='cap-left'/>

Marina Carvalho - Simplesmente Ana


Ana Carina nunca conheceu seu pai... Conforme sua mãe lhe contara, quando jovem ela foi para a Inglaterra fazer intercâmbio, lá havia conhecido um estrangeiro de Krósvia, os dois namoraram e foram felizes, mas quando ele soube da gravidez a abandonou.  Garota normal, estudante de Direito – ou seja, não normal (risos) -, ela estagiava, tinha uma grande amiga e um rolo com o gato do Arthur.

Quando um senhor de sobrenome esquisito, mas que muito se assemelhava com sobrenomes do leste europeu, mandou uma mensagem via facebook dizendo ser seu pai. Ana sentiu-se estupefata por descobrir a mentira que rodeava sua vida, ainda mais ao descobrir que seu pai era um REI!

Contudo, Ana não se revoltou com a mãe e nem fez cenas dramáticas, ela a amava muito e não se ressentiu com a falsidade que a afastou do pai. Instigada por sua família e a grande amiga, Ana aceitou conhecer Krósvia e ter um contato maior com seu pai. Por isto, sorte dela que era fluente em inglês e que grande parte das pessoas falava inglês, já que lá a língua oficial era o Krosvi.

Ela era uma PRINCESA! Princesa. Encontraria um príncipe? Não, ela já o seu: Arthur! Os dois combinaram que, quando ela voltasse, iriam conversar sobre o que realmente era o relacionamento dos dois.

O castelo era lindo. O país belíssimo, seu pai afável e até tinha alguém para ajudá-la a conhecer Krósvia. Tudo perfeito? Não. Alexander, o enteado de seu pai era um pé no saco, apesar de lindíssimo!


"Alex parecia um deus grego. Como eu não notara isso da primeira vez? 
Talvez fosse a roupa. De calça jeans desbotada e rasgada
 na coxa, botas marrons e camisa de malha
 demarcando seus músculos peitorais - Jesus, 
que tórax era aquele? -, ele estava de para o trânsito. 
Senti-me obrigada a admitir que o cara uma coisa
 e tinha um corpo muito apetitoso. (...)" p. 49

"Procurei não dar atenção ao encontro de nossas mãos, unidas 
pelo único propósito de me guiar até onde Alexander pretendia me levar.
 Mas qe aquele contato inesperado mexeu com meus nervos, ah, mexeu. 
Afinal, sou mulher, sou humana e tenho hormônios. 
Ninguém em meu lugar ficaria indiferente àquele modelo de testosterona, 
tão másculo, tão charmoso e lindo. Ele podia ser o cara mais irritante 
do mundo, mas ainda assim sabia ser gostoso.

Enquanto me puxava, reparei no movimento de suas pernas 
e até um pouquinho mais acima, bem no... Bom, melhor 
não dizer nada. Porque chega ser falta de educação 
aquilo tudo numa pessoa só." p. 65

Um relacionamento conturbado inicia-se, ele parecia desconfiar dela e não aceitar que não queria nada além do amor de seu pai.


Já não dizia o velho que: entre o amor e ódio existe um liame muito pequeno?
Um conto de fadas torna-se realidade.

Quando o livro foi lançado achei interessante a sinopse e a capa belíssima me atraiu, ou seja, lombrigas literárias acordaram e falaram: eu quero. Todavia não focaram muito neste livro, afinal existe um mar de opções para as lombrigas literárias...

Contudo, somente depois de ter lido Ela é uma fera da autora, comecei a surtar para ler o livro! Estava MUITO ansiosa, as ditas lombrigas estavam todas alvoroçadas.  E não ficaram decepcionadas, apesar de que indubitavelmente o livro poderia ser melhor.

Simplesmente Ana é um romance bem especial, com um ótimo bom humor e um enredo atraente.  A narrativa também é bem interessante, fluída e dinâmica.  Confesso que no meio do livro senti que o ritmo decaiu um pouco, fazendo com que perdesse levemente o encanto tão ardoroso que estava sentido, mas nada que comprometesse o resultado final do livro: excelentes horas de entretenimento.

Quanto aos protagonistas, não há como deixar de afirmar que são bem construídos, a narração em primeira pessoa possibilitou conhecer os medos, anseios e paixões de Ana, de forma inequívoca, fazendo com que um elo entre leitor e personagem fosse facilmente criado. Alex – momentos para suspiros – também merece aplausos, em que pese achar que no final ele merecesse um pouco mais de ênfase, havendo mais enfoque também em seus sentimentos.

Tenho que destacar que li vários e vários comentários que falando que o livro é cópia escarrada de O diário da Princesa da Meg Cabot. Minha opinião? Está longe de ser. Apesar de os dois partirem da mesma premissa, as protagonistas serem filhas de reis até então sem saberem, as protagonistas são bem diferentes e ambas passam por situações nada iguais. É como falar que todos os livros que se passam em Escola/Acampamentos de sobrenaturais/vampiros sejam cópia dos livros da Richelle Mead – nem sei quem escreveu algo deste tipo primeiro, é só um exemplo.

Sem sombras de dúvida virei fã da Marina Carvalho, ela demonstrou estar mais que preparada para ser um dos destaques do selo nacional da Novo Conceito.
Livro mais que recomendado.



Mais informações em:
Site Oficial Marina Carvalho
Comentários
6 Comentários

6 comentários:

  1. Muita gente falando bem pra caramba desse livro :D
    Quero ler sim *--*

    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Li algumas resenhas e comentários sobre esse livro e até agora só li coisas positivas. Gostaria muito de ler e tirar minhas conclusões. A capa do livro é muito legal.

    ResponderExcluir
  3. Gente esse livro é uma delicia de se ler!
    eu adorei e recomendo a todos, ti muito e fiquei apaixonada pelo Alex, é uma leitura que vale muito a pena!

    ResponderExcluir
  4. Confesso que quando li por alto na net que se tratava de uma garota que descobriu ser parte de uma realeza, pensei logo em Diário de uma princesa e desisti até de ler até a sinopse....mas, ai minha amigas começaram a falar maravilhas sobre o livro..então, resolvi dar uma chance e procurar resenha sobre ele...Me arrependi de não ter procurado antes..srsr...a cada resenha que leio só aumento minha vontade de ter o livro...e sua resenha fechou com chave de ouro esse desejo louco de comprá-lo..vai pra lista dos mais desejados urgentemente..srsr

    Parabéns pela resenha..está excelente.

    ResponderExcluir
  5. kkkk morri com as lombrigas literárias!! É bem assim que eu me sinto menina! Pois é esse povo fica comparando e acaba por não aproveitar a leitura do livro. Sim, as vezes as coisas vão se repetir mas depende da forma como a autora vai escrever. Adorei a resenha.

    Bjs
    http://www.partesdeumdiario.com/

    ResponderExcluir