='cap-left'/>

Colleen Houck - O Coração da Esfinge

O Coração da Esfinge
Sinopse: Lily Young achou que viajar pelo mundo com um príncipe egípcio tinha sido sua maior aventura. Mas a grande jornada de sua vida ainda está para começar. Depois que Amon e Lily se separaram de maneira trágica, ele se transportou para o mundo dos mortos – aquilo que os mortais chamam de inferno. Atormentado pela perda de seu grande e único amor, ele prefere viver em agonia a recorrer à energia vital dela mais uma vez.
Arrasada, Lily vai se refugiar na fazenda da avó. Mesmo em outra dimensão, ela ainda consegue sentir a dor de Amon, e nunca deixa de sonhar com o sofrimento infinito de seu amado. Isso porque, antes de partir, Amon deu uma coisa muito especial a ela: um amuleto que os conecta, mesmo em mundos opostos.
Com a ajuda do deus da mumificação, Lily vai descobrir que deve usar esse objeto para libertar o príncipe egípcio e salvar seus reinos da escuridão e do caos. Resta saber se ela estará pronta para fazer o que for preciso. Nesta sequência de O Despertar do Príncipe, o lado mais sombrio e secreto da mitologia egípcia é explorado com um romance apaixonante, cenas de tirar o fôlego e reviravoltas assombrosas.

Nome Original: Recreated
Ano de publicação: 2016
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 368
Nota: 3,5/5

“O Coração da Esfinge” é o segundo livro da série Deuses do Egito da autora Colleen Houck, publicado no Brasil pela Editora Arqueiro. Acompanhamos mais uma vez o amor transcendental de Lily e Amon, este que foi bastante esperando por mim. Terminei a leitura do primeiro livro toda afobada querendo saber o que aconteceria com o amor desses personagens maravilhosos.

A sinopse do livro já revela muito dos fatos. Lily achou que nunca mais veria o amado Amon, afinal “viu” ele morrer, por isso achava que os sonhos e pesadelos com ele era apenas uma forma de seu subconsciente lidar com a perda. Porém, quando partiu desse mundo, Amon não voltou para o lugar onde aguardaria até que tivesse que ressuscitar para salvar novamente o mundo.

Agora, Amon está no mundo dos mortos onde enfrenta vários monstros terríveis que o odeiam bastante e tudo que ele representa. Mas ele prefere está ali e, quem sabe, um dia ter a chance de rever seu verdadeiro amor, do que ficar aguardando, novamente, o tempo em que salvará o mundo para deuses que não lhe o devido valor.

Enquanto Amon sofre por amor e tentativas de assassinatos, Lily sofre por amor, mas pensa que o amado está bem. Contudo, logo ela recebe a presença de um grande deus que lhe informa que Amon não está nada bem, e que os sonhos de Lily são na verdade visões do que realmente está acontecendo com o príncipe.

Lily é intimada (e vai de boa vontade) a salvar Amon do mundo dos mortos e convencê-lo a voltar para o seu devido lugar, pois o mundo não está completamente a salvo. Porém, humanos não podem ir para o mundo dos mortos, então ela terá que se tornar algo diferente para poder chegar ao amado. Eis que Lily deverá se tornar uma esfinge, mas essa tarefa não será fácil e poderá leva-la a morte.

Os desafios e riscos são muitos, porém Lily aceita tudo em prol do amor. E ela contará com ajudas poderosas e amigáveis nesta jornada para salvar Amon e o mundo do caos. Claro que nada será fácil e a jornada será extremamente perigosa.

“O Coração da Esfinge” foi um livro muito esperado por mim e por vários motivos. Sou apaixonada por mitologia egípcia, além disso, Amon e Lily são personagens muito interessantes que atraíram minha atenção. O enredo do primeiro também garantiu que eu continuasse a trilogia.

O problema da minha vida com os livros é ir com muita sede ao pote. Como amei o primeiro, esperava o segundo livro espetacular, porém isso não aconteceu. A história é muito interessante, afinal Colleen Houck é uma grande escritora. Contudo, ela deixou Lily muito irritante e também uma pessoa que não agia conforme a situação. Lily estava completamente calma com tudo que acontecia e isso é muito nada a ver, afinal a vida dela estava em risco.

Outra coisa que odeio é triângulo amoroso. Odeio mesmo e isso é uma coisa sem necessidade em histórias. Quando o enredo é bom e não fica só em cenas de romance, não há necessidade de colocar fatos inúteis na história. Triângulo amoroso tira meu amor pelas histórias. Então, a autora deu-me a sensação de um possível quadruplo amoroso (sim, pior ainda) e isso não gostei. Espero realmente está enganada e ela não me venha com essa chatice no último livro da trilogia.

Foi muito bom ter uma participação maior de Asten e Ashmose, irmãos de Amon. Eles são personagens incríveis que gostaria que tivesse seus próprios livros. Também temos a presença de Doutor Oscar, Anúbis, Ísis, Maat e Amon-Rá. Eles trouxeram mais vida ao livro.

Então, no geral o livro é muito bom, o problema mesmo é a chatice de um possível quadruplo amoroso e o fato de eu ter esperado mais da história. Como é uma trilogia, quero ver como Colleen irá resolver todas as questões em apenas um livro, mas creio que ela sairá bem.

Quanto à capa, a Arqueiro arrasou. É baseada na original e agradeço a Editora por manter as capas bonitas aqui no Brasil. É um livro que compraria só pela capa. Recomendo a leitura, vale a pena.

Série Deuses do Egito:
02 - O Coração da Esfinge
03 - ??

click to zoom
Mais informações em:
   
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário