='cap-left'/>

Kiera Cass - A Herdeira

A HerdeiraSinopse: Vinte anos atrás, America Singer participou da Seleção e conquistou o coração do príncipe Maxon. Agora chegou a vez da princesa Eadlyn, filha do casal. Prestes a conhecer os trinta e cinco pretendentes que irão disputar sua mão numa nova Seleção, ela não tem esperanças de viver um conto de fadas como o de seus pais… Mas assim que a competição começa, ela percebe que encontrar seu príncipe encantado talvez não seja tão impossível quanto parecia.

Nome Original: The Heir
Ano de publicação: 2015
Editora: Seguinte
Número de Páginas: 392
Nota: 3/5

“A Herdeira”, da autora Kiera Cass, é o quarto livro da Série Seleção, lançado no Brasil pela Editora Seguinte. Como a sinopse já deixa claro, a história se passa vinte anos após os acontecimentos dos três primeiros livros, estes que infelizmente não li, mas se tratam sobre os pais da protagonista desse novo livro. O fato de não ter lido os três primeiros livros da série me fez um pouco de falta sim, pois muitos personagens importantes dão as caras aqui, então teria sido bom já conhecê-los. Porém, se você não tiver lido pode ler sem problemas, porque não ficará tão perdido no enredo.

A protagonista da vez é Eadlyn, a filha mais velha do Rei Maxon e da Rainha America. Ela é a futura rainha de seu país, Illéa, e a primeira mulher que terá o controle do trono por sucessão, e isso se deve ao fato de ter nascido alguns minutos antes de seu irmão gêmeo, Ahren. Desde criança Eadlyn é treinada para ser a Rainha e lidar com os deveres e responsabilidades que o título trazem consigo. E é devido as suas responsabilidades que ela embarca numa seleção, sendo que dessa vez serão 35 garotos concorrendo ao título de consorte e marido da futura rainha.

No decorrer de “A Herdeira”, a autora vai nos mostrando como é o dia-a-dia e a personalidade da protagonista que, confesso, achei meio chata por ser arrogante e se achar demais por causa do lance de futura rainha. Não simpatizei muito com a Eadlyn, mas busquei compreende-la, afinal uma Rainha tem que mostrar firmeza. Porém ela não precisava ser tão fria e se sentir superior aos “humildes” cidadãos de Illéa.

Eadlyn não aceita a seleção muito bem, pois ela não acredita que precisa de um marido ao seu lado para ajuda-la a controlar seu país. Contudo, por pedido do pai ela é obrigada a encarar a seleção, uma vez que o país enfrentam várias revoltas e o povo precisa se distrair e ter esperança de um bom futuro. Não vou entrar muito em detalhes quanto ao que gera a revolta, porque seria um grande spoiler dos livros anteriores, mas posso dizer que tem a ver com uma medida implantada por Maxon e America com o intuito de melhorar a vida no país, o que não agradou a todo mundo.

A princesa então encara a seleção com raiva e faz pouco caso dos garotos, entretanto, à medida que vai conhecendo alguns dos garotos mais profundamente - inclusive Kile, filho de uma amiga de America que mora no castelo e que também participou da seleção anterior - Eadlyn vai se abrindo mais para a possibilidade de encontrar alguém especial como seu pai encontrou.

Como disse acima, um dos candidatos da seleção é Kile, um rapaz de dezoito anos que cresceu junto com a princesa, mas ambos nunca foram próximos e o evento foi uma oportunidade de se conhecerem melhor. Kile é um fofo e, confesso, torço para que ele seja o “escolhido”. Contudo, há outros personagens apaixonantes, como Henri e Hale, que também seriam ótimas escolhas de marido.

O livro é legal, mas não fez me apaixonar. É bacana ver que a autora trouxe de volta vários personagens dos livros anteriores, o que me fez ficar com vontade de conhecer a história de amor de Maxon e América. Os irmãos de Eadlyn deixam a história bem agradável, pois são fofos e divertidos. Vou continuar a série e ler os anteriores para conhecer mais sobre a família da princesa. Recomendo, pois é uma leitura agradável. 

Série A Seleção:
01 - A Seleção
02 - A Elite
03 - A Escolha
04 - A Herdeira

Mais informações:
  



Site da autora: http://www.kieracass.com/

Comentários
1 Comentários

Um comentário:

  1. Oi, Lu!

    Ainda não li nenhum desses livros, mas, obviamente, já ouvi falar demais deles. A maioria das coisas que ouço são positivas, justamente por ser uma série de livros bem leve, romântica, mas creio eu, não tão melosinha.

    Me disseram que lembra um pouco Jogos Vorazes.

    Enfim, sobre este livro, pela sua resenha deve ser daqueles que você lê só para entretenimento mesmo. Não gera sentimentos muito profundos, rsrs.

    Até mais,
    ser-escritora.blogspot.com/

    ResponderExcluir