='cap-left'/>

Bruna Longobucco - O vale da liberdade

É com um prazer enorme que trazemos a resenha da escritora Aline Negosseki, uma autora talentosa ao extremo e além disso uma grande amiga. Para conhecerem um pouco da obra dela, cliquem AQUI.

E além disso, para nossa felicidade, ela aceitou escrever um pouco de outra grande escritora, a Bruna Logonbucco... 

Fiquei encantada com o convite da Lari para resenhar no Blog, esse em especial, o primeiro a divulgar meu trabalho. Vinha há um tempo pensando num título bem legal para começar minhas esporádicas incursões. Até que veio a feliz ideia...!
Vejamos, o que tenho para vocês não é bem uma resenha... É algo muito mais especial tanto para mim, quanto para a autora e também para vocês leitores.
Um Prefácio! Sim, o prefácio de O Vale da Liberdade, da Bruna Longobucco.
Então, vamos lá!... Vocês poderão ler em primeira via, minhas impressões e porque fiquei cativada por esta leitura, a próxima publicação de Bruna.






Prefácio


“E não é nos pensamentos que se esboçam os grandes feitos?

 Lembro, agora, o dia em que a Bruna entrou em meu blog convidando-me a conhecer seu trabalho e ela nem imaginava que eu já estivera em seu site, encantada com suas inspirações literárias. Não é todos os dias que encontramos almas que comunguem com a nossa e percebemos que amores assim fraternos podem acontecer “à primeira lida” na sinergia das palavras. Principalmente quando nelas morem a poesia e o lirismo.
Foi naquele momento que uma linda amizade literária começou e reflete-se no prefácio do livro que tão doce e bravamente ela escreveu: O Vale da Liberdade, seu primeiro título que quis ler. Não são nos momentos que as grandiosas coisas acontecem?

Amores de infância crivados de ternura e perdão parecem ser a marca da Bruna.
E é bem assim que se inicia a história de Pedro e Celi.
Pedro é a figura idealista que não se acovarda diante da força da maldade que sempre assolou a sociedade e, de tão limpo de coração e desapegado do valor imoral e atroz que ainda faz chorar a quem lê O Navio Negreiro, de Castro Alves, o jovem bacharel chegava mesmo a ser alvo fácil de intrigas e embustes, um filho bom e valoroso, que jamais esperaria tanta injúria como as que, de quem menos esperaria, lhe foram direcionadas.


Celi é uma figura bela que tem um coração feito de luz e uma coragem esplêndida para uma jovem de sua época. Ela não é, em nada, medrosa. Audaciosa e, ainda assim doce, é um contraste ante as sinhazinhas, presumíveis pretendentes como era de se esperar a um jovem herdeiro como o filho do Coronel Inácio, da Fazenda do Pilar. Frívolas, fazem-se de cegas frente o sofrimento sem fim que toda uma raça purgou e não teriam sequer chance de almejar um páreo ao lado da impetuosa, mas muitíssimo pura tecelã, a filha do marceneiro de Alto Pilar.

Desde a sabedoria de Naomi, no lendário Quilombo que não pode faltar às histórias de abolição, pois são memórias demasiadas densas para serem esquecidas ou deixadas de lado pela literatura, até a beleza de uma amizade que evolui para o amor verdadeiro e, por conseguinte, à paixão. 

Como não se comover com as descrições poéticas e delicadas da natureza e a força e os esplendores de um Ipê, das montanhas e dos poentes? Como não mergulhar nas sabedorias filosóficas e do espírito que essa sensível escritora não deixa de lado, para com grande emoção chegar ao epílogo desta melodiosa novela. Porque aí, no desfecho, canta-se a liberdade dos cativos que, enfim, mais que a sonhada alforria, ganham dignidade, respeito e amor.

