='cap-left'/>

Martha Medeiros - Fora de mim


“(...)eu sei como é que você se cura, se trata, você não chora nem lamenta, você volta pra rua, você vai atrás de todas as mulheres nuas feito um vira-lata, você está olhando nesse instante para outra mulher, você está entrando nela, dizendo a ela como é gostosa, você está me matando dentro
de você, e eu morro a quilômetros de distância, a sós comigo mesma, você transa com outra e me mata, você goza e me mata mais um pouco, você dorme e me deixa insone pra sempre, eu sei que não vai ser pra sempre, mas eu não enxergo o dia de amanhã, hoje eu só estou acordada pro eterno desse pesadelo, você era meu, droga, exclusivamente meu até dias atrás, meu como esse sofrimento.”
Página 23

Lowol! Desde que soube que receberia “Fora de mim” em cortesia da nossa parceira, Editora Objetiva, fiquei com verdadeira ansiedade para que chegasse logo, por que sinopse e a ideia do tema abordado me interessou demais. Realmente não me decepcionei, mas pessoalmente o considerei um livro muito difícil de ser resenhado, então vou apenas fazer alguns comentários e exemplificar com trechos, ok?


Fora de mim
Martha Medeiros


... Sem capítulos, Fora e mim é apenas dividido em três partes (1,2,3). O “prólogo”, que na verdade consiste apenas de frases centrais nas páginas, é uma comparação do fim de uma relação com um acidente aéreo. A primeira parte inicia-se imediatamente após o adeus... e à avalanche sentimentos que se sucede a ele. Do silêncio incrédulo anestesiado de emoções, ao choro compulsivo, ao amargor de imaginar o que e com quem o outro estaria fazendo, fantasiar uma volta, esperar um telefonema que nunca vem. O fim de um amor é até mesmo comparado com a morte:

É a pior morte, a do amor. Porque a morte de uma pessoa é o fim estabilizado, é o retorno para o nada, uma definição que ninguém questiona. A morte de um amor, ao contrário, é viva. O rompimento mantém todos respirando: eu, você, a dor, a saudade, a mágoa, o desprezo – tudo segue. E ao mesmo tempo não existe mais o que existia antes. É uma morte experimental: um ensaio para você saber o que significa a morte, mesmo estando vivo, já que quando morrermos de fato, não saberemos.”
Página 50.

Na segunda parte do livro somos levados a conhecer parte do início do envolvimento do casal separado: Ele entrou na vida dela horas após o fim de um casamento de 16 anos, vindo também de um divórcio, e enquanto ele conseguiu resgatar a mulher que nela estava adormecida, a relação era unilateral, pois ele viva uma euforia de amar, tantas vezes disse que a amava, mas tinha problemas que logo vieram à tona, causados por essa mesma euforia, que acabou por merecer um diagnóstico psiquiátrico. A relação foi se desgastando em cenas de ciúmes e brigas com ambos se deixando moldar pela personalidade do outro e perdendo sua própria identidade. No fim, até o fim parecia inevitável, mas então ela estava dependente dele, e essa sensação de que ele era uma droga alucinógena, é latente.

“Impossível não me apaixonar. Você é e sempre será o acontecimento mais improvável na vida de uma mulher, de qualquer mulher. Se eu fizesse uma pesquisa, duvido que encontrasse uma única cristã que me dissesse que sim, que também já teve um homem excêntrico surgido do nada, oferecendo um amor transbordante, um homem com conversa sem pé nem cabeça, mas deixando transparecer em cada palavra que está disposto a morrer para tê-la, um homem com quem você sai uma única vez e já se sente a mulher mais desejada do planeta, um cara que diz que é capaz de ir até os cafundós da Via Láctea para buscar o que você quiser, e você olha dentro dos olhos desse sujeito quase histérico e descobre emocionada que sim, ele iria. Este é você, que não permite que a mulher ao seu lado tenha um único minuto de pensamento próprio, pois sabe que se ela tiver tempo de usar os neurônios, irá desconfiar que da sua natureza impulsiva, intempestiva e alucinada, portanto, antes que ela racionalize sobre a cilada em que está se metendo, você já acercou com todo romantismo e com toda a lábia e com toda a parafernália que faz de você um homem que não existe.”
Página 60/61

Na terceira parte, anos depois, ainda há reflexos dessa separação na vida da mulher. Ela até mesmo tenta um novo amor, mas as marcas de alguém “que não existe” ainda a assombra, e uma relação normal e saudável não possui mais atrativos para ela...

