='cap-left'/>

Gail McHugh - Tensão

Tensão
Sinopse: Após a morte da mãe, a vida de Emily Cooper vira de cabeça para baixo. Ela precisa de um novo começo, e Dillon Parker, seu namorado, a convence a se mudar para mais perto dele a fim de passarem mais tempo juntos. Em Nova York, Emily arranja um emprego temporário como garçonete em um restaurante no centro de Manhattan. Ao sair para fazer uma entrega logo no primeiro dia de trabalho, ela esbarra em Gavin Blake, um empresário sexy e bem-sucedido. Assim que seus olhares se encontram, há uma tensão no ar, mas nenhum dos dois consegue entender ou explicar essa forte conexão. Atormentada, Emily tenta não pensar muito naquele desconhecido que mexeu tanto com ela. Porém, ela descobre que Dillon e Gavin são amigos e que terá de conviver com ele muito mais do que poderia ter imaginado. Perdida em sentimentos confusos, Emily sente o desejo por Gavin crescer e se tornar mais ardente a cada vez que se encontram. Será que os dois vão resistir à tensão ou se entregar a essa paixão, apesar de todas as consequências?

Nome original: Collide
Ano de publicação: 2015
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 336
Nota: 1/5

“Tensão”, da autora Gail McHugh, é um livro que daria tudo para ser uma ótima história. Daria. Com uma escrita fraca, situações previsíveis e personagens pobres, “Tensão” entra para a lista de livros que conseguem subir ao topo unicamente pelo marketing. É, ao menos, a única explicação cabível para uma história cheia de furos e de exageros, que se repetem exaustivamente ao longo do livro. Gail McHugh tinha uma ótima ideia em mãos, mas não soube trabalhar os elementos de sua própria história.

Narrado em terceira pessoa, “Tensão” conta a história de Emily, namorada de longa data de Dillon. Emily acaba de perder a mãe para o câncer, e decide ir em busca de novos rumos para sua vida. Com a ajuda do namorado, ela se muda para Nova York, na casa de uma de suas melhores amigas. Olivia fala o que pensa, e por isso não hesita em deixar claro que sempre detestou Dillon e suas atitudes machistas, mas o atura em respeito a Emily. Já esta nem imagina que sua vida tranquila ao lado do namorado estaria prestar a mudar drasticamente.

Quando Emily consegue um emprego numa lanchonete, não tinha ideia que se apaixonaria por um dos clientes do local. Tampouco imaginaria que este cliente é Gavin, ninguém menos que um dos amigos mais próximos de Dillon. O que começa com encontros casuais se transforma em uma paixão silenciosa que nenhum dos dois consegue fugir. Porém, há o dilema: Emily seria capaz de deixar a culpa de lado, de abandonar o amparo de Dillon para se jogar nos braços de Gavin? Ela seria capaz de ser sincera consigo mesma quanto a quem ela queria?

As primeiras páginas permeiam um ritmo agradável e promissor, mas Gail McHugh não demonstra habilidade para sustentar a história por muito tempo. Após introduzir os personagens, o que resta é uma ladainha sem fim de “chove não molha” protagonizado por Emily e Gavin. Cada encontro dos dois abre um espaço para descrever sensações repetidas em demasia; “falta de ar”, “coração disparado”, “boca seca” e uma variedade de outros clichês , mas não vamos muito além de um punhado de palavras repetitivas que não consegue transmitir qualquer emoção de fato. Graças a escrita fraca, aos exageros e a uma trama totalmente previsível, ainda que a autora consiga a proeza de enrolar trezentas e tantas páginas, “Tensão” deixa a história com uma incômoda sensação de que tudo soa artificial.

Após algum tempo, fica claro a ideia principal: falarmos sobre relacionamentos abusivos. Enquanto Emily se corrói em culpa por ter desejos por Gavin, a personagem também sofre nas mãos do namorado, que não hesita em abusar do psicológico frágil da moça. Mas aí reside outro problema: Emily é tão ingênua e cega aos caprichos machistas de Dillon, que ao invés de sentirmos compaixão pela personagem e de nos inteirarmos da importância do tema – o abuso –, o que se destaca são as decisões erradas e estúpidas da personagem – muitas inclusive chegam a insultar a capacidade do leitor de tão forçadas. É difícil encontrar algo em Emily que gere alguma simpatia.

“Tensão” é uma história que prometeu muito e não cumpriu nem metade. Uma história que se vista sob a ótica de um romance de banca, dos mais fraquinhos, lido despretensiosamente, talvez agrade. Algumas passagens até chegam a entreter, especialmente quando Gavin e Emily chegam as vias de fato. Porém, para um livro que vendeu mais de 400 mil cópias, “Tensão” deixa muito a desejar. A continuação, “Pulsação”, é segmento da história do ponto onde ela parou, e, por enquanto, ainda não tem data de lançamento definida.


Mais informações em:
image     
Comentários
1 Comentários

Um comentário:

  1. Fiquei animada com a sinopse mas logo compreendi pela sua resenha porque o livro foi decepcionante: muitos autores tem uma ideia ótima mas se perdem em clichês. Provavelmente foi o que aconteceu com esse livro.

    ResponderExcluir