E também aos que se achavam os livres, muito padeceram, mas encontraram a liberdade ao ver cair todas as máscaras e desvendar-se os olhos para a verdade. Porém, nada disso teria qualquer sentido ou valor não fosse a grande dádiva do perdão, mesmo após tanta dor.
O epílogo, depois das aflições, paixão e belezas da narração, foi onde encontrei as orações mais belas, as sentenças mais fortes e densas e me arrepiei quando da surpresa da leitura. Da mesma forma, arrepiei-me ao pensar em como chegava perto do início do fim a dolorosa jornada das gentes que teriam agora uma nova pátria e um grande futuro para construir lado a lado com os demais povos que formaram o país que hoje temos — sim, ainda crivado de injustiças, mas uma nação livre, que diz “não” à discriminação. 

“Não há como fugir ao fato de que a existência é como um constante desfilar de causas e efeitos”. E é por causa de um dia ter ido bisbilhotar o espaço etéreo da Bela Tília, que o efeito é hoje estar aqui, feliz por ter lido esta obra e por ter tido a honra de, para ela, tecer minhas impressões, convivendo com a agradável e espantosa sensação de estar sempre olhando para meu espelho literário quando leio a Bruna Longobucco.”


Aline Negosseki Teixeira, 25.09.2010” 


Agradeço ao Leituras & Devaneios, mais uma vez, pelo convite e um abraço a todos!


Aline N.


Para descobrirem mais sobre esses dois talentos, segue as mídias sociais onde vocês podem encontrá-las:
Aline Negosseki: Site -  Twitter: @AlineNegosseki
Bruna Logobucco: Site - Twitter: @blongobucco

Comentários
18 Comentários

18 comentários:

  1. Amei o prefácio!
    Já tem algum tempo que sustento a ideia de escrever sobre a abolição. Fiquei mais inspirada agora.
    Vou ler com certeza!
    Beijos para Bruna, Aline, Lari e leitores!

    ResponderExcluir
  2. Nossa amei!
    Super empolgada para ler esse livro!!
    Vou segui-las agora mesmo
    Beijos em todas

    ResponderExcluir
  3. Fiquei empolgada, estarei acompanhando este livro mais de perto.

    Bjos ;)

    ResponderExcluir
  4. Nossa *-* Adorei!!! Ficou muito bom!!!
    Eu sigo a Bruna no blog dela, e, de vez em quando, ela coloca uns textos bem legais por lá.
    E a Aline é maravilhosa - super talentosa!
    Foi realmente uma ótima união - ficou maravilhoso!

    ResponderExcluir
  5. Foi realmente uma ótima união - ficou maravilhoso! ²

    Mayara

    ResponderExcluir
  6. Nossa que bacana resenha...oops o prefácio! Adorei o tema abordado com esse fundo histórico.

    ResponderExcluir
  7. que coisa linda, meu Deus! Só pelo prefácio, já fico doida pelo livro. Valeu muito pela iniciativa diferente, meninas

    ResponderExcluir
  8. Olá!

    Acabei de adquirir o livro Centúrias da Bruna, estou adorando, agora esse será minha próxima aquisição.

    Obrigada pela dica

    ResponderExcluir
  9. É tanto livro legal que fico quase doida!!! Quero tudoooo para mim! Bjoo!

    ResponderExcluir
  10. Livros da Bruna são sempre muito bonssssssssss!!!!!Adoro.

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Muito legal a resenha, rsrsr.
    Gostei do livro e quero ler. ^^
    beijos

    ResponderExcluir
  12. Aline e Lari: o que posso dizer do prefácio? Lindo, tocante, sensível... e fui surpreendida, pois nem esperava que vocês o publicassem aqui. Super obrigada, super beijo!!!

    ResponderExcluir
  13. Aimmm, que prefácio lindo!!
    quero demais ler o livro, otmara que seja publicado loguinho! ^_^_
    Bjussssss

    ResponderExcluir
  14. ameeeeei *-*
    que lindoooooooo
    Foi realmente uma ótima união - ficou maravilhoso! ³
    bjokas

    ResponderExcluir
  15. Que belo texto!
    AMEI *-*
    Uma forma super nova de resenhar, colocando um Prefácio...
    Parabééns!

    Beijos
    http://promocoesnaprateleira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. tô vendo os comentários todos positivos. Não que eu vá negativar... mas é que não me chamou atenção :/

    ResponderExcluir