='cap-left'/>

Sophie Van Der Stap - A Garota das Nove Perucas


Dentre as piores notícios a serem ouvidas, certamente, informarem que você está com câncer é uma das piores. E foi isto que ocorreu com com Sohie Van Der Stap, uma jovem holandesa de vinte e um anos. A Garota das Nove Perucas foi escrito como diário enquanto ela ainda estava no hospital em tratamento,  mas o livro não é apenas um relato da doença... 

É sobre uma jovem que em um momento tão difícil acaba por descobrir sua verdadeira personalidade, com a ajuda de nove perucas... É um de uma jovem que é consolada e consola sua família,  que descobre que seus últimos dias poderiam estar perto. De alguém com o futuro todo pela frente, mas que possivelmente poderia não ocorrer.

O livro é pequeno, todo o relato de Sophie ocorre em menos de 200 páginas.  Ele é direto, visceral, quase cru. 

São pequenos trechos em que ela conta algum fato interessante, uma conversa mais extensa com o seu médico bonitão, com algum amigo, com a família... são trechos em que descreve quando notou que o cabelo caia e a reação de que o tratamento trazia. Nos fala da primeira vez que colocou uma peruca, de como estranho era, mas de como pouco a pouco, através das personagens que criou ao usar cada peruca distinta, foi capaz de lidar por tudo que acontecia.

Ela foi Daisy, Stella, Bebé, Lydia, Uma, Pam, Platina, Blondie e Sue, a Garota das Nove Perucas. Cada dia uma pessoa diferente, mas que no fundo era uma Sophie mais forte.

Para complementar a excelência da obra, palmas a Editora Livros de Safra que fez da orelha do livro uma verdadeira obra de artes!

A Garota das Nove Perucas já foi publicado em 18 (dezoito) idiomas e virou filme, para quem quiser conhece, segue abaixo vídeo de uma entrevista em que a Sophie conta um pouco mais sobre seu livro e o trailler do filme.

Livro mais que recomendado.




Comentários
13 Comentários

13 comentários:

  1. Oi, nossa sua resenha arrepiou. Deve ser muito bom o livro, apesar dos pesares. Eu fico muito sentida com esse tipo de livro por ter tido dois casos de CA na minha família. E nenhum terminou bem.

    Beijos, @_RayPereira
    http://porredelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Li esse livro e adorei! Chorei em váários momentos. Parabéns pela resenha.

    Karol.

    ResponderExcluir
  3. Poxa fiquei curiosa pra ver o q tem de tão artístico na orelha do livro. Pq vc não tirou uma foto?? Parece ser um livro bem interessante, apesar de curto. Triste tbm eu suponho, acho mais fácil eu ver o filme primeiro. Mas bem interessante a premissa, parece ser realmente muito bacana. 18 países tbm não é pouco!

    ResponderExcluir
  4. essa é a primeira vez que leio alguma coisa sobre esse livro. Achei muito interessante a sua resenha e estou com vontade de ler e tirar minhas conclusões.

    ResponderExcluir
  5. Nossa, esse livro deve ser maravilhoso. Imagino que deva ser difícil de ler, mas muito bom. Fiquei bem curiosa em ler ele, especialmente por não ser só uma história, mas sim uma história biográfica. Vou procurar ele agora mesmo.

    ResponderExcluir
  6. Gente, li essa resenha por causa do título e simplesmente amei. Fiquei bem curiosa com tudo que foi retratado e quero muito ler esse livro. Os vídeos atiçou ainda mais o meu interesse e a minha curiosidade.

    ResponderExcluir
  7. Fiquei tão emocionada com a história! Já li outros livros que abonda está doença terrível. Infelizmente já tive a experiência de conviver com está doença e tivemos uma perda imensa em minha vida e de meus familiares. Mas, gosto de livros que transmitam o quando algo tão cruel pode nós dar tanta inspiração para viver e lutar por ela. Mil Bjs

    ResponderExcluir
  8. Eu gosto muito de livros que retratam a vida de uma pessoa quando se está passando por uma situação assim, quero muito ler e ver o filme parece muito bom, são otimas esperiencias de vida e podem acontecer com qualquer um.

    ResponderExcluir
  9. Emocionante, deve ser um livro que você devora de uma vez só, né!

    Grande beijo!

    Tem promo rolando no blog, apareça: http://umamamaeemapuros.blogspot.com.br/2013/07/promocao-tudo-em-papel-de-parede.html

    ResponderExcluir
  10. Um livro não precisa de quinhentas páginas para ser profundo e marcante.

    ResponderExcluir
  11. fiquei muito interessada pelo livro. Interessante ouvir esses relatos de quem sofre câncer e acima de tudo como no fundo ela só queria encontrar sua identidade (?) como todas nós.
    gosto de livros biográficos

    ResponderExcluir
  12. Acabei de ler a resenha e estou arrepiada acho que é porque esse tema nos sensibiliza tanto. Deve ser horrível você saber que talvez não tenha o dia de amanhã e ter que consolar as pessoas que estão ao seu redor também sofrendo. A Sophie está de parabéns porque ela encontrou uma maneira de sentir-se forte mesmo tendo que criar e viver personagens diferentes a cada peruca que colocava.
    geruzadonasc@gmail.com

    ResponderExcluir