sa, eu AMOOo o final desse livro.

    Eu tbém amo epílogos... mas esse me convenceu.

    Aquele ar de o q será? Será o que o amor conseguir... AMEI!

    Linda resenha!

    ResponderExcluir
  7. Adooooro esse livro!
    Meninas, é uma leitura obrigatória.
    Um clássico da literatura romântica.
    Quem não leu, leia.
    Ótima lembrança.

    bjokas

    ResponderExcluir
  8. Oi Sabrinaaa!
    Ainda não conhecia o livro e logo de cara gostei por conta da capa!
    Daí sua resenha ajudou mais ainda não?
    Adoro romances clichês! haha

    Beijos querida e feliz dia do amigo!

    ResponderExcluir
  9. Esse livro é muitooooo bom!! *__*
    Li ele já tem um tempo, mas não esqueço a estória.
    Concordo era pra ter um epílogo, o final me deixo em cólica. ;D

    ResponderExcluir
  10. Esse livro é lindo, perfeito, sedutor, eu amo, adoro, sou doida por ele.
    É um dis livros que mais indico aos amigos, acho o final do livro THE BEST, apesar de haver controvérsias.
    Quem quizer se perder num livro, vá fundo em Carícia do Vento.
    Ráfaga é um TDB, eu queria um pra mim, kkkkk

    ResponderExcluir
  11. Esse livro eu li há tanto tempo já, mais ainda me recordo do enredo, magnífico!

    ResponderExcluir
  12. Amo demais esse livro. Achei que não passasse de um romancezinho qualquer,mas estava mt enganada. Senti mt raiva do Ráfaga várias vezes, porém ele é quente, uuui, eu tb ficaria com ele. Adorei o homem que ele se mostrou depois q a Sheila quebrou seu coração de gelo *__*
    Eu fiquei tão triste qd o livro acabou. Queria mt q tivesse continuação, ainda mais depois daquele final sem nexo :s
    bjsss

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Eu sou absolutamente fã de Janet Dailey, li um dela da época de Sabrina, Orgulho e Castigo, e neste livro você já percebe o inicio de grandes best sellers, porque ela já mostra as reais intencoes.
    Bem, CAricia do Vento, é um dos meus livros favoritos, complexo, bem escrito, apaixonante, tanto que já li varios dela depois de meu debut com o roamnce de RAfaga!
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Oi Sabrina,
    Preciso ler Janet Dailey! Já haviam me falado desse Ráfaga, mas eu nunca dei muita moral, mas sua resenha fez eu ter vontade de ler
    Bjo

    ResponderExcluir
  15. Sabrina!!

    Eu não lembrava de ter lido esse livro!! \o/ Vou correr marcar no skoob!!

    Ele é bem cheio de clichês mesmo, mas é uma leitura deliciosa. Dessas que a gente não consegue largar.

    Ótima resenha ;)

    ResponderExcluir
  16. Gostei bastante da resenha.
    Vou add na minha lista (vcs me levarão à falência)rs

    ResponderExcluir
  17. Ei Sa,

    Ai que livro diferente, adorei as controvérsias e o enredo em sim é muito bom, ah ja me acostumei com as mocinhas chatas hauhauhau, é o q mais tem.

    Quero ler :)

    bjoo

    ResponderExcluir
  18. O livro parece bem legal, uma boa pedida.

    bjs

    ResponderExcluir
  19. Olá! Gosto muito do seu blog e por isso o indiqueiao "Selo Sunshine" dá uma conferida: http://mundo-literato.blogspot.com/2010/07/selo-sunshine.html

    ResponderExcluir
  20. Sabrina!!
    Amei a resenha. a pesar de já ter ouvido falar da autora nunca li um livro dela.vou tentar mudar isso!
    Obrigada pela visita!!! bjão!!

    ResponderExcluir
  21. Não conhecia esse livro. Vai entrar na lista pra comprar. Mocinha chata é o que mais tem nos livros de romance hehehe. Adorei a resenha :)
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  22. Oi Sabrina!!
    Eu li este livro em 1990 tinha 15 anos, reli aos 25 em 2001 e tive que ler novamente este mes aos 34 anos...
    Recomendo porque é uma história quente, que faz o coração e outras coisas pegarem fogo.
    Amuuu o Ráfaga de paixão e queria um homem assim!
    concordo plenamente com sua resenha do livro e acredito ser o melhor livro de todos que já li e olha me considero uma ótima leitora.
    bjos

    ResponderExcluir
  23. Ah! Esse livro é ótimo!!!!
    Amor bandido de primeira!!!! Toda mulher gostaria de ter um Ráfaga na vida!!!
    Assim como a Lukka (temos a mesma idade), tb li na dec de 90, mais uma vez uns anos depois e novamente em 2009.
    Quero ver se acho pra comprar, sempre peguei na biblioteca...
    Ótima resenha!!!

    ResponderExcluir
  24. A PRIMA DO MEU NOIVO TINHA ESSE LIVRO,EU GOSTEI TANTO QUE ELA ME DEU.EU SOU COMPLETAMENTE APAIXONADA POR LIVROS MAS CARÍCIA DO VENTO É UM DOS MEUS PREFERIDOS.

    ResponderExcluir
  25. Estou no final deste livro , e estou amandoooooo , o livro começa de uma maneira diferente , você pensa que a historia de amor sera vivida por Bred e Sheila , mas toma um rumo muito diferente , estou triste porque esta acabando poderia ter umas 700 paginas
    Recomendo para vocês lerem :
    Amante Indócil : Janet Dailey

    ResponderExcluir
  26. Terminei quarta - feira , Gostei do final , não percebi nada sem nexo , mais poderia ser um pouco mais elaborado o final .
    Comecei a ler hoje , Amor Proibido , espero que seja tão bom quanto esse .
    ^^
    Bjs Raissa

    ResponderExcluir