='cap-left'/>

Cassandra Clare - Princesa Mecânica

Queridos leitores, a resenha de hoje é de uma leitora convidada muito especial: Bruna Britti, do Supreme Romance (blog mais do que recomendado). O livro da vez é de “Princesa Mecânica”, da autora Cassandra Clare. Para conferir as resenhas dos outros livros da série, é só clicar AQUI

Quando pensei em ler a série Os Instrumentos Mortais, não estava preparada para encontrar uma trilogia que retratasse uma história tão intensa. O primeiro livro não me fisgou de início, mas resolvi que continuaria a série; com isso fui envolvida numa das melhores histórias do gênero Young Adult. Em Príncipe Mecânico, fiquei apaixonada pelo enredo recheado de fortes emoções em uma trama com um ritmo intenso, e um conflito envolvendo um triângulo amoroso com personagens encantadores e complexos. Agora, no terceiro livro da trilogia, Princesa Mecânica não somente trouxe os mesmos elementos que me conquistaram no segundo livro, como foi além e superou todas as minhas expectativas. Encantador, divertido, doce e muito triste, a história foi um verdeiro baque emocional.

O livro possui uma carga sentimental intensa. Princesa Mecânica é, sobretudo, uma história triste. Utilizando-se de um tom quase poético, o retrato da morte é um dos principais temas abordados sob a ótica da fantasia. Discussões sobre reencarnação, a passagem da alma e temas interligados foram bem trabalhados e inseridos no contexto da trama. A morte é um coadjuvante que conduz às emoções e os conflitos mais intensos de cada personagem. Will, por exemplo, é movido neste livro pela busca incessante de trazer à Jem, em seu leito de morte, a última vontade de seu parabatai. É arrebatador os sentimentos e a devoção que Will nutre pelo seu amigo e seu irmão – o que consiste na tal relação denominada – ; seu afeto e sua jornada por Jem conseguiram me levar às lágrimas diversas vezes. Há um momento na história onde é impossível não se emocionar com o sofrimento do personagem.

A saúde frágil de Jem permeia uma atmosfera melancólica. Não somente o personagem inspira compaixão, como os acontecimentos presentes na trama envolvem sentimentos de dor e perda. A história fala sim de esperança, de amizade no sentindo mais profundo, mas também de sacrifícios e sofrimentos. Princesa Mecânica misturou elementos que se encaixaram perfeitamente, sem que um se sobressaísse ao outro. O caráter e o aspecto emocional de cada personagem, a trama centrada, assim como as cenas de ação de tirar o fôlego – características estas presentes em todos os livros –, foram fundamentais para a construção de uma história impactante.

Os personagens são bem estruturados e cativantes. O triângulo amoroso – artifício esse do qual sou avessa –, foi um dos poucos que me conquistaram. Will e Jem são encantadores, sofríveis e apaixonantes. A relação entre eles com Tessa é algo muito especial. Mais do que um simples romance, a conexão dos personagens é tão intensa que o dilema comum envolvendo esses triângulos – que geralmente se resume a qual personagem a protagonista vai ficar -, é quase imperceptível na trama. A mera disputa romântica é deixada em segundo plano; o foco maior é a relação de afeto e companheirismo que nutrem um pelo outro. Porém, admito que, por mais que eu entenda a visão da autora, não posso dizer que tenha gostado do resultado final. Não que a história não garanta o final feliz, mas sim porquê a autora vai além dele. O pós-final feliz é doloroso. Triste, de apertar o coração e levar às lágrimas mais uma vez.

Cassandra Clare judiou de seus leitores nesse livro, mas concluiu a trilogia com chave de ouro. Chorei, me emocionei, ri e torci com os personagens. A minha dica é: leia e se emocione, pois é uma história marcante e um dos melhores Young Adults que li. Princesa Mecânica entra para a lista dos melhores deste ano.

Série "As Peças Infernais" (The Infernal Devices)

1 - Anjo Mecânico (Clockwork Angel)
2 -  Príncipe Mecânico (Clockwork Prince)
3 -  Princesa Mecânica (Clockwork Princess)

Mais informações:

image
Comentários
6 Comentários

6 comentários:

  1. Eu tenho vontade de ler esses livros parece ser legal, e como eu adoro os instrumentos mortais, com certeza vou gostar desse.

    http://momentocrivelli.blogspot.com.br/2014/03/resenha-tempestade-solar.html#more

    ResponderExcluir
  2. Eu ainda não li porque quero primeiro terminar Os Instrumentos Mortais, não gosto de misturar assim. Eu só escuto maravilhas sobre essa série e estou louca para ler.
    Parabéns pela resenha, ficou fabulosa e bem detalhada.

    http://worldbehindmywall.fanzoom.net/

    ResponderExcluir
  3. Sabe que eu tenho lido intercalado livros mais densos com livros leves, geralmente youns para aliviar um pouco os entremeios de livros mais pesados. Acho que esse livro seria um pouco mais denso, né? Gosto de livros assim (ou filmes, séries, animes), que fazem aqueles sentimentos guardados virem á tona só para doer um pouquinho.... Obrigada pela dica, já sabemos o que esperar :D

    ResponderExcluir
  4. Esse livro é muito bom... Intenso, apaixonante... Gosto muito deese gênero de leitura. Tenho que concordar que a Cassandra Clare judiou mesmo de nós meros leitores. kkk

    ResponderExcluir
  5. Esse livro é muito bom... Intenso, apaixonante... Gosto muito deese gênero de leitura. Tenho que concordar que a Cassandra Clare judiou mesmo de nós meros leitores. kkk

    ResponderExcluir
  6. Ainda não li Os Instrumentos Mortais, mas tenho muita vontade de ler e esta trilogia também está na minha lista. Acho as capas lindas e o enredo é muito interessante, gostei da sua resenha deste volume e adorei saber que apesar de ser uma estória bem melancólica, é linda e cativante e recebeu um final com chave de ouro, é sempre bom conhecer séries que acabam bem! Fiquei com mais vontade ainda de ler e, claro, me emocionar também! :3
    beijos ♥

    ResponderExcluir