='cap-left'/>

Cammie McGovern - Contato Visual

Suspirei de alívio e soltei um “Uauuuu” pasmo, enquanto pousava o livro sobre a cama e esfregava os antebraços, procurando desfazer o arrepio que tomou conta do meu corpo inteiro quando uma carga de emoção irrefreável levou lágrimas aos meus olhos... Foi assim terminei a leitura de “Contato Visual”, novíssimo lançamento da Editora Novo Conceito.


Contato Visual

Cammie McGovern

Uma mãe é chamada à escola onde é informada que seu filho autista está sumido. Fato relativamente comum, mas logo descobrimos que há muito mais por traz disso: outra criança sumiu junto com ele, uma adorável menina e única amiga que o garotinho fez em sua breve existência especial.

Ela é encontrada morta. Ele, vivo. Ela foi a vítima. Ele, a testemunha. Um crime que choca, que provoca a opinião publica e pede solução imediata...

Logo todos na escola estão em polvorosa. Adam pouco pode ajudar, e tem uma regressão, se fecha dentro de si ainda mais e mais, quanto mais e mais os investigadores tentam sondá-lo. Um livro com vários personagens centrais num objetivo de descobrir as verdades através de quaisquer sinais não verbais que o pequeno Adam possa deixar transparecer. Concomitantemente a essa trama de assassinato, somos levados a conhecer a formação de Cara, mãe de Adam: sua fase escolar, adolescência, fatos que a levaram à maternidade e sua luta diária pra conseguir inserir o filho na vida, garantir a felicidade dele.

Quando iniciei o livro tudo começou a fluir de uma forma tão... mágica – eu diria – que foi impossível deixar a leitura de lado. Vertiginosamente...
Eu tinha a impressão que, se parasse, não conseguiria descobrir a verdade.
Se parasse, os “investigadores” (policiais, mãe da criança e um aluno de 13 anos) também parariam tudo, e nada seria descoberto.
Mas talvez, se eu parasse, eles continuariam sem mim, o que seria inconcebível.
Se eu parasse, o fofo Adam poderia se encontrar em perigo novamente...

Primeiro livro que li da autora Cammie McGovern,e digo que me impressionei demais com ela. Contato visual nos leva além das concepções adultas sobre crianças, além de quaisquer conhecimentos sobre o autismo, desmistificando o filme “Rain Man” (que, inclusive, é mencionado no livro) como referência.
A autora entra nos pensamentos do menino! Confiram no trecho abaixo transcrito o “depoimento” de Adam na delegacia.


"Os sons estão em toda parte e são numerosos para que Adam os distingua. O zzzzzzzzzzzzz das luzes, o tchitchita, tchitchita da máquinas de cópias que encontrava e na qual se fixava, porque adorava máquinas copiadoras. Adora o papel que aparece magicamente dos lábios cinza e é depositado um uma língua dura, quadrada e limpa, um retângulo branco pousado sobre um cinza.
Ele ia olhar, mas não se atreveu. Não consegue mover o corpo porque se mexer não é seguro, ele se lembra agora, e deve lembrar-se para sempre. Ele precisa ficar sentado aqui e tomar cuidado com os joelhos, com a calça, e conter os braços. Essas partes ele ainda tem. O rosto pode ter sumido, ele ainda não sabe, não tem coragem de procurar com as mãos.

Há um telefone tocando, um lápis escrevendo, a roda de uma cadeira fazendo um barulho estridente, alguém mascando chiclete. No corredor, há o assobio dos canos atrás de um bebedouro de metal na direção em que iria se pudesse se mexer, mas não pode.
Também há gente conversando, ele acha. Ali mesmo, em volta dele.
Não dá para acompanhar o que estão dizendo, então nem tenta. Mas o silêncio deles é duro e o deixa nervoso. Ele se preocupa, deveria dizer algo para preenchê-lo.
“Você tem de responder”, sua mãe, às vezes diz. "Você pode dizer ‘não sei’.”
Ele podia dizer não sei. Ele ouve o próprio nome. Pensa: eu não sei. Mas nada vem, sua boca não se mexe, porque tem quase certeza de que seu rosto deve estar sumido. Ele não sente nada, nenhum cheiro, não consegue abrir os olhos e ver. Tudo o que consegue fazer é ouvir cada som." Página 33

O mundinho dele... Lendo o breve aparte na orelha da contracapa, me inteirei de que Cammie McGovern é mãe de um autista. Sim, isso explicaria, no mínimo, metade das emoções que senti com o livro; a outra metade deixo por conta de sua genialidade.

Um livro denso, eu descreveria, que dosa na medida certa um fictício suspense com informações e descrições tão fundamentadas, que assustam pela impressão de veracidade que passam sobre o universo autista em muitas nuances. Os pensamentos insondáveis de uma criança presa dentro de si mesma e os sentimentos de todos os envolvidos num assassinato inexplicável; o cotidiano de uma escola como milhões de tantas outras... o Bullying e como crianças podem ser cruelmente sádicas.
Todos esses ingredientes que citei sem duvida levam o leitor do riso ás lágrimas, da ternura ao ódio; e elevam esse livro ao patamar de “O melhor livro que li este ano de 2010.”

Recomendo sem medo de errar! Qualquer que seja o estilo literário do leitor, esse livro tem a capacidade de se encaixar em todos.

