='cap-left'/>

Diana Peterfreund - Caçadora de Unicórnios: A Ordem da Leoa

Caçadora de Unicórnios - A Ordem da Leoa” é o primeiro livro da série Killer Unicorns, da autora Diana Peterfreund, lançado no Brasil pela Galera Record. A primeira coisa que me chamou a atenção no livro foi o título, pois sempre que pensava em unicórnios visualizava um animal místico fofo. No entanto, nesse livro as coisas não são assim. Os unicórnios, na verdade, são seres malvados, que adoram sangue e que possuem um veneno que é mortal para a maioria dos humanos.

A protagonista do livro é Astrid, uma jovem de 16 anos que ainda é virgem; algo que é meio absurdo para os padrões norte americano. A garota é filha de Lilith, uma mulher que aos olhos de todos é louca, pois acredita ser descendente de guerreiras virgens matadoras de unicórnios e que sua filha está destina a ser uma também.

Claro que Astrid também acha que sua mãe não é normal, até porque unicórnios não existem. Será? Logo ela descobre que sua mãe sempre esteve certa.
Quando estava de "pegação" com Brandt - seu ficante - o garoto é atacado por um unicórnio e por pouco não morre. Ele sobrevive graças a um antídoto que Lilith possuía, algo poderoso e antigo que há muito tempo não se encontrava.

Depois desse acontecimento, a vida de Astrid vira ainda mais de cabeça para baixo. Sua mãe cisma em mandá-la a Roma para viver no Clausto, um lugar onde ela será treinada para ser uma caçadora de unicórnios, destinada a salvar a humanidade desses seres malignos.

Os unicórnios passaram muito tempo desaparecidos e muitos pensaram que eles tinham sido instintos, porém eles começam a ressurgir e provocar o caos. Agora Astrid e outras meninas – entre elas sua prima Phil que resolveu se juntar ao grupo por livre e espontânea vontade, mas sem pensar em obedecer regras – terão que treinar bastante para serem capazes de matar esses seres do mal.

Para matar um unicórnio, a garota tem que ser virgem e descente de alguma família que possui o poder de exterminá-los. Elas são as únicas a suportarem o veneno do unicórnio e que conseguem ver o animal; eles não são muito visíveis aos olhos dos humanos “normais”. Os unicórnios parecem se sentir atraídos pelo status de virgens dessas garotas. Se elas deixarem de ser virgem, se tornam mais uma forma de alimento dos unicórnios (sim, eles comem pessoas).

Entre essas garotas também se encontra Cory - uma fanática por matar unicórnios - sobrinha Neil (um gatinho que queria que tivesse mais destaque no livro), o Don, que é a pessoa responsável por administrar o Clausto e cuidar das garotas guerreiras.

Quem recebe todo o destaque da história é Bonegrinder, um unicórnio jovenzinho e o animal de estimação do Clausto. Ele não é tão bonzinho, mas foi domesticado para conviver entra as meninas. Sua espécie parece ser a única que serve para animal doméstico.

O cenário da história é maravilhoso. Meu sonho é conhecer Roma (na verdade toda Itália). 
A autora criou uma história interessante usando até fatos históricos verdadeiros, como a história de Alexandre, O Grande, para explicar a mitologia. Lembram do Bucéfalo, o cavalo de Alexandre? Ele, na verdade, não era um cavalo e sim um unicórnio que ajudou o cara a conquistar várias terras.

Como não podia deixar de ser, temos a presença de um pretende para Astrid: Giovanni, um estudante de arte, muito lindo e maravilhoso que arranca suspiros da protagonista. Vamos dizer que ele é uma tentação muito grande para Astrid.

No geral achei a história boa e interessante, principalmente por usar como vilão um ser que sempre representava algo bom nas outras histórias que li. Sempre vi os unicórnios como animais fofos e mágicos.

Fiquei um pouco irritada, em algumas partes, com a Astrid. Achei-a meio fraca e submissa as ordens que os outros davam. Ela dizia o tempo todo que não queria ser guerreira e sim trabalhar com medicina, mas não fazia nada para mudar sua situação. Também não fui muito com a cara de Phil. Não sei o motivo, até porque vi que muita gente gostou dela.

Senti falta de uma ênfase maior para o Neil; o cara é interessante e quase não aparece na história. Espero que ele receba mais destaque nos próximos livros.
Recomendo!

                                  Série Killer Unicorns

 



click to zoom
Mais informações:


Comentários
3 Comentários

3 comentários:

  1. A primeira vista esse livro não me interessou, mas depois que vi que ele seria lançado no Brasil, me informei mais sobre ele e me interessei, principalmente por ele ter sido escrito pela Diana Peterfreund <3 o livro já está na minha lista de desejados. Ótima resenha!

    ResponderExcluir
  2. De inicio esse livro havia me interessado muito, afinal amo unicórnios, e ainda mais mostrando esse lado deles de malvados. Mas, até o momento não li uma resenha dizendo que o livro é algo de se prender. Estou um tanto decepcionada.

    ResponderExcluir
  3. Ei Lu

    Primeiro, FELIZ ANIVERSÁRIO HAHAHA. Um pouquinho atrasado, ontem eu não deixei recado no face pq ia te ligar a noite, ai cheguei tarde do inglês e esqueci completamente. :P

    Estou lendo este livro. Estou gostando, mas ainda não sei se vou adorar hehe. Gosto do mote, da narrativa da autora, e gostei da Phil rs. Mas a Astrid me irrita tbm, ela é muito birrenta, e ainda tem muita coisa estranha na historia que estou esperando explicarem. Vamos ver como termina. ^^^

    bjs

    ResponderExcluir