='cap-left'/>

Patrick Rothfuss: O Nome do Vento

Nunca escondi certa preferência por romances e dramas, tanto que, ao clicar em minhas resenhas no Leituras & Devaneios (aqui), todos podem comprovar este fato. Mas, sabem aquele livro que consideramos um achado? O livro de minha resenha de hoje é “O nome do Vento”, é assim, chegou para mim muito bem recomendado, mas como não é meu gênero preferido, li sem grandes expectativas... E agora? Digo apenas não tem preço a satisfação literária de ser positivamente surpreendida! Bora conferir a resenha?

O Nome do Vento
A Crônica do Matador do Rei: Primeiro dia
Patrick Rothfuss

"Já fui chamado de Kvothe, o Sem-Sangue; Kvothe, o Arcano; e Kvothe, o Matador do rei. Mereci esses nomes. Comprei e paguei por eles.(...)
Fui chamado de muitas outras coisas, é claro. Grosseiras, na maioria, embora pouquíssimas não tenham sido merecidas.

Já resgatei princesas de reis adormecidas em sepulcros. Incendiei a cidade de Trebon. Passei a noite com Feluriana e saí com minha sanidade e minha vida. Fui expulso da universidade com menos idade do que a maioria das pessoas conseguem ingressar nela. Caminhei à luz do luar por trilhas de que outros temem falar durante o dia. Conversei com deuses, amei mulheres e escrevi canções que fazem os menestréis chorar.

Vocês devem ter ouvido falar de mim."Página 58


Particularmente – e mesmo achando um tanto Hollywoodiano – eu adoro o recurso da narração retroativa. É assim que “O Nome do Vento” se inicia, diretamente no ‘anos e anos depois’, com o mito já consagrado se propagando mais e mais no boca a boca popular.

Kote é a simples imagem do respeitável e quase invisível proprietário de hospedaria numa pequena cidade da República com seu ajudante Bast, até salvar a vida de um viajante e ser surpreendido por ele ser um famoso cronista, um contador de histórias interessado em sua história. Kote é o Mito Kvothe, é mestre de Bast, que na verdade é um ser... especial. Kote/Kvothe aceita contar a história somente em seus termos: seriam 3 dias e o cronista não poderia modificar uma única letra do que ele lhe narrasse.
Os tempos são difíceis, com as estradas cheias de salteadores, mas também repletas de murmúrios a vento sobre demônios e toda sorte de criaturas improváveis ao credo popular. Para acalmar o coração, as lendas são contadas e recontadas...

Hoje, Kvothe é lenda, mas quando menino também foi impressionável ouvidor de histórias fantásticas: filho de artistas Edena Ruh, foi uma criança extremamente inteligente e versada nas artes da interpretação por seus pais e demais membros da trupe, ele conhecia grandes histórias e peças teatrais, mas sua maior surpresa seria encontrar o Arcano Abenthy e presenciá-lo chamar o nome do vento.
A trajetória de Kvothe foi triste e penosa: Perdeu os pais e toda sua trupe de forma violenta pelo “Chandriano” – assassinos tidos como folclore – e a partir de então sua ambição torna-se descobrir tudo sobre o Chandriano para ter sua vingança. De garoto estimado, passa a órfão e mendingo, vivendo pelos telhados de uma grande cidade e sofrendo todo tipo de privações e conseqüências de se morar nas ruas. A partir dos 14 anos e sem qualquer recurso além de sua inteligência, torna-se aluno da universidade, onde pretende encontrar respostas para todos seus milhares de perguntas.

“(...)Creio que é o que os torna mais assustadores do que o resto dos bichos papões de que ouvimos falar nas histórias. Os fantasmas querem vingança, os demônios querem nossa alma, os trapentos sentem fome e frio. As coisas que compreendemos nós podemos tentar controlar. Mas o Chandriano surge como o relâmpago num céu azul e límpido. É pura destruição. Sem sentido nem razão.” Página 86


O Nome do Vento (Editora Arqueiro/2009 - 656 páginas) é o primeiro livro da trilogia da Crônica do Matador do Rei – É o primeiro dia da narração de Kvothe sobre sua própria história, então não há como deixar de ser que se propõe: uma ótima introdução ao “mundo dos quatro cantos” e às aventuras de Kvothe, ainda um menino que teria muito a amadurecer e a aprender sobre magia.