Sinopse da contracapa:
Enquanto as crianças brincam no playground de Woodside Elementary School, dois alunos, uma garotinha e um garoto, desaparecem, sendo vistos pela última vez atravessando o campo de futebol em direção ao bosque atrás da escola. As horas passam e então apenas um deles, Adam, um garoto de nove anos com autismo, é encontrado vivo, a única testemunha de um assassinato incompreensível. Verbal apenas nos melhores dias, Adam recua em seu mundo silencioso que Cara, sua mãe, conhece muito bem. Com a comunidade em choque e seu filho incapaz de ajudar na investigação policial, Cara tenta decifrar os enigmáticos acontecimentos.

Quando outra criança desaparece, a mãe de Adam percebe que só ela pode acabar com o silêncio do filho e interpretar as mudanças no comportamento de Adam não apenas para ajudá-lo a superar o trauma, mas também para ajudar a polícia a capturar o assassino. E assim que ela se aproxima da verdade, seu passado inquietante começa a surgir das sombras. Em uma tentativa desesperada de proteger seu filho da vida real, ela teme que isso possa ter tornado o mundo dele um lugar mais perigoso.

Um romance excitante de suspense psicológico sobre um crime que golpeia o centro de uma comunidade pequena, a comovente trama de Cammie McGovern é, sobretudo, uma história poderosa sobre a delicada e complexa ligação entre uma mãe e seu filho autista.


Comentários
24 Comentários

24 comentários:

  1. Já comecei a ler este livro.. Acho que vou gostar também! rs. Bjo.

    ResponderExcluir
  2. Nossa, depois dessa resenha... eu é que fiquei falando uau...rss
    Parece ser muito bom... esse vai para a listinha...

    beijos,
    Dé...

    ResponderExcluir
  3. Humm
    Me interessei bastante por esse livro!!!
    Para ser ótimo e surpreendente.

    Quero ler.

    ResponderExcluir
  4. Realmente esse livro me pareceu super interessante. Mistura vários elementos!Gosto disso,vou procura-lo!

    ResponderExcluir
  5. WOOOOOW!! Do jeitinho que eu gosto :)
    Adorei sua resenha!
    Bj

    ResponderExcluir
  6. Nossa, amei.
    Esse espero receber da Novo Conceito e já to ansiosa para ler.
    Amei a resenha!

    ResponderExcluir
  7. Uau, fiquei curiosa!
    Show a resenha!

    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Deve ser fantástico o livro. Vou leeer *-*
    Amei a resenhaaa =)

    =**

    ResponderExcluir
  9. Nossa! Adorei sua resenha!
    O livro parece ser denso e marcante.
    Parabéns de novo pela resenha.
    bjokas

    ResponderExcluir
  10. Adorei a resenha e me interessei muito pelo livro...agora quero ler rs.. Parabéns pela resenha. Bjsss

    ResponderExcluir
  11. Nossa adorei...
    Uma história diferente e instigante...
    Já tinha visto a capa, mas não tinha lido a sinopse.
    Gostei... Vou colocar na minha lista de leituras!!

    ResponderExcluir
  12. Só o titulo ja faz a gente quere pegar o livro pra ler...
    Mas depois dessa resenha, chega dar formigamento nos olhos para ler hueheuheue

    ResponderExcluir
  13. Nossa Sabrina, adorei a resenha! Adoro romances policiais e se esses tem um toque a mais melhor ainda. Esse vai para a minha lista de futuras aquisições com certeza!

    bjos

    ResponderExcluir
  14. Oi, Sabrina.

    Recebi esse livro ontem e fiquei impressionada pela sinopse.

    Tem tudo para ser um grande sucesso!

    Comecei a ler e ele está arrebatando-me de tal forma que é difícil explicar.

    A história é maravilhosa, emocionante e, ao mesmo tempo, tocante!

    Mal posso esperar p/ concluir a leitura!

    Parabéns pela ótima resenha, você disse tudo o que o livro nos transmite, apesar de ser um tema denso e profundamente marcante, ele tem o dom de mexer com as nossas emoções.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  15. Parece ser muito BOM o livro. A sua resenha tá ótima. beijinhos e parabéns pelo sucesso do blog!

    ResponderExcluir
  16. Que bela resenha. Parabéns.

    Mayara

    ResponderExcluir
  17. Vai ter promoçaum? Querro gqanhar

    ResponderExcluir
  18. Caramba, quanta empolgação! Me interessei pela resenha... vai para a minha lista :)

    ResponderExcluir
  19. oi Sabrina.
    Adorei a sua resenha.
    o livro parece ser muito bom.
    =*

    ResponderExcluir
  20. Ótima dica Sabrina. É bom ter dicas de livros diferentes, fora do circuito das "modinhas" das editoras.
    Muito obrigado...ja pus na minha estante!

    ResponderExcluir
  21. Nossa Sabrina ... assim você me convenceu, excelente a resenha - vai para lista de compras.

    :)

    ResponderExcluir
  22. OI Sa!
    Esse livro é a minha cara. Adoro livros densos e intrigantes.
    Sua resenha só me deixou mais curiosa. Está perfeita.
    Bjs

    ResponderExcluir
  23. uau.. esse livro parece mesmo ser muito bom.. quero muito ler =)

    ResponderExcluir