='cap-left'/>

Entrevista: Carina Rissi escritora de Perdida

Estou me sentido a pessoa mais chique do mundo: eu entrevistei Carina Rissi  o/ (risos)

Para quem leu o livro, sabe que ele é bom demais...
Para quem leu a resenha, sabe que eu o AMEI...
Para que ainda não sabe nada sobre ela, corra atrás do prejuízo...
 
Trecho da resenha, para ler na integra clique AQUI:

Li um livro tão perfeito, que ao final fiquei com a sensação de ficar PERDIDA, perdidamente apaixonada por Ian e pelo talento de Carina Rissi.

Sobre Carina Rissi escritora:

1) Perdida é seu primeiro livro (de muitos que virão). Como você, Carina Rissi, se descobriu escritora?
Foi totalmente por acaso. Minha imaginação sempre correu solta. Eu tinha (e ainda tenho) diversas histórias girando na cabeça, mas nunca fiz nada a respeito simplesmente porque não sabia que podia (rsrs). Então, numa tarde, vi uma entrevista da Stephenie Meyer no programa da Oprah, e a autora dizia isso, que sempre teve uma imaginação muito fértil e que achava que era assim com todo mundo. Quando descobriu que não, decidiu escrever. Fiz o mesmo, naquele mesmo fim de tarde. Peguei meu celular e escrevi o que hoje são os primeiros quatro ou cinco capítulos de Perdida.

2) Você faz muitas pesquisas, “incuba” ideias, ou parte direto para a escrita? Sempre tem em mente qual vai ser o próximo acontecimento ou seus personagens acabam tomando rumos próprios?
Eu faço muita pesquisa sim, mas de acordo com o que vou escrever naquele instante. Meus personagens tendem a sair do cronograma, eu nunca sei o que vão aprontar em seguida. Gosto disso! Fica mais fácil tanto para pesquisar quanto para o enredo se tornar mais verídico.


3) Tem alguma rotina para escrever? Ouvir músicas? Algum horário em específico?
Vou confessar que não costumo seguir regras (em todos os aspectos da minha vida), então não tenho um ritual para criar minhas histórias. Só preciso de música para que meus pensamentos entrem nos trilhos. Na maior parte do tempo escrevo à tarde, quando minha filhota está na escola e posso mergulhar em meus mundos imaginários de cabeça.


4) O nome do protagonista se chama Ian, fico imaginando da onde você se inspirou para colocar este nome. Pode nos contar?
Na verdade, eu não escolhi, foi ele quem se apresentou como Ian! Sério mesmo! Ian foi um dos personagens mais simples pra mim, ele veio todo pronto, com rosto, corpo e personalidade definidos, inclusive o nome. Obviamente precisei pesquisar a respeito do nome, já que não tinha certeza se Ian era um nome que se adequava ao século XIX, e, para minha surpresa, descobri que era um nome muito comum, especialmente entre os países de língua inglesa. Ian é um nome escocês, significa John (João).
Já o sobrenome dele é outra história. Sou fã de Jane Austen, e para quem já leu alguma de suas obras deve ter notado que ela sempre menciona a família Clarke, apenas como pano de fundo, sem nunca realmente apresentá-los. Então eu fingi que a família Clarke de Jane Austen são os parentes de Ian e Elisa que ainda moram na Inglaterra.

5) Há um pensamento rolando por aí que diz que é extremamente difícil escrever histórias de amor, pois as maiores paixões já foram desvendadas e todas as declarações já foram escritas/cantadas. Como é para você o processo de criação de uma história/personagens, elaboração de diálogos?
Eu não sei se concordo. Acho que cada história é uma história, narrada de forma diferente, expressada e sentida de forma diferente. Por exemplo, acho que Romeu e Julieta de Shakespeare foi inspiração para Camilo Castelo Branco escrever seu Amor de Perdição, e embora semelhantes, são completamente diferentes, e ambas são maravilhosas.
Meu processo de criação é meio confuso. Começo a história, cheia de planos de como a coisa vai desenrolar, mas dois ou três capítulos depois já perdi o controle e os personagens tomam as rédeas.Gosto de dar liberdade a eles, além de a história fluir melhor, os diálogos e ações se tornam mais naturais, respeitando a peculiaridade de cada um.

6) Em seu livro Perdida, é citado Jane Austen... Houve alguma inspiração "especial" de algum livro para a criação de "Perdida"?
As obras de Jane Austen são mais que inspiradoras. Não teve nada em especial que inspirasse a trama central, no entanto, Elisa foi minha forma de me aproximar de minha musa Jane Austen (Lizzy Bennet é uma das personagens mais incríveis que já conheci); e a volta ao passado, especificamente para o século XIX, também é culpa dela (rsrs).

7) Bom, adoreiiiii "Perdida" e não entendo como uma pessoa poderia não gostar. Mas sabemos que não se pode agradar agregos e troianos... Como você lida com as críticas?
Aprendi a lidar com a crítica negativa e aprender com ela (quando acho que tem fundamento). A primeira crítica negativa que recebi doeu, fiquei mal alguns dias, não consegui escrever uma única linha. Mas parei pra pensar e foi naquele instante que me senti uma autora de verdade. Parece louco, eu sei, mas foi quando recebi minha primeira crítica negativa que realmente me dei conta de que estavam mesmo me tratando como uma autora.

Sobre Carina Rissi:

1) O que você gosta de ler? Qual livro você tem atualmente na cabeceira? Fale-nos um pouco sobre seus livros favoritos.
Eu gosto de ler praticamente tudo. Só não curto muito autoajuda. Orgulho e Preconceito e Persuasão, ambos de Jane Austen, nunca saem de minha cabeceira. Recentemente, Tem Alguém Aí, da MarianKeyes (DIVA!), também se instalou por lá.

2) Nós do Leituras & Devaneios iniciamos o blog com a temática voltada aos livros de banca. Hoje, abrimos nosso leque de leituras, lendo de tudo um pouco. Mas gostaríamos de saber, você lê livros de banca? Se sim, quais suas autoras favoritas?
Amo livro de banca! Amo o formato mais anatômico, a leveza e o precinho... Sou fã de Cadence Camp, com seus históricos envolventes, e de Julia Quinn.

3) Como foi sua formação como leitora, como você foi apresentada aos livros? Lembra do primeiro livro que leu?
Nossa, isso faz tanto tempo!! Minha primeira memória literária é de Maneco Caneco Chapéu de Funil, do Luis Camargo. Mais tarde me apaixonei por Feliz Ano Velho de Marcelo Rubens Paiva (o melhor escritor brasileiro de todos os tempos, na minha opinião), e depois encontrei Jane Austen com seu Orgulho e Preconceito e tive meu primeiro “amor” literário na forma de Sr. Darcy.  Quando conheci Marian Keyes, foi amor à primeira lida (rsrs).

4) A acessibilidade à internet vem crescendo vertiginosamente, não como queríamos, mas já percebemos certo amadurecimento, no sentido de democratizar a cultura. Como você vê o futuro online? A internet abre portas para autores, ou pode prejudicar, dado grande fluxo de pessoas tentando uma oportunidade?
Acho que vai da conduta de cada um. No meu caso, a internet só ajudou. Graças a ela e aos blogs literário (BRIGADÃO, blogueiras (os) fodásticas (os) do meu coração!), Perdida ganhou espaço e visibilidade que jamais teria sem essa ferramenta. Pra mim, internet é indispensável!

5) Li que você lê os finais, confesso também fazer o mesmo. Nunca teve nenhum problema por essa mania literária? Tem algum outro costume?
Nunca tive problemas (rsrs). Às vezes, uma sinopse não me agrada, então dou uma segunda chance ao livro e leio a ultima página, e BAM!, ela me pega. Pronto! Preciso saber como foi que chegou até aquele ponto.
Outra mania? Bom, adoro usar as orelhas pra marcar as páginas (meu marido não me empresta os livros dele sem que eu prometa usar marcador), e sempre dobro a pontinha da páginas das cenas que gostei, para reler mais tarde.

Houve certa vez uma brincadeira correndo entre as blogueiras, pois é inocentemente reveladora e ao mesmo tempo um bem necessário às relações tão “superficialmente profundas” que a internet nos proporciona. Gostaria que você concordasse em realizar e dar ao leitor uma oportunidade de conhecê-la mais a fundo...
Bora!!

Carina Rissi versus 7 Pecados capitais.

