='cap-left'/>

Laurie Halse Anderson - Fale!

(...) Você:
Melinda se parece muito com uma garota que conheço
Não, ela se parece muito(comigo)
Sou MelinaSarah
Sou MelindaRogelio sou MelinaMegan
MelindaAmberMelindaStephenToriPhillipNavdiaTiaraMateoKristinaBeth
Ainda dói, mas
Mas
Mas
Mas
Este livro me fez sair da concha
Continua a doer, eu estou bolada, mas
O seu livro me fez sair da concha.
Você:
Eu chorei quando li a história.
Ri quando a li
É uma idiotice?
Eu me senti com a menina –
Sabe, aquele menina.
(...)
Me deu
Asas o livro
Abriu a minha boca
Eu sussurrei, eu gritei
Arregacei as mangas eu
Detesto falar mas
Estou tentando.
Você fez com que eu lembrasse de quem sou.
Valeu.”

Este trecho é do poema Escute!, que a Laurie escreveu e publicou na edição comemorativa de dez anos de lançamento de Fale!, nos Estados Unidos. Somente a primeira e última estrofe são escritas por ela, todo o resto foi escrito a partir de frases e palavras extraídas de milhares de cartas e e-mails por ela recebidos.

Ele termina assim: 
“Eu:
Eu:
Eu: aos prantos.”

Não precisaria continuar a escrever mais nada, certo? Só esta parte demonstra toda a força do livro! Mas, em caso de que isto não o convença caro leitor, continuarei a minha explanação...

S-E-N-S-A-C-I-O-N-A-L. Não há outra palavra que defina melhor Fale!

Sem meias palavras ou rebuscamento, Laurie Halse Anderson consegue, de forma magistral, cativar o leitor. Tanto é que este livro foi lançado há doze anos e desde então vem sendo lido por milhares de pessoas em todo o mundo, tendo inclusive baseado o filme "O silêncio de Melina", protagonizado pela eterna Crepúsculo Kristen Stewart. E para nossa sorte, finalmente, publicaram. Obrigada Editora Valentina pela publicação e pela bela edição!

Melinda, uma jovem americana de treze anos, foi em uma festa de veteranos de sua nova escola secundária Merryweather. Tudo normal, no entanto algo aconteceu que a fez chamar a polícia no meio da festa, fazendo com que vários dos seus colegas fossem presos, por estarem com bebidas alcoólicas.

Uma garota como qualquer uma. Todavia, por um infortúnio do destino sofreu um triste golpe da vida, e sem saber como agir, sem coragem de contar o que lhe fizeram, foi pouco a pouco se reprimindo dentro da concha que criara.

Realista ao extremo, não sabia o que queria da vida, tinha pesadelos sobre o que acontecera naquela noite e, para fazê-la penar ainda mais, perdeu TODOS os amigos que tinha, virando o principal alvo de bullying na sua escola. A única companhia que tinha era Heather, uma garota nova no colégio, que não tinha nenhuma tribo, e por isto tentava andar com ela. 

“Está cada vez mais difícil de falar. A minha garganta ´
ferida, os meus lábios em carne viva. Quando acordo
de manhã, o maxilar está tão contraído que me dá
 dor de cabeça. Às vezes a minha boca relaxa perto de
Heather, quando a gente está sozinha. Sempre que tento
conversar com meus pais ou um professor, balbucio
 ou congelo. O que tem de errado comigo? (...)” p. 67
  
Melinda não era alguém distante, sua dor transpassa pelas páginas, atingindo em cheio meu coração...  O que havia feito de tão mal para que as pessoas nem ao menos lhe perguntassem o porquê de haver chamado a polícia naquela longínqua festa? Nada, mas ninguém quis explicações e ela tampouco tinha coragem de dá-las. Na bem da verdade nem ela havia entendido que não era culpada, que não podia tomar para si o que deveria passar na consciência de outrem.

Uma redoma de cristal e um círculo vicioso resumem o que passou a ser a vida de Mel. Aos poucos foi perdendo a vontade de falar, a vontade de ir para a escola, a vontade de ter amigos. Para quê? Não iriam feri-la novamente? Ficar longe de todos, ao menos, a deixava segura...

Seus pais não entendiam o que estava ocorrendo. Não entendiam e nem queriam compreender!  NINGUÉM! Sozinha estava.

“(...) Abro um clipe e o passo na parte interna
 do meu pulso esquerdo. É patético. Se uma
tentativa de suicídio é um pedido de socorro,
então, isso que estou fazendo é o que? Um choramingo, um ganido? (...)

