='cap-left'/>

Z. Stefani - Insufferable Proximity

Insufferable Proximity”, da autora Z. Stefani, é daqueles livros que você não dá nada pela capa, que sendo bem sincera é feia. Mas como recebi indicação falando que era bom, resolvi dar uma chance ao livro e li. Não me arrependo.

Temos aqui dois personagens turrões, arrogantes, extremamente inteligentes, muito bons no que fazem e que não medem esforços para conseguir o que querem. Essas pessoas são Julian King e Heaven Sevigne Deville.

Heaven é uma advoga de alto nível de apenas 26 anos que trabalha em uma das mais conceituadas empresas do país, o Escritório de Advocacia King. Ela é filha de uma mulher muito rica, Sybelle, que é nada menos que dona do bordel mais famoso da região. Devido a crescer em meio a esse mundo, ter passado por um pequeno trauma e ver constantemente cenas fortes demais para uma criança – mesmo sua mãe e tia fazendo de tudo para afastá-la dessa vida -, Haven acabou desenvolvendo uma aversão aos homens, ao sexo e também a sua beleza, por isso vive tentando escondê-la atrás de roupas largas para ver se assim afasta os homens e os mantém a respeitando como uma grande advogada. Ela também não é a pessoa mais amada no local onde trabalha.

Julian King é lindo, sexy, muito rico, a simpatia em pessoa e um excelente advogado, por isso continua trabalhando no Escritório onde o pai é o maior acionista. Ele também é um viciado em sexo e não consegue se manter afastado das mulheres e elas muito menos dele. Nunca teve um relacionamento sério, frequenta locais onde inibições não existem (tudo é permitido) e não quer apenas uma mulher.

O que Julian e Heaven (que não gosta de ser chamada assim, prefere Sevigne) têm em comum? Eles são ótimos advogados e praticamente lendas onde trabalham, por isso é que são os fortes concorrentes para ser o novo sócio do Escritório de Advocacia King. Eles também são capazes de praticamente tudo para conseguirem o que querem. E é devido a ser capaz de completamente tudo para alcançar seus objetivos que Heaven faz a maior burrada de sua vida: invade o escritório de Julian no meio da noite e apaga seu projeto para conquistar a sociedade. O que Heaven nunca imaginou é que Julian possuísse uma câmera escondida no seu escritório, e que gravaria ela colocando um vírus em seu computador para destruí-lo.

Julian não ficou com ódio do fato, muito pelo contrário, ficou exultante, pois agora tem uma prova para chantagear a mulher com a qual já brigou várias vezes e que ele odeia. Heaven é também a mulher que Julian vem desejando há tempos, mas que nunca pode ter, pelo menos até agora.

Heaven fica nervosa e com medo de ser denunciada ao seu chefe por Julian. Porém Julian apresenta a ela duas opções: 1ª ela assina um contrato (em branco) de trinta dias onde será totalmente de Julian, sendo que ele poderá fazer com ela o que bem entender, e ela terá que obedecê-lo completamente; 2ª ela não aceita o acordo e ele a denúncia e Haven perde sua licença de advogada e o emprego.

Ela sabe que escolher a primeira opção é suicídio, mas a segunda destruirá o que ela sempre quis ser. Só resta a Heaven embarcar numa aventura as cegas com seu arqui-inimigo. Esses 30 dias reservam grandes momentos e também situações não muito boas, pois existe alguém a espreita vigiando-os e fará de tudo para acabar com esse segredo e expô-lo ao mundo.

“Insufferable Proximity” é daqueles livros que tem um começo meio chato, então você ou é perde a paciência e desiste de ler ou insiste e acaba se surpreendendo. Eu continuei e me deparei com uma deliciosa história com personagens ótimos.

Julian e Heaven não são o casal perfeito e muito menos pessoas boas, muito pelo contrário, a autora os retratou de modo bem realista, então temos personagens que fazem coisas boas, coisas ruins, que as vezes fazem o que necessário para alcançar seus objetivos, etc...

Julian, aliás, me lembra um pouco do Drew (Tangled – Emma Chase), pois os dois são bem safados e arrogantes (risos). Mas não é só isso, não sei explicar, acho que é porque as autoras os retrataram de modo bem natural e não floreando suas personalidades. Julian, assim como Drew, não é um cara bonzinho, o “Príncipe Encantado”.

Heaven tem uma personalidade forte, é uma mulher independente que sabe o que quer e corre atrás. Ela é virgem, apesar dos vinte e seis anos e ser criada num ambiente onde o prazer reina, e achei que a autora conseguiu demonstrar bem os motivos que Heaven tem para se afastar dos homens.

No livro a autora também explora bastante o ambiente de um escritório de advocacia, demonstrando como há tanto ciúmes e inveja do sucesso dos outros. Temos secretárias que falam mal das advogadas e advogados, falam mal uma das outras, criam intrigas e fofocas, etc... também mostra como os próprios advogados tentam ferrar com os outros.

O romance é muito bom, gostei bastante dos “30 dias” que Julian e Heaven passaram juntos, a forma como ela vai se abrindo para a sua feminilidade e o sexo, assim como ele vai começando a desejar apenas uma mulher ao invés de dormir com outras mil. Os personagens secundários são ótimos também, principalmente Sybille e Coco (mãe e tia de Heaven); os amigos de Julian, as meninas do bordel, o pai de Julian, etc...

O livro também tem um suspense, que no começo parece ser algo apenas para não deixar a histórias ser apenas um romance, mas que desenvolve bastante no decorrer das páginas. Me surpreendi com o que acontece.

Super recomendo o livro que, aliás, tem uma continuação. Espero que um dia lancem esse livros por aqui.

p.s: leiam apesar da capa feia.

Série Insufferable Proximity
Insufferable Proximity #1
Insufferable Proximity #2

Mais informações em:
www.zstefani.com
Comentários
4 Comentários

4 comentários:

  1. Posso pedir por onde você lê esse livros mais desconhecidos? To com a sensação de que lemos pelo mesmo site HAUSHUAHSUHAUHSUA Adoro resenhas de livros que não foram lançado aqui no Brasil, como muitas outras que você já fez!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nu.

      Devemos ler pelos mesmo lugares mesmo, kkkkkk.

      Leia esse livro sim e o próximo. Também achei seria chato, mas acabei amando.

      Beijos.

      Excluir
  2. Ahh, e acabei nem dando minha opinião. Eu comecei lendo esse livro, pq no começo achei ele meio fraquinho, depois da sua resenha ele me interessou mais que antes *-*

    ResponderExcluir
  3. Oi gostaria de saber aonde encontro esse livro, se for em ebook melhor ainda. Estou louca pra comprar.

    ResponderExcluir