=> Avareza – totalmente desprovida, para desespero do marido
=> Soberba –sendo honesta, gostaria de ser um pouco mais, de vez em quando. Só pra variar.
=> Gula – totalmente culpada!
=> Ira – Depende da época do mês (rsrs)
=> Inveja – só um pouquinho do cabelão esvoaçante da Gisele Bündchen
=> Preguiça – nossa, aos montes!
=> Luxúria – Hã... Tem crianças por aqui?? Acho melhor não falar sobre isso nesse horário. (rsrs)

Nem só de pecados vive o homem... Qual considera ser sua maior virtude?
Acho que é persistência, embora eu prefira chamar de teimosia. =)

Photobucket

Biografia Carina Rissi:
Informações retiradas no SITE da autora.
Carina Rissi nasceu no interior e viveu na Capital paulistana por seis anos. Atualmente, mora com sua família no interior de São Paulo. Já atuou em diversas áreas, mas acabou se encontrando como autora. Leitora compulsiva assumida, sempre lê a última página de um livro antes de comprá-lo. Perdida marca o início de uma carreira muito promissora.
Photobucket
 
Espero que tenham gostado de conhecer um pouco mais dessa excelente escritora =)

Comentários
17 Comentários

17 comentários:

  1. Um acaso que deu super certo, que ótimo..Hoje vemos que muitos autores fazem pesquisas para escrever, para não ficar só na história e sim ter um plano de fundo legal. olha Ian, vem a ser nosso bom e velho João rs. Criticas sempre irão existir, mas as negativas não precisam ser ofensivas.

    Adorei o Carina vs 7 pecados rsrs
    Perdida sempre foi meu sonho de consumo literário, já realizado \0/ mas não pude ler, pela falta de tempo e outros livros que preciso passar na frente, mas férias de dezembro está perto, espero ler antes disso..fico olhando pra ele e ele pra mim, não vou resistir rs..

    Parabéns pela entrevista, ótima!
    E Sucesso Carina! A Bienal aqui na Bahia será próximo fds, seria ótimo conhecer a Carina, mas claro que nem tudo é do jeito que queremos kkk (sonhado em voz alta)

    Beijos ^^
    @gil_esmalteira
    Ensaios de uma Leitura

    ResponderExcluir
  2. Oi!

    Que entrevista completíssima! Várias coisas já sabia, pois a entrevistei também, mas outras informações foram totalmente novas para mim, e acgo peculiar a maneira da Carina em ler os finais de livros! Como assim? rs
    Ela é super hiper talentosa e muito querida, um dos meus desejos é conhecê-la pessoalmente! Quem teve a oportunidade amou conhecê-la!

    Perdida é um livro maravilhoso, uma ideia que deu certo, um livro apaixonante! Não me admiro quando ele chegar a ser um best-seller!

    Sucesso meninas \o/

    ResponderExcluir
  3. Há muito tempo criei uma expectativa totalmente saudável a respeito desse livro, na primeira vez que li sobre ele... A capa é linda e o mote é bem legal... Infelizmente, ainda não tive a chance de ler, mas não tenho dúvidas de que deve ser maravilhoso, depois de tantas resenhas positivas que li...
    Adoro ler entrevistas com autores! Acho que isso torna a gente mais próximos deles.... Como se eles deixassem de ser escritores e se tornassem humanos... (Uai?!! Escritor não é gente não??? Não!!!! rs Sério. Escritor é uma raça a parte! kkkk)
    A Carina parece ser muito simpática! Adorei a entrevista! Ela lê romances de banca! Adorei ela contando sobre o nome do Ian! Muito legal perceber o quanto ela se dedicou a pesquisa para escrever!

    Adorei a entrevista!
    Bjinhos,
    Náh - Blog Ler, Dormir, Comer...

    ResponderExcluir
  4. Nossa, muita qualidade na entrevista!! Perguntas extremamente inteligentes e respostas super convincentes, quero ler, perdidamente desesperada para ler... hauhauha
    Beijokas
    Jeh
    http://starbucksandbooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Muito legal a entrevista.
    A Carina é tão especial, desejo que ela seja conhecida no mundo todo!

    ResponderExcluir
  6. Muito bacana a entrevista!!!
    Esse é um livro que está na minha wishlist!*_*
    Eu amo essa capa! Acho ela tão diferente para ser um nacional... e a história é diferente, pelos menos, pelo que leio nas resenhas!

    Bjuss

    ResponderExcluir
  7. Meninas, parabéns pela entrevista!!
    Adoro entrevistas,descobrimos coisas tão legais principalmente com autores nacionais!

