='cap-left'/>

Logan Belle - A Bibliotecária

image

“A Bibliotecária”, da autora Logan Belle, foi lançado esse ano no Brasil pela Editora Record. O livro é mais um onde o sexo toma conta das páginas, chegando ao ponto de nem ter história, apenas duas pessoas agindo como “coelhos”. Não tenho nada contra cenas explícitas nos livros, acho até legal, porém o que não curto é quando as autoras só se prendem as cenas de sexo e se esquecem de contar uma história.

O livro se centra em Regina, uma recém-formada em biblioteconomia, que se muda para Nova York a fim de realizar seu sonho de infância: trabalhar na Biblioteca Pública de Nova York. Ela é uma moça tímida e virgem que viveu a vida toda na barra da saia da mãe. Agora que se mudou para a cidade grande resolve manter distância de sua progenitora, chegando ao ponto de não ter um celular para não ter que conversar com ela.

Claro que a vida dela não chega a ser como ela sonhou. Sua chefe, Sloan, não liga se Regina se formou com boas notas e a coloca para trabalhar na área de retiradas de livros, sendo que a mocinha queria mesmo é a área de arquivos.

Regina divide o apartamento com Carly, uma garota rica e sustentada pelos pais, que sai com qualquer homem que seja bonito. Ela é apaixonada por um cara que não quer compromisso e, por isso, sai dormindo com qualquer um.

A vida de mocinha “pura” de Regina muda quando ela conhece o milionário (é claro, nunca os mocinhos são pobres) Sebastian Barnes - o responsável por dirigir a biblioteca onde ela trabalha devido a família sempre ter sido generosa com doações. Ele também é fotografo de modelos, lindo, sexy e o cara mais desejado da cidade (que novidade).

Os dois se conhecem quando se esbarram na escadaria da biblioteca e, é claro, rola uma química. Depois Regina acaba surpreendendo Sebastian fazendo sexo em uma sala com livros raros, com uma mulher qualquer. A bibliotecária acaba ficando interessada no estranho – ela não sabia quem ele era – e nos dotes dele para o sexo selvagem.

Sebastian também gosta da garota, até porque Regina lembra muito Bettie Page, a Rainha dos Pin-Up. Ele resolve ter Regina para si e também quer apresentar um pouco do mundo BDSM para ela. Claro que a bibliotecária cai nas garras do sedutor e os dois iniciam uma relação bem quente, onde Sebastian acaba com todas as inibições de Regina.

“A Bibliotecária” é mais um livro das levas de eróticos que tentam explorar a prática BDSM. Como disse acima, eu curto livro do tipo, mas chega até ser um pouco cansativo só ter livros assim lançado.

Há muito romances ótimos por aí e muito deles não tem nada de BDSM. Acho bacana explorar o estilo de vida dos praticantes, porém não é preciso só lançar livro assim. Vamos diversificar um pouco, por favor? Há tantos romances históricos e contemporâneos que não abordam o tema e são ótimos. Eles mereciam ser publicados aqui. Os fãs mereciam ter esses livros publicados no país. EU MEREÇO.

Infelizmente, esse é mais um livro que aparenta ter sido escrito apenas para suprir a demanda. A escrita não é muito boa, a história é fraca e os personagens não conquistam.
Não me encantei por Regina, que a meu ver é uma personagem muito egoísta e péssima filha por ignorar a mãe. Sei que a mulher é sufocante, mas é a mãe dela e sempre fez de tudo pela filha. Já Sebastian, apesar de ter o estereotipo típico de mocinho de romance (milionário, lindo, sexy, o cara que todas querem, etc...) também não se destaca.

Não vou falar para ninguém ler, até porque o que não me agrada pode agradar o outro. Se você curte histórias com bastantes cenas eróticas, onde a história só gira em torno disso, então leia.

Mais informações em:
Site autora

Comentários
7 Comentários

7 comentários:

  1. Ganhei o livro de uma amiga e sinceramente ODIEI. Concordo plenamente com a resenha. História fraca, personagens fúteis e lamentavelmente publicado por uma grande editora que poderia ter dado espaço para romances melhores e com tramas mais elaboradas. Infelizmente depois do sucesso de Cinquenta tons de cinza, o mercado editorial achou que qualquer livro abordando o assunto deveria ser considerado. NÃOOO recomendo.

    ResponderExcluir
  2. Os comentários que tenho visto sobre esse livro não tem sido dos melhores. Na verdade, ando TÃO CANSADA disso de BSDM, viu. Parece que as editoras só publicam isso, né? Concordo totalmente com isso de diversificar.

    bjs!

    Thaís

    ResponderExcluir
  3. Esse livro não faz muito meu estilo.

    Bjus
    http://infinitoparticulardoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Até acho que a premissa encanta, mas a do romance, não em si a parte erótica, até porque eu não gosto. Se tivesse menos erotismo, provavelmente a história seria bem mais desenvolvida.
    Pela sua resenha, imagino o terror que seria para mim ao ler esse livro. Já não gosto do tema, ainda mais mal escrito. Ninguém merece ler um livro que berra "estou suprindo a demanda do momento!!!"

    Gostei da sua resenha, bem explícita e sincera. Até porque não comprarei o livro com a ideia de que, mesmo com erotismo, pode ser bem escrito (o ambiente bibliotecário encanta! rs)

    Beijo,
    Mell Ferraz
    blog http://www.literature-se.com/

    ResponderExcluir
  5. O bom da resenha de vcs é que fiquei tentada por esse livro, mas se tem mais sexo do q história... Bem, aí perde a graça.
    Bom saber!
    Bjos

    ResponderExcluir
  6. Estava querendo muito ler esse livro, mas não havia lido a sinopse, depois descobri que era erótico e simplesmente não aguento esses livros de só sexo ou sadomasoquismo e nada a passar. Então desanimei.

    ResponderExcluir
  7. Oi Lu,

    Infelizmente nem todos livros adultos possuem uma trama mais elaborada e cai naquela mesmice chata e entediante. Nada contra livros eróticos, mas poxa, custa escrever uma história coerente concomitante ao gênero? A capa e o título era tão atraente, mas vou deixar passar ^^

    Beijos!

    ResponderExcluir