Minha mãe vê meu pulso no café da manhã;

Mamãe: - Não tenho tempo para isso, Melinda.
Eu:” p. 107

Só algo ainda tinha a capacidade de motivá-la: sua aula de artes. Um projeto de criar uma obra de arte, tendo como objeto uma árvore, a fez, pouco a pouco, expressar seus sentimentos.

“(...) Até o final do ano, terão que encontrar
 uma forma de fazer com que o objeto diga algo, transmita
uma emoção, fale com as pessoas que o observarem” p. 25

Mas iriam escutá-la? Teria a força para falar a verdade?

O início do livro com o poema foi fatal. Chocante, para um lado positivo. Deixa antever tudo que Melinda havia passado, preparando o leitor para as próximas páginas cruéis.

Para amenizar toda esta dor, existem dois contrapontos: o professor meio maluco  e o jovem David, um gênio que não deixa Melinda se afastar dela, apesar dela tentar.

A autora em uma entrevista, publicada no final do livro, admite pensar em uma continuação, mas que o futuro da personagem ainda não apareceu na sua mente. Um dia, quem sabe, Melinda aparecerá novamente. Pode ser algo mais romântico com David, algo sobre o troço tendo o que merecia ou, somente, sobre como ela terminou o ensino médio sem matar alguém. Mas, apesar de ter muito gostado de Fale!, concordo que uma continuação poderia não ter tanto sucesso...

O livro é pequeno, rápido de ler, mas daqueles que ficarão sempre na memória por ser inesquecível.

Um livro atemporal e para todas as idades. "(...) Censurar livros que lidam com os temas complicados da adolescência não protege ninguém". p. 239


Livro MUITO mais que recomendado.

Trecho do Release da Editora Valentina: 

Fale! recebeu o “Altamente Recomendável” norte-americano para leitura escolar. Foi transformado em filme (O Silêncio de Melinda) em 2004, com Kristen Stewart, da saga Crepúsculo, no papel da protagonista.

Fale! é um livro impactante e corajoso, que incentiva a reflexão e o debate. É para ser lido com o coração e, principalmente, relido com a alma.



click to zoom
Mais informações em: 
@EdValentina - Facebook da Editora



Comentários
21 Comentários

21 comentários:

  1. Se antes eu queria o livro, agora eu necessito!!
    Adorei a resenha, bastante explicativa, me deixou ainda mais curiosa com o livro. Estou roendo as unhas de ansiedade

    ResponderExcluir
  2. Já vi esse filme a algum (coloca algum nisso) tempo atrás e me angustiei de ver o sofrimento constante que a menina vive não sei se tenho coragem de ler o livro. Sou dessas leitoras que encarnam o personagem, às vezes, me pego falando sozinha ou tentando uma solução para alguém que não conheço e que nem existe.
    Me lembro que no filme Melinda vive uma amizade com um garoto e não uma menina como no livro e esse garoto ajuda ela a superar o trauma do estupro e erguer a cabeça para aqueles idiotas que se diziam seus amigos.
    Geralmente, o filme é mais fraquinho então acredito que o livro deva ser o máximo porque o filme já era bom.

    ResponderExcluir
  3. Amei o enredo do livro, fiquei com muita vontade de ler, parece bem tocante *.*
    A capa ta linda, depois vou procurar pra ler também.

    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Com esta resenha me convenci de que preciso comprar este livro. Eu não estava dando muita bola para ele, apesar das críticas positivas, mas pelo visto realmente o livro é ÓTIMO, já está na lista!
    Pati

    ResponderExcluir
  5. Com esta resenha me convenci de que preciso comprar este livro. Eu não estava dando muita bola para ele, apesar das críticas positivas, mas pelo visto realmente o livro é ÓTIMO, já está na lista!
    Pati

    ResponderExcluir
  6. Nossa, não conhecia esse livro, mas já amei. Parece profundo, pesado e chocante, mas nem por isso menos interessante e reflexivo. Fiquei realmente interessada por ele e farei o possível para ler.