“Doeu perder você. Passados quatro anos, ainda me lembro. É uma dor tão recorrente na vida de tantas mulheres e tantos homens, é assunto tão reprisado em revistas, é um sofrimento tão clássico e tão narrado em livros, filmes e canções, que mesmo que eu não lembrasse, lembrariam por mim. É uma dor que se externa. Uma dor que se chora, que se berra, que se reclama. Uma dor que tentamos compreender em voz alta, uma dor que levamos para os consultórios dos analistas, uma dor que carregamos para mesas de bar, para o escuro do quarto, onde permitimos que ela transborde sem domínio e sem verbo. A dor massacrante do abandono, da falta de telefonemas, da falta de beijos, da falta de confidências.”
Página 86/87


Finalizando, digo que a gaúcha porto alegrense Martha Medeiros definitivamente consegue escavar o lamaçal da fossa feminina em “Fora de mim” – título, aliás, mais que propício ao tema abordado. Narrado em primeira pessoa, o livro consiste no desabafo de uma mulher para um homem. Os personagens são apenas eu, você e eles, sem nomes, sem história linear...

As angustias de um “eu” feminino são tão corajosamente abordadas, que temos a impressão de estar lendo um diário, e confesso que a sensação de voyeurismo não me abandonou durante toda a breve leitura das 131 páginas de sentimentos à flor da pele. Devorei o livro numa taca só, em menos duas horas de leitura ininterrupta. Nem mesmo se eu quisesse parar, conseguiria, pois o ritmo da escrita de Martha Medeiros tem tal velocidade, e até mesmo musicalidade, que nos poucos segundos que me distraia, perdia o foco intenso da leitura.

Apenas para fazer uma leve comparação, se você gostou dos livros de Elizabeth Gilbert, vai gostar cem vezes mais desse livro de Martha Medeiros. Eu recomendo!
http://1.bp.blogspot.com/_6Sua73Nf8Cw/TGqKiU9LEpI/AAAAAAAAAJ4/JuYUjdazC1s/s1600/assinatura1.png




Comentários
29 Comentários

29 comentários:

  1. Hummm gostei da Resenha e como amei o Livro da liz Gilbert acho q vale a pena comprar! A Marta Medeiros é uma escritora renomada tb. Gosto mtu de suas palavras.
    bjos
    Sa!

    ResponderExcluir
  2. Os livros da Martha nunca são fáceis, né? Adoro isso! *-* Ótima dica de leitura.

    Beijão

    ResponderExcluir
  3. Adoro Martha Medeiros! Uma diva da nossa literatura! Não é fácil, mas em tudo o que ela escreve, ela arasa com as palavras, com as sensações!

    Adorei a resenha!

    ResponderExcluir
  4. Nossa, adorei a resenha!!! Nunca li nada da autora, mas fiquei morrendo de vontade agora =)

    ResponderExcluir
  5. Olá.
    Hoje venho aqui para te convidar para participar do amigo oculto do Mix.
    Passa lá:
    http://www.mixculturainformacaoearte.com/2010/11/amigo-oculto-de-livros-segundo-ano.html
    Te espero!

    ResponderExcluir
  6. Não me bata, mas eu não conheço essa autora .-. Quer dizer, o nome é bem familiar, mas nunca li nada dela. Gosto quando as narrativas são diretas. Facilita a leitura e a gente não consegue mesmo largar :)

    ResponderExcluir
  7. Q legal!!! o livro parece mesmo interessante!!!

    http://conversandocomdragoes.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. To com esse livro aqui para ser lido, to ansiosa já!
    Adoro a Martha, esse livro deve ser mais um dos que vou gostar muito!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Conheci ela pssoalmente, e ela é um AMOR.

