='cap-left'/>

Claudinei Roncolatto - Porto Purgatório

Não há como negar que esse livro é totalmente distinto de minhas leituras habituais.  E SINCERAMENTE, se não fosse a querida Aline, da Editora Baraúna, nossa nova parceira falar tão bem do livro, provavelmente teria enrolado para ler.

Mas, encarei... e gostei! Obrigada pela dica. (^-^)


Capitão Salvador, quando vivia no Brasil, conheceu Nadine, uma bela haitiana. Eles vivem um relacionamento de alguns anos, até que ela resolve voltar para seu país... Quando o Brasil começa a enviar tropas para a contenção da população junto a ONU, o Capitão logo se candidata, e vai para lá na terceira leva de militares. Então eles se reencontram, dando prosseguimento ao relacionamento, indo contra a norma de conduta do que proibia o relaciomento entre militares brasileiros e civis haitianos, e para viver esse amor eles passam a namorar escondidos.


Criei sentimentos totalmente ambíguos sobre o livro! Se, por uma parte, ele consegue seu objetivo que é o de nos relatar todo o sofrimento que o ocorre no Haiti, por outro, a história peca um pouco por ser somente informativa sem tentar comover o leitor. E também pelos personagens centrais serem totalmente dispensáveis, afirmo isso, pois não há nenhum enredo propriamente dito a princípio, somente as agruras haitianas... 



Contudo, no final o livro cresce com um acontecimento que mexe com nosso militar, faz com que, enfim, tenhamos aquela velha sensação de ansiedade pelos próximos acontecimentos. (Leiam o livro, que por enquanto é segredo  ^-^)


Reiterando, o livro se passa em grande parte no Haiti, o pequeno país que fica em uma ilha caribenha, com uma população "parecida" com a nossa, mas com problemas sociais piores que penduram há séculos... Haiti, um país marcado pela má administração de recursos e pela luta pela detenção do poder, que no presente vive uma crise tão grande que necessitou da intervenção da Organização das Nações Unidas (ONU).

E quanto sofrimento esse povo está passando! É devastador ler tanta tristeza e saber que é a realidade pura... Chocante a passagem em que o autor relata a refeição daquelas pessoas: barro misturado com água. Ou o relato que tomavam banho numa vala...  A cada nova página uma nova atrocidade, que talvez, por vivermos em uma realidade diferente, a nós pareça impossível.

Não há como deixar de citar que o autor, tal como seu personagem, foi para o Haiti na Missão de Paz da ONU, então só se pode concluir que cada uma das passagens que narram a degradação da vida humana tem grandes possibilidades de terem sido presenciadas... É um tapa com luva de pelica!

Esse livro que nos faz ficarmos despertos a realidade que existe em Porto Príncipe  (capital), ou melhor dizendo, Porto Purgatório. Creio que não preciso contar muito sobre o país, afinal nossos jornais trazem quase que diariamente notícias sobre esse sofrido paraíso...

Comentários
33 Comentários

33 comentários:

  1. É realmente muito triste a realidade do Haiti. Eu me lembro que durante um tempo, na escola, um professor de História Regional e da América, falou sobre o Haiti e sobre a vontade dele de lecionar lá... Ele contava histórias do país, toda a estrutura e eu sempre ficava pensando: será que um dia a situação deles se reverterá? Acho que esse país precisa de pessoas como esse meu professor, que queria fazer diferença.

    Também não é a minha leitura habitual (aliás, está longe disso), mas quem sabe uma hora eu não dê uma lida? É importante saber mais sobre as condições de lá!

    Adorei a resenha!
    Beeijo! ;3

    ResponderExcluir
  2. Gosto de conhecer realidades diferentes, de conhecer histórias e, com certeza, o Haiti é um lugar que tem muitas histórias para contar, apesar de a maioria ser triste.
    Ultimamente estou variando pouco a leitura, vou pensar em ler esse! :)
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. É um livro bem tenso Lari e como disse a Tati, não é meu tipo de leitura habitual.

    Mas fica a dica!!!

    beijosss

    ResponderExcluir
  4. Parece ser um livro mais informativo. Não estou acostumada a lê-los (na realidade, de livro informativo, acho que só li algumas biografias picadas)

    Apesar disso, pode ser uma boa pedida par a quando eu quiser mudar um pouco, sair da rotina. FD e a contenção de spoiler não me fez ficar com vontade de ler.

    ResponderExcluir
  5. Tenho amigos que foram para o Haiti na Missão de Paz da ONU e outros que ainda permanecem lá,inclusive um deles perdi naquela tragédia dos terremotos. A situação é de pobreza extrema o que é preocupante! Seria interessante ler este livro para fazer um paralelo entre os "relatos" do livro com os dos meus amigos. Dica anotada!

    ResponderExcluir
  6. Ei Lari,

    Não faz muito meu estilo de leitura não, mas por outro lado gosto muito de conhecer histórias de outros países.

    bjo

    ResponderExcluir
  7. Como você mesmo disse esse livro não faz parte das minhas leituras habituais mas quem sabe um dia eu não me animo a ler para saber mais sobre esse assunto.

    ResponderExcluir
  8. Claudinei Roncolatto1 de dezembro de 2010 19:11

    Gostei muito, Lari, tanto dos elogios quanto das críticas. Abraço.

    ResponderExcluir
  9. Esse livro não faz parte das minhas leituras, mas a história é bem interessante. Posso até ler um dia! Ótima resenha e parabéns ao autor! Inteligente!

