='cap-left'/>

Lançamento/Evento: Douglas MCT - O coletor de armas

Editora Gutenberg segue investindo na literatura fantástica nacional. E se você mora em São Paulo, não deixe de conferir o lançamento de O coletor de Armas...

O Coletor de Almas, novo dark-fantasy de Douglas MCT, apresenta personagens emprestados das mitologias etrusca e nórdica para retratar uma nova história sobre o fim do mundo.


Um mundo fantástico, conhecido como Terra Oca, é o cenário criado por Douglas MCT para o livro O Coletor de Almas, novo dark-fantasy que chega ao mercado pela Editora Gutenberg. Primeiro volume da série “As Viagens da Peregrina do Tempo e da Terra”, o livro conta a história de Larval, um coletor de almas que precisa alimentar Yggdrasil, a árvore-mãe, com energia espectral, porque é ela que fornece o sustento do mundo. E é daí que se desenrola o enredo da obra, carregada de surpresas e de muito terror.

Com personagens inspirados nas mitologias nórdica e etrusca, Douglas MCT narra a história de três protagonistas: a menina Lisa, papel-chave na trama, que após presenciar algo que não devia, começa a ser caçada e sai em uma jornada de fuga e descoberta, que pode mudar os rumos do mundo; Larval, o Coletor de Almas, que é imortal e tem sua alma presa no núcleo central de Yggdrasil; e o Ceifador, um assassino, uma figura triste e atormentada, de propósitos estranhos.

Larval, auxiliado pelo fantasma Bog, descobre que espíritos que vagam na Terra Oca estão desaparecendo, tirando o equilíbrio do mundo, pois não há alimento suficiente para Yggdrasil. A dupla sai numa investigação até os confins do universo, em busca de respostas e soluções. Em outro lugar, Lisa é libertada após anos confinada, ganhando quatro presentes mágicos, entre eles a Estrela das Bruxas. Após testemunhar um plano terrível, que envolve crianças e vampiros, ela começa a ser caçada pela tropa imbatível de Yeshu, um soberano vindo de outra realidade. Enquanto isso, o Ceifador decapita Reis e regentes por motivos egoístas e perturbadores. Mas nem mesmo o ato desses três personagens, que cruzam seus caminhos em um ponto inevitável do romance, pode ser capaz de impedir o fim do mundo.
De acordo com o autor, além de se basear nos contos nórdicos e etruscos, a linguagem dos quadrinhos também teve influência direta neste livro: “eu quis trazer a linguagem de quadrinhos para a literatura. Minha maior - e declarada - influência foi o quadrinhista Mike Mignola e sua obra-prima Hellboy. Você notará uma narrativa mais dinâmica, com velocidade equivalente ao entre quadros das HQs, diálogos baseados em personagens da nona arte e uma fluidez mais louca e veloz, para ler num fôlego só. Você vai conhecer um novo mundo cheio de fantasia e tecnologia, com personagens orbitando ao redor da Árvore-Mãe, cada qual com seu propósito. Você verá como esse mundo acaba. E a graça está justamente em adivinhar quem sobrevive no final.”
A série “As Viagens da Peregrina do Tempo e da Terra” contará com histórias independentes, em um universo complexo formado pela Terra Alta, Terra Central e Terra Oca, onde se passa sua primeira história: O Coletor de Almas.

Douglas MCT Douglas MCT nasceu em Socorro, interior de SP, em 1983, e atualmente reside na capital. Cursou Criação e Produção Audiovisual, trabalhou por uma década como designer gráfico e no momento atua como Redator e Roteirista de games, quadrinhos, animações, filmes e seriados. Escreveu para as HQs da Turma da Mônica e as animações da Galera Animal. É autor da série fantástica Necrópolis e teve contos publicados nas coletâneas Anno Domini (2008), Território V (2009), Imaginários 3 (2010), Sagas 3, Crônicas da Tormenta (2011) e Fantasias Urbanas (2012). Suas primeiras histórias foram premiadas com o Mapa Cultural Paulista em 2001 e 2003.

http://www.necropolissaga.com - http://douglasmct.tumblr.com/

Mais informações sobre os livros da Editora Gutenberg estão disponíveis no portal do Grupo Editorial Autêntica: www.autenticaeditora.com.br ou pelo telefone 0800 28 31 322

* Release da Editora Gutenberg


Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Interessante basear um livro em mitologias, tornam a leitura ainda mais rica.
    Sucesso para o escritor.

    Passando para desejar um bom início de mês!!
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Acho importante que as editoras invistam mais na literatura nacional. Existem excelentes autores nacionais esperando apenas uma oportunidade.
    bjs

    ResponderExcluir