    Beijos e até o próximo post.

    Maria Lucélia - A magia da ternura

    ResponderExcluir
  8. Nossa, adoreii a entrevista.
    Carina é muito simpática. Estou doida para ler Perdida, doida mesmo. Espero poder realizar meu desejo em breve!
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Amei a entrevista. Sou louca para ler Perdida, só vejo boas criticas ao livro.

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  10. Lendo a entrevista, comecei a correr atrás do prejuízo hehehe
    Gostei muito da entrevista, perguntas bem formuladas e ótimas respostas onde realmente podemos conhecer a Carina.

    Parabéns e sucesso prás duas :)

    ResponderExcluir
  11. Que entrevista maravilhosa, adorei!
    A Carina me encantou com seu modo de escrever e com a história que criou. Uma mistura de época com tempos atuais... e sem largar mão da comédia. Estava sentindo falta de algo do tipo e amei Perdida!

    Bjs,
    Kel
    www.itcultura.com

    ResponderExcluir
  12. Ah, adorei a entrevista :D
    Confesso que é a primeira entrevista que leio dessa autora e achei ela completamente simpática. Quanto ao livro sem comentário, estou louca para lê-lo.

    Beijos&beijos
    Book is life

    ResponderExcluir
  13. Amei a entrevista. A carina é uma fofa e o livro super diferente.
    Adooooro
    è muito bom conhecer um pouco mais um dos talentos da nossa literatura atual.
    Beijoo

    ResponderExcluir
  14. O que eu achei o melhor e que eu posso dizer e que meu livor favorito é di uma autora brasileira!!!
    ate q enfim uma meg cabot nacional..rsrsrsrs

    ResponderExcluir
  15. Olá lari!
    Realmente, vc está muito importante entrevistando a carina rissi hihihihih
    Adorei a entrevista e também conhecer mais sobre a autora. Não li Perdida, mas estou suercuriosa ocm relação a ele, e agra estou mais ainda, sabendo um pouco mais sobre a autora.
    Abraços, Malice

    ResponderExcluir
  16. Eu confesso que nunca fui grande fã de muitos autores nacionais, apesar de já ter lido bastante coisa. Acho que nunca realmente me apaixonei por uma história de autor nacional. Sabe? Naquele estilo de não conseguir largar o livro para nada, devorando cada página e esquecendo café e almoço ou ficar rindo durante um diálogo de algum personagem e aí ficar pensando na história quando tem que, irremediavelmente, largar o livro para fazer outra coisa. Bom, eu posso dizer que não dava para dormir e nem sentir o tempo de viagem até a faculdade. Ler Perdida foi realmente ótimo. E eu me apaixonei a primeira, segunda e terceira vista pela história.
    E o Ian... Ele é tipo... Ai - meu - Deus!Ótimo.
    Eu recomendo essa leitura com certeza.
    Carina Rissi é uma grande escritora e me parece que vai se tornar minha fonte de leitura por um bom tempo.
    Adorei a entrevista.
    Ah! Estou seguindo passos também. A Carina com a entrevista da tia Steph. e eu quando ganhei o livro da Carina. Já tenho três capítulos completos. \o/

    ResponderExcluir
  17. Eu confesso que nunca fui grande fã de muitos autores nacionais, apesar de já ter lido bastante coisa. Acho que nunca realmente me apaixonei por uma história de autor nacional. Sabe? Naquele estilo de não conseguir largar o livro para nada, devorando cada página e esquecendo café e almoço ou ficar rindo durante um diálogo de algum personagem e aí ficar pensando na história quando tem que, irremediavelmente, largar o livro para fazer outra coisa. Bom, eu posso dizer que não dava para dormir e nem sentir o tempo de viagem até a faculdade. Ler Perdida foi realmente ótimo. E eu me apaixonei a primeira, segunda e terceira vista pela história.
    E o Ian... Ele é tipo... Ai - meu - Deus!Ótimo.
    Eu recomendo essa leitura com certeza.
    Carina Rissi é uma grande escritora e me parece que vai se tornar minha fonte de leitura por um bom tempo.
    Adorei a entrevista da Carina.
    Ah! Estou seguindo passos também. A Carina com a entrevista da tia Steph. e eu quando ganhei o livro da Carina. Já tenho três capítulos completos e continuo escrevendo. \o/

    ResponderExcluir