    ResponderExcluir
  10. Já tinha lido o livro, é forte! É mais um soco no estömago que uma carícia no rosto. Acho os personagens centrais fundamentais, são o fio condutor da narrativa.

    ResponderExcluir
  11. Lari,
    gosto muito desses livros que nos fazem ter "sentimwentos ambíguos", pq eles fogem mesmo ao que estamos acostumadas. Vou procurar aqui para ler. Bjo

    ResponderExcluir
  12. Tema bastante interessante sem dúvida!!!
    Deve ser uma boa leitura!

    BjOo

    ResponderExcluir
  13. No é o tipo de livro que eu leio, mas depois do Blog Tour da Editora Baraúna, que o meu blog participou e quem leu o livro foi eu, que foi Irmandade da Cruz, eu passei a dar uma oportunidade para dos os estilos de livros! e esse entrou na minha lista, por que como boa curiosa, eu quero saber qual o acontecimento que mexe com o militar. E também sempre me interesso por essas questões de "problema" pelo mundo!
    Gostei da resenha, beijos

    ResponderExcluir
  14. Meu tema preferido, livros fortes que nos fazem refletir.
    Foi para a lista, e adorei a capa!

    ResponderExcluir
  15. Nossa gente que capa é essa?
    e fiquei super interessada na resenha *O*

    beijos
    Fran
    LivrosFantasticos.com

    ResponderExcluir
  16. Quem sabe eu não leio mais pra frente quando desenrolar tudo o que está na frente(e atrasado?)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  17. Eu tenho um sentimento ambíguo com livro assim, que relata o real... Sei que temos que saber a verdade, mas mesmo assim quero me esconder dela... (aham, eu não bato bem XD)

    Beijos Lari! Adorei a resenha!

    ResponderExcluir
  18. Oi, Lari.
    O livro traz alguns enigmas interessantes. Nadine, a Bombom, traiu ou não traiu Salvador? E Salvador, matou ou não matou o general? Tenho minha opinião a respeito, mas certeza não.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  19. Briana,

    concordo com essa sua observação. Por isso que afirmei que ao final o livro cresce. Creio que, inclusive, as passagens narradas pelo autor criam emoções mais profundas no decorrer da trama.

    Inclusive pensei em Capitu quando estava lendo, será que lembrou algo de Machado?

    Pode ser. Mas, não conseguiu me inquietar tanto ao ponto de marcar e Salvador virar Bentinho...

    Beijocas e obrigada por narrar um ponto que te marcou.

    E ahhh, nem sempre temos as mesmas opiniões, já cheguei inclusive, a detestar um livro por determinado ponto, e anos depois, quando mais madura, o adorar somente por aquilo que a princípio julgara errado.

    Por isso gosto quando comentam XD

    ResponderExcluir
  20. Muito legal a resenha. Como faço para comprar o livro?

    ResponderExcluir
  21. Leninha,

    pode comprar por aqui: http://www.editorabarauna.com.br/index.php?mpg=03.00.00

    Diretamente com a editora =)

    ResponderExcluir
  22. Adorei a temática.
    Tapa na cara sempre é bom, pra ver que a gente reclama de barriga cheia x)
    digo isso de mim e de você, reclamonas de plantão
    beijos

    ResponderExcluir
  23. Esse seria um livro muito dificil para mim ler do ponto de vista de leituras mais despretenciosas. Mas ele é interesante quando nos pões a par de uma realidade tão dificil... quem não conhece a história do Haiti, deveria conhecer... é incrivel!
    Gostei da resenha! To anotando a dica.

    ResponderExcluir
  24. Estou curioso. Acho que o autor, tendo vivido a experiência haitiana, misturou realidade e ficção para poder relatar os fatos com maior liberdade.

    ResponderExcluir
  25. Nossa, esse livro parece ser muito bom. A realidade do Haiti é realmente muito triste e esse livro deve ser desses que te 'acorda' para o mundo, não ?
    Não tenho lido livros como esse recentemente, mas dica anotada ;)
    beijos
    Mel, Defatto! & Três Lápis

    ResponderExcluir
  26. Esse livro tem até umas semelhanças com "A cidade do sol" e "O caçador de pipas" por apresentar a realidade dos países né, Lari? Me interessou muito esse livro! Parece ser uma história boa e adorei a resenha =)

    Beijos

    ResponderExcluir
  27. Gostei, me parece ser bom. Bjinhos!!!

    ResponderExcluir
  28. Concordo com a semelhança com o "Caçador de Pipas". Beijo.

    ResponderExcluir
  29. Oi,vi o livro na escrivaninha do meu pai(disse que comprou la livraria Cultura, parece que só tem no site deles e no da Editora). Peguei, li e gostei. Forte, denso, mas também muito humano.

    ResponderExcluir
  30. Apesar dessas realidades como a do Haiti que são tristes e duras e que já estamos cansados de saber, eu acho muito interessante livros que abordam o assunto.

    É sempre uma forma de reflexão.


    Beijinhos,

    Ler e Almejar

    ResponderExcluir
  31. É um livro importante pois relata todo o sofrimento daquele povo, mas tenho que confessar que por vezes sou meio covarde e não consigo ler livros assim, que jogam na nossa cara a dura realidade e o sofrimento de alguns povos.

    ResponderExcluir
  32. Tenho um primo que esta em missão no Haiti e realmente é muito dificil as coisas por lá. O livro é interessante.Mas parece que seria mais ainda se o autor tivesse investido mais nos personagens,não?!!!. Leria com certeza. Bjkss

    ResponderExcluir