='cap-left'/>

Brian Selznick - A Invenção de Hugo Cabret

Recebi A Invenção de Hugo Cabret há séculos... E quando digo séculos não estou aumentando, creiam em mim!

Tudo que existe de inconvenientes perpetuaram minha leitura:
1) Emprestaram ele sem autorização;
2) Esqueci ele na casa da praia;
3) E, por isto, não pude levar ele na minha viagem de intercâmbio.


Logo eu que estava louca para ler ele!  Havia lido excelente críticas sobre o livro e estava bem na época em que o filme havia saído... 
"Bora" conhecer um pouco mais sobre o livro? 


No início do século XX, precisamente no ano 1931, em Paris vivia um jovem menino de 12 anos, cuja vida já havia sido muito marcada por tragédias.  Hugo Cabret já estava sem mãe quando seu pai morreu.

O pai de Hugo, um relojoeiro, havia descoberto um autômato e por instigação do filho, mas também vontade sua, estava tentando colocá-lo em funcionamento. No entanto, em uma noite que resolveu trabalhar um pouco mais, o museu aonde estava pegou fogo e ele morreu. 



Logo depois apareceu o tio de Hugo para buscá-lo, iria viver na Estação Ferroviária. Sem carinho pelo sobrinho e também não sendo um boa pessoa, seu tio o deixou largado naquele lugar. A única coisa que acalentava a vida do menino era realizar o sonho do pai de colocar em funcionamento o autômato e para isto precisava do caderno de seu pai, pois ali constava vários desenhos que o fariam chegar ao seu objetivo. 

Hugo sabia que não poderia deixar outras pessoas saberem que seu tio havia morrido, afinal, por ele ser pequeno, o levariam para um orfanato e acabaria longe do estranho objeto que tentava arrumar. 

Para azar de Hugo, ou não, o caderno acabou sendo tomado por um senhor, dono da loja de brinquedos do lugar. A teimosia de Hugo não o deixou descansar e várias, várias vezes procurou suas preciosas anotações, contando com a ajuda da sobrinha do velho senhor.


Mistérios, aventura e desenhos maravilhosos perpetuam-se no decorrer da  leitura de A invenção de Hugo  Cabret.  E não se assustem com a quantidade de páginas, apesar de serem mais de 530 o livro possui grande parte de suas páginas com desenhos ricamente ilustrados pelo autor. 

O livro é uma delícia de ser lido, conta com uma narrativa singela e direta, fazendo com que seja bem fluída e de fácil leitura. E os desenhos são perfeitos, um verdadeiro livro de coleção! 


Além de ser um livro famoso por sua qualidade, também é conhecido pelo filme dirigido por  Martin Scorsese, que foi indicado em cinco categorias  ao Oscar! Não preciso dizer mais nada, certo?  Por isto, quando a Editora SM lançou uma nova edição trocou de capa, optando por usar os protagonistas do filme. Eu ADOREI, tenho vontade de comprar esta outra edição, só pela capa! 

Livro super recomendado! 





Comentários
12 Comentários

12 comentários:

  1. Enquanto o livro estava com você há séculos... Há séculos eu quero ter esse livro e lê-lo.
    Todas ascríticas são positivas o que só faz aumentar a minha curiosaidade... tb quero assistir ao filme... ambos parecem ser ótimos.

    bjs,
    Camila Márcia
    @camila_marcia
    De Livro em Livro
    Devaneios Fugazes

    ResponderExcluir
  2. Eu não li o livro, apenas assisti ao filme e achei a história meio doida. Bonita, mas um pouco fora de órbita.
    Apesar disso, ainda tenho curiosidade sobre o livro, pois já folheei uma vez na livraria e achei muito bonito.
    Eu gosto mais da capa original que dessa do filme.

    Beijos,
    Camila Araújo (http://colecionadores-de-historias.blogspot.com.br/)

    ResponderExcluir
  3. Oie!!!
    Quero muito ler ele, pq não gostei do filme, não é que não gostei, achei mais ou menos, mas confesso que assisti sem estar no clima e em casa. Me disseram que no cinema e em 3D é bem melhor...
    Pedi ele de aniversário pro meu marido, vamos ver se ele vai ser simpatico kkkkkkk
    bjoss

    ResponderExcluir
  4. Nossa, eu já tinha visto a capa do filme, mas só consegui associar os dois quando você colocou as duas aqui ;x rsrs
    Por isso mesmo, não conhecia a história... Não fiquei muito curiosa para ler, parece ser interessante, mas estou dando um tempo nos juvenis.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Eu assisti ao filme, e infelizmente não atingiu minhas expectativas, quem sabe com o livro seja diferente né?
    Um beijo.
    http://livrodagarota.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oie
    É um autômato, homem mecânico, e não autônomo que estaria ligado à autonomia..
    Ficou feio né??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sheilla, momento vergonha hahahha Claro que você está certa! Quando escrevi a resenha troquei as bolas hahahah Obrigada por avisar...

      Isto que eu ainda pensei se eu iria explicar o que era...

      Beijos,

      Excluir
  7. O falatório sobre o filme era tanto que quando assisti, estava esperando algo bem mais interessante do que o que eu encontrei, mas acho que não fez bem o meu estilo por se falar sobre a história do cinema, tema que nunca chamou minha atenção dessa forma.
    O livro parece ser lindo, digno de colecionador. O que mais me encantam são as ilustrações, mas depois de já ter assistido, não acho que leria.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Achei fofo demais esse livro. Os desenhos são uma graça e a leitura é bem gostosa. Mas o filme vale mais a pena, porque é filme né! Achei o livro muito pequeno pra terem feito aquele filme...nossa, sei lá, quando li o livro fiquei me perguntando "ué, e isso deu aquele filme?" , mas como tem história real envolvida, foi legal ler. Ah, é bom.

    ResponderExcluir
  9. Oie, Lari!

    Tô me sentindo um ET, não tenho a minima vontade de ler ou assistir o filme, mesmo lendo e ouvindo falar muito bem.

    Beijos e Até o próximo post!
    Lu Apaixonada por Romances

    ResponderExcluir
  10. Eu assisti ao filme e gostei muito. Agora desejo ler o livro para completar as lacunas que o filme deixou. Gostei muito da sua resenha.

    ResponderExcluir
  11. Com certeza o livro é muito melhor. No filme eles mudam personagens e cenas, pra ficar mais visual, mas se perde o melhor... A imaginação!!!

    ResponderExcluir