Algumas pessoas podem comparar Kvothe a Harry Potter, mas não eu vi muita coligação: Kvothe não tinha nenhuma herança mítica a receber, somente dons a desenvolver. Harry Potter aprende tudo aos poucos, enquanto Kvothe é um menino excepcionalmente ótimo em tudo. Isso pode ser um pouco irritante, porque, por exemplo, quando criança Kvothe mantinha diálogos com adultos como adulto, ficando um pouco fora de contexto. Mas, por outro lado, é sua inteligência incomum que fez com que ele se tornasse pupilo do Arcano Abenthy, e lhe proporcionasse os conhecimentos necessários para entrar na Universidade, mesmo após os anos nas ruas.

A vida na Universidade também não é fácil, sempre na penúria e sofrendo provações, despertando atenção por ser o mais ruivo, o mais novo, o mais prodígio, o mais desafiador. Convive com mestres sábios, faz amigos e também inimigos poderosos, além de enamorar-se de uma garota complicada. Os embates de protagonista versus antagonistas rendem ótimos trechos, repletos de humor e surpresas, mas a tentativa de romance é falha e a “mocinha” não despertou minha empatia... quem sabe na sequência? A vingança contra o Chandriano também não se concretiza, e o fim acaba meio que caindo em meio ao vão. Mas estou confiante no livro sequencial, O Temor do sábio, A Crônica do Matador do Rei: Segundo Dia, minha próxima leitura... \o/

Tenho lido, não raras vezes, que, depois de O senhor dos Anéis, todos os livros de fantasia se tornariam cópias obsoletas. Eu gostei demais de ‘O nome do vento’ e, em minha opinião, o livro tem muita personalidade, repleto de quotes belíssimos, e também alguns clichês muito bem trabalhados. Mergulhei no mundo criado, com a mitologia convincente, sistema monetário e calendário próprios, além das intrigantes relações sociais. Os personagens secundários são bons, e alguns dignos de histórias paralelas, gostei especialmente de Auri , Wilen, Simmon ( e Bast, do presente) – Kvothe revela, logo de início, que foi traido, só espero que não seja por nenhum deles!

Li o livro num espaço de 3 dias, sem pular trechos e vidrada da história na qual me vi envolvida. A capa é linda e chamativa, e a edição do livro está ótima, ainda que a fonte seja um tanto pequena. Só senti falta de um glossário ou notas de rodapé, pois fui amarrando algumas pontas soltas ao longo da trama, mas teria sido útil saber quanto do que li é ficção, e quanto realmente existe na química.

A escrita de Rothfuss me pegou de jeito, ora um tanto cruel, ora repleta de poesia e música. Consegui chorar e rir com Kvothe: eu o visualizei perfeitamente como um garotinho sozinho no mundo, com uma missão a cumprir, e me solidarizei com sua causa; mas também o vi como a lenda adormecida de seu futuro e o matador do rei dos dias ainda não revelados. Eu o vi o pretenso vilão e até mesmo como o futuro paladino de seu passado, assim como consegui visualizá-lo como Kote, o simples dono da pousada Marco do Percurso, um homem que guarda o silêncio inquietante dos que esperam a morte, e de quem EU espero grandes surpresas...
Sintetizando, eu classificaria O nome do Vento como “Fantasia Medieval”, que me encantou demais! Mais de 650 páginas realmente... mágicas. Nem preciso dizer o quanto recomendo este livro, certo?

A Crônica do Matador do Rei - Patrick Rothfuss
O nome do vento - Primeiro dia
O temor do sábio - Segundo dia
? - Terceiro dia

Site oficial da trilogia
Site oficial do autor
Patrick Rothfuss no Facebook




Comentários
25 Comentários

25 comentários:

  1. Primeiro que esta capa é sensacional, segundo que só vejo comentários positivos à respeito deste livro. Sua resenha ficou impressionante e já estou com muita vontade de ler.

    Beijos

    Amigas entre Livros

    ResponderExcluir
  2. Eu acho linda a capa desse livro... é um daqueles que eu compraria fácil só pela capa...rss
    Mas pelo jeito a história também é muito boa... fiquei bem curiosa apesar de estar fugindo de livros em série...

    beijos,
    Dé...