    ResponderExcluir
  7. Oi Lari!
    Ai meu deus! Preciso começar a leitura desse livro para ontem!!!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  8. Ei Lari,

    Resenha tão forte como o livro aparenta ser, adorei.
    Sabe eu nem tinha pensado em ler, eu gostei de Garotas de vidro, mas nem tanto da narrativa da autora.
    E agora depois da sua resenha preciso comprar. Nem tentei pareceria com a Editora pq andei cancelando algumas por não da conta. Mas este quero comprar, tomara que tenha com desconto na bienal hehe.
    bjs

    ResponderExcluir
  9. Doze anos é muita coisa! Eu amo livros nesse estilo e assim que eu lê-lo vou assistir ao filme; e essa história e mesmo interessante
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. eu já tinha lido em e-book tempos atrás e fiquei surpresa e feliz com a publicação do livro aqui no Brasil. é um livro excelente, intenso, que alguns momentos nos dá uma agonia, é como ficássemos presos a Melinda e sua dor. quem tiver oportunidade leia e assista ao filme que faz jus ao livro, é igualmente ótimo.

    ResponderExcluir
  11. Sou uma pessoa muito aberta quando se trata de livros, gosto de ler de tudo! E já estou apaixonada por Fale, adoro histórias que envolvem adolescentes, festas, problemas familiares, psicológicos. Ao ler sua resenha fiquei encantada com a forma com que Melinda vai começar a se expressar novamente, através da arte, que é realmente uma das formas mais lindas e magnificas que existem!
    http://abcddolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Eu necessito ler esse livro. Já vi o filme e amei. O livro com certeza, pela sua resenha, parece ser bem melhor do que o filme.
    Bjss

    ResponderExcluir
  13. Uau!
    Parece ser um livro maravilhoso e bem intenso, além de forte.
    Espero que seja tão inclassificável como "Garotas de Vidro".
    Muito necessitada de lê-lo.
    Vejo que terei que interceptar o cartão de um dos meus pais. *risos*

    Ótima resenha! ^^

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Esse livro chamou minha atenção logo de cara por ser da mesma autora de Garotas de Vidro, livro que adorei e que mexeu muito comigo, por se tratar de um tema forte.
    Em Fale, acredito que terei a mesma sensação. Achei super importante a autora adotar o bulling como tema da história. Por aí devem existir muitas garotas como Melinda, que passam por esse tipo de constrangimento e que merecem maior atenção, mas que infelizmente não tem.
    Espero ler o livro em breve!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Nunca tive vontade de ler esse livro até que vi a primeira resenha sobre ele, embora sejam de blogs diferentes todos tem em comum os elogios dispensados para esse livro.
    Com isso descobri que não se trata de um livro qualquer, tem uma ótima trama com assuntos polêmicos, escolhas e consequências. Ganhou facilmente um lugar na minha lista de desejados.

    ResponderExcluir
  16. Ultimamente ando vendo muitos livros, em diversos blogs e a priori, nenhum me chamou muito a atenção. Esse livro foi um deles. Obviamente não devemos julgar um livro sem nem ao menos ler a resenha ou ver a opinião de quem o leu. Sendo assim, resolvi me informar e confesso que despertou meu interesse. Adoro livros que me prendem, que emocionam, que são intensos e aparentemente esse livro transmite essas sensações ao leitor. Enfim, futuramente irei lê-lo.

    ResponderExcluir
  17. É o tipo de livro que eu adoro. Um bom drama, com crescimento da personagem principal, mesmo que o tema seja forte e a situação profundamente emocionante. Muito triste saber que muitas meninas estão assim, caladas, acuadas, sofridas. Precisamos prestar atenção a isso, denunciar. São marcas que jamais se apagarão. Abusos físicos e psicológicos são inaceitáveis e cruéis.
    Quero me encantar com Melinda e sua história e acompanhar sua superação.

    ResponderExcluir
  18. Esse livro é muito desejado por mim para uma leitura devido a temática. Está em minha lista de leituras e sua resenha só reforçou isso.

    ResponderExcluir
  19. Quero muito muito ler esse livro!
    Desde o lançamento eu estou muito curiosa.......
    Esse poema é demais mesmo!
    Adorei a resenha...fiquei com mais vontade ainda de lê-lo o quanto antes!

    ResponderExcluir
  20. Nossa, ela mandou todo mundo pra cadeira na festinha da escola ? o.o Eu acho que ja comecei a me interessar só por ter lido essa parte, e depois a resenha me fascinou! é um pouco triste, já que não parece nada facil a vida dessa menina, mas eu fico pensando na luta dela, então me interesso pra caramba! Curti bastante o livro e quero lê-lo!

    ResponderExcluir
  21. A capa do livro é linda e isso conta pontos comigo (na maioria das vezes).
    O tema é forte e eu li críticas ótimas sobre o livro.
    Confesso que não é o tipo de livro que leio, mas quero dar uma chance. Li também sobre um outro livro da autora, Garotas de Vidro, que também parece bom. Ótima resenha!

    Beijos!

    ResponderExcluir