    Linda e super simpática!

    ResponderExcluir
  10. Parece ser bonitoo.. bjzx http://popnewsmusic.blogspot.com/

    Amr, comenta la no meooo?
    Ahh, sobrea entree, o q achaa?

    ResponderExcluir
  11. Gente, eu preciso ler os livros dessa mulher! kkk!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Parece um tipo de leitura mais complexa, mas eu adoro.
    Apesar de dizer que foi meio difícil resenhar o livro, tenho que dizer que ficou ótimo. Parabéns ;)

    Beijos,
    http://lerealmejar.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. Não gostei da resenha, mas gostei da idéia do livro. É difícil descrever personagens e suas características e ao que percebo pela resenha, o livro é inteiramente "sentimentos"
    Quando um escritor consegue nos fazer sentir isso que o personagem passa, a leitura passa a ser prazerosa. Pudera ler em duas horas! xD

    //quero.

    Pergunta: A cortesia veio para escrever a resenha?

    ResponderExcluir
  14. Poxa, esse eu queria ler tbm!

    ResponderExcluir
  15. Nossa! Amei a sua resenha! Quero ler também!!! Muuuuito!!! Beijos!

    ResponderExcluir
  16. Oi meninas!

    Sá!!! Vc adorou o livro!

    Vou ler em breve!

    Beijos;)

    Thaís

    ResponderExcluir
  17. Sabrina, querida:
    Martha Medeiros é the best! Os textos dela são sensacionais, muuuuito superiores aos de Gilbert!! Gilbert é rasa perto de Martha!
    Devorei os textos que vc transcreveu do livro aqui... fiquei impressionada com a verdade contida em: "A morte de um amor, ao contrário, é viva. O rompimento mantém todos respirando: eu, você, a dor, a saudade, a mágoa, o desprezo – tudo segue. " É desse jeito mesmo!
    Martha Medeiros arrasa, quero ler!
    Bj
    Alê

    ResponderExcluir
  18. Humm fiquei bem curiosa!! Otima resenha
    beijooos

    ResponderExcluir
  19. Eu já li crônicas da Martha, mas não um livro e sou louca para ler, mas vou ser sincera, nunca foi prioridad. Mas agora vc me deixou com vontade...rsrsrs...
    Bjos!!!

    ResponderExcluir
  20. O livro ja me conquistou só pelo trecho que voce deixou no começo do post. Que livro é esse, ein! Parece ser muito profundo e tocante. Concerteza vale a pena arriscar a leitura.

    Xero

    ResponderExcluir
  21. Oi flor,
    Passeando pela Saraiva fim de semana vi esse livro expostos ele e meio lançamento ne? Sabe que não li nada muito grande da Marta só poesias soltas mesmo...deve ser interessante esse. Bjks

    ResponderExcluir
  22. Super fã de Martha Medeiros!!Ela é super realista e tem contos maravilhosos!!! Vou correndo comprar!

    =*

    ResponderExcluir
  23. Desse jeito não vou poder mais ir à livraria...vou falir! :)

    ResponderExcluir
  24. Não sei quando terei coragem de comprá-lo.
    Vai doer me enxergar em cada palavra em cada linha por todas as páginas.....
    Maria Luisa

    ResponderExcluir
  25. Gostei muito da resenha e tenho certeza de que o livro da Martha é fantástico.. Tudo que ela escreve é maravilhoso....

    ResponderExcluir
  26. o LIVRO É REALMENTE ESPETACULAR! EXPRESSA POR NÓS O QUE MUITAS VEZES NÃO CONSEGUIMOS ORGANIZAR EM PALAVRAS,POIS A DOR NOS CONSOME...SIMPLESMENTE LINDO.

    ResponderExcluir
  27. A Martha é minha favoriiitaaa....onde se fala em Martha Medeiros e Clarice Lipector, eu digo: essas duas falam por mim!!! São realistas e um tanto romanticas e exageradas ao descrever as emoções, mas é bem assim que acontece mesmo. Amar é um exagerooo....hahaha

    ResponderExcluir