    ResponderExcluir
  3. Também dou preferências a livros de romance, mas tenho lido tantas resenhas positivas sobre O Nome do Vento que estou louca para ler. Não sabia que ele tinha mais de 600 páginas e se a narração foi mágica, foi amar!

    Beijos,
    whosthanny.com

    ResponderExcluir
  4. Poxa 3 DIAS?! Rápida, eu to lendo bem devegar *faltando tempo* mas digo, to adorando a leitura... esse Kote é demais!

    Beeijoooss

    ResponderExcluir
  5. Não tinha lido nenhuma resenha sobre esta trilogia, confesso que fiquei bem interessada. Gosto bastante de romance mais do que gostaria de admitir rsrsrs, mas sempre acho que um livro fica mais interessante com um romance no meio ;)

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi Sa,

    Este livro é muitooo perfeito, eu amei. O segundo é ainda melhor, vc vai amar também.

    Eu não esperava nada assim no final, pq sabia que era apenas o "primeiro dia" da historia da vida dele. Então não me decepcionei, mas deixa a gente louca pelo próximo mesmo.

    Eu acho que tem muito épico bom por aí, não costumo fazer comparações. Mas ele se destaca tanto quanto O senhor dos anéis e o agora famoso e excelente A guerra dos tronos.

    bjos

    ResponderExcluir
  7. Oi, Sa.

    Já ouvi falar desse livro há um tempinho e está na minha lista de futuras aquisições. Ainda não comprei porque ando economizando.

    Adoro livros de fantasia. A saga de Harry Potter é maravilhosa. Os filmes mostram apenas uma parte do que é. Leia que você vai amar e um dia seu filho também.

    Achei a história de O NOME DO VENTO bem instigante e estou doida para lê-lo. Quando um livro é bom, não importa o número de páginas, porque eu leria rapidinho também.

    Adoro romances épicos ainda mais com fantasia!

    Valeu pela dica!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Que resenha linda!
    Eu comprei este livro e o Temor do Sábio, mas ainda não li!
    Estou bem curiosa, todos falam muito bem deles!
    É isso, quando eu ler, passarei novamente por aqui ok?
    Bjs,
    @PatriciaADavis

    ResponderExcluir
  9. Bá, tenho esse livro na minha estante, mas ainda não li.. agora vou colocar ele na lista pra ler em breve!!! Pareceu ser bem bom!

    Bjus
    Gisele
    http://www.dicasdelivrosefilmes.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Eu li esse livro faz um tempo já... Eu esperava uma grande aventura cheia de ação, mas no fim, só me cansei para ter lido muita coisa que não disse quase nada --' Nem sei se continuo com a série.

    Beijos,
    World of Carol Espilotro

    ResponderExcluir
  11. Que resenha linda! :D
    Parabéns! Super bem escrita! :D
    Eu acho essa capa linda e sua resenha me deixou com muuuita vontade de começar essa série!

    :*
    Mi
    Inteiramente Diva

    ResponderExcluir
  12. Por que ainda não li esse livro???
    Eu quero!!!
    A capa é linda e eu já li várias resenahs positivas....nenhumatão empolagada quanto a sua, ainda mais por não ser seu genero preferido.
    bjs

    ResponderExcluir
  13. Engraçado, quando vi esse livro na livraria -e confesso, me assustei com o tamanho dele, rs - não imaginei a carga de drama do mesmo, e romance? Sério? Pela capa diria que o livro se resume a fantasia, por isso foi engraçado ler sua resenha, fiquei espantada com minha "capacidade" de julgar livros pelas capas, preciso parar com isso, rsrs. Gostei do nível "místico" e do drama da história!

    Beijos

    Pah, Livros & Fuxicos

    ResponderExcluir
  14. Eu quero esse livro e adorei a sua resenha.

    ResponderExcluir
  15. oi Sabrina!
    Poxa, este livro parace ser lindo demais!
    Eu nunca pareipra realmente ler uma resenha dele, mas devo ter cruazado com a capa em livrarias e até mesmo no skoob.
    Eu também não conheço muito livros de fantasia, o único fantasia épico que li foi o Sr dos Aneis e gostei muito de tudo. Pelo que vc fala na sua resenha deste livro ele parece seguir a mesma linha, mesmo tendo sua personalidade propria.
    Imagina como não seria lindo se este filme fosse adaptado para o cinema? Ai, adorei a resenha, me deixou muito curiosa pelo livro!

    ResponderExcluir
  16. Olá, Sabrina!!
    Adorei a sua resenha!!
    Realmente, em livros que envolvem conhecimentos científicos é imprescindível adotar as notas de rodapé nas páginas, ou pelo menos um glossário no final do livro.
    Não vi muitas resenhas a respeito, mas a sua me fez considerar colocá-lo na lista de desejados. Espero conseguir ler algum dia.
    Bjos.

    Mariana Ribeiro
    Confissões Literárias.

    ResponderExcluir
  17. Sabrina, eu estou lendo esse livro agora, mas em um ritmo muito mais lento que o seu. Entretanto, estou encantada com a história *-*

    Beijos, Nanie - Nanie's World

    ResponderExcluir
  18. Faz tempo que estou com vontade de ler um livro assim. Eu ganhei o segundo num sorteio da editora -.-' hahahahaha. Gigante!!! (se eu não curtir, serve de arma p/ por na bolsa e tacar na cabeça das pessoas, olha que tudo?!) Só vou ler quando conseguir comprar o primeiro, óbvio. (o que não vai demorar mto, com tanta gente adorando o livro).

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  19. Oie =)

    Este livro é realmente gigante!! Tanto que quando o recebi da editora levei um susto rs...

    Estou louca para ler ele logo, mas acredito que ele é daquele tipo de livro que você tem que eler aos poucos para assimilar bem a história.

    Amei sua resenha ♥

    bjus


    anereis.

    mydearlibrary | bookreviews • music • culture
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  20. Sabrina, tô maravilhada com essa resenha. Esse livro deve ser realmente bom! Embora eu não consiga me amarrar em estilo "Harry Potter" e "Senhor dos Anéis", tenho certeza que não vou conseguir desgrudar desse livro quando pegar para lê-lo! A história é bem diferente (ao meu ver) e ainda envolve mitologia e período medieval... Deve ser perfeito! :P Com certeza está na minha listinha, e acho que vou colocar ele num dos primeiros lugares, hein... Mais uma vez, sua resenha tá impecável, acho que é um dos motivos de eu ter ficado louca pelo livro! Beijo grande :)

    ResponderExcluir
  21. Excepcionalmente magnífico é um pouco do que resume este livro. Sério, eu nunca imaginei que ia gostar TANTO de um livro (mentira), mas esse livro é AMÁVEL de verdade. haha
    A história até pode ter alguns clichês, mas sei lá, eu não consigo relacionar ela com nenhum livro, ou algo simplesmente Holywoodiano. O livro é tão bem narrado, o enredo é, sim, muito original, principalmente pela forma como o autor leva a história.

    Gostei muito da sua resenha, e apensar de já ter lido o livro, fez-me bem. xD
    Esperando "O Temor do Sábio" chegar aqui em casa... *-*

    ResponderExcluir
  22. Adoro esse tipo de livro, a resenha também está ótima, adorei o segundo dia e espero ansiosa pelo terceiro.... Pensei que já tinha publicação...
    Vou ser pura ansiedade e recomendo para todos os leitores!
    Abraços

    ResponderExcluir
  23. Li tudo, não sei dizer qual o melhor.
    Recomendo a todos. O segundo, 960 páginas, lí em 2 dias.

    O melhor dos últimos anos (nem reparei na capa

    ResponderExcluir
  24. Sem Sombra de duvidas este livro é excelente. ganhei ele de presente no meu 32º aniversario e ficou esquecido na estante por 1 ano inteiro. Que arrependimento! Li exatos 1 ano depois que ganhei e o devorei em 2 semanas, anos depois comprei o volume 2 O Temor do Sabio e li em 5 dias!

    Sim vale a pena adquirir.

    ResponderExcluir
  25. Tenho certeza que vou gostar muito desse livro, gosto de histórias com fantasia, elas me inspiram e encantam. É ótima a sensação de pegar um livrinho e conseguir viajar horas e horas em sua história e com certeza esse livro faz parte dessa categoria.

    ResponderExcluir