='cap-left'/>

Michael Thomas Ford - Jane Austen " A Vampira"


Segundo a sinopse da orelha... Jane Austen não morreu!
A autora de Orgulho e Preconceito e outros clássicos do século XVIII vive discretamente numa cidadezinha no interior dos Estados Unidos: é dona de uma livraria e fica muito frustrada por não receber direitos autorais pelo sucesso de suas obras nem das paródias inspiradas nelas. Mudou de nome para Jane Fairfax e sobrevive há 233 anos depois de ser mordida por um vampiro, o lorde Byron.




Jane Austen – A Vampira
Michael Thomas Ford


É assim que iniciamos a leitura desse delicioso romance, com uma sensação de “Haã? Como assim? Jane Austen, vampira? Coisa de doido...” Essa sensação persiste no decorrer da trama, até que engatamos no ritmo gostoso que a escrita de Michael Thomas Ford tem, e passamos a ver o vampirismo apenas como um detalhe (???) que propicia situações de inegável humor á trama.

Mais de dois séculos depois de sua morte, Jane Austen vive uma vida comum de dona de livraria, e tenta publicar um manuscrito que é rejeitado por mais de 180 anos consecutivos. A autora de grandes clássicos, sem o peso de seu nome real, se vê com as mesmas dificuldades de qualquer cidadão normal, como a luta para pagar as contas no fim do mês, as indecisões de um relacionamento em potencial... enfim, leva uma existência comum até que seu ex-amante-criador aparece, querendo-a de volta. Quase ao mesmo tempo em que seu manuscrito finalmente recebe um sinal de interesse, lorde Byron (Aquele mesmo, o poeta!) começa suas manobras para reconquistar nossa escritora!

Entre um amor terno e cômodo versus um ex-amor duvidoso, que acabou de forma abrupta... Qual será a escolha de Jane Austen – A Vampira?


O livro é uma graça, encontramos diversas alusões
às obras da autora, então vale destacar a excelente pesquisa do autor... De forma despretensiosa, Michael Thomas Ford consegue trazer, para a realidade de seu livro de ficção, análises comparativas para a sua Jane Auten/ Jane Fairfax. Leiam esse trecho de um diálogo entre a assistente/amiga/funcionária/confidente Lucy e Jane, sobre o “namorado” humano e o ex, vampiro:

(...) “Quem mandou você criar o Sr. Darcy? Ele é o ideal de toda mulher, Jane. De alguns homens também. Que homem pode viver à altura disso?”
“Você está me acusando de impossibilitar um homem de viver à altura de uma imagem?”
“Sim, Jane. Não negue isso.”
“Eu nego, Lucy. Ele é apenas um personagem de um romance.”
Apenas um personagem? Apenas um romance?” Lucy localizou um exemplar de orgulho e preconceito e o agitou no ar. “Este é o maior romance já escrito.”
“Você não é a primeira pessoa a dizer isso”, Jane disse, ruborizada, tentando parecer modesta.
“Confie em mim, Jane. Não conte nada para Walter. Ao, menos, não antes de vocês casarem.”
“Casarem? O que faz você achar que vou casar com ele?”
“Eu li seus livros. É exatamente como um deles.”
“Como assim? Nunca escrevi a respeito de um vampiro na minha vida.”
“Esqueça a coisa do vampiro”, disse Lucy. “Nos seus livros, a mocinha conhece um homem encantador e de bom coração, que adora ela, mas que ela acha um pouco chato.”
“Não, senhora”
“Sim, senhora”, afirmou Lucy. “Mas tudo bem. Por outro lado, ela também conhece um cara incrivelmente sexy, mas totalmente mau, que ela não consegue tirar da cabeça.”
“Continue”, pediu Jane. Agora que Lucy tinha chamado a atenção para o fato, Jane teve de admitir que seus livros eram realmente assim.
“Bem, em algum momento, ela acaba percebendo que o cara bonzinho é um companheiro muito melhor para ela. Então, no fim, eles se casam”, concluiu Lucy. Página 154

Com uma escrita simples e coesa, num ritmo muito gostoso, o autor nos carrega tão suavemente pela trama, que antes mesmo de darmos conta, ooops, o livro acabou! Mas restam arestas e, sinceramente, eu gostaria demais de ler uma sequência, quem sabe outra autora surgida dos confins da literatura?

Ao que consta, nosso taradíssimo Lorde Byron fez o favor de desvirtuar (e vampirizar) um número infindável escritoras... Nesse primeiro livro foi a vez da neurótica Charlotte Brontë, irritadíssima por seu livro Jane Eyre não ser tão aclamado como Orgulho e preconceito.
Mesmo sem Jane saber, elas estavam em uma disputa surda que perdurava durante séculos, ao menos para Charlotte Brontë... Qual livro é o melhor???

Quando o The Journal of Words elaborou a lista dos cem melhores romances escritos em inglês, vocês sabem que Orgulho e Preconceito ficou em décimo segundo lugar?” Ela parou de andar e fuzilou Jane com o olhar. “E você sabe em que lugar ficou Jane Eyre?”,perguntou. Ela olhou para os quatro, um após o outro, mas ninguém respondeu. “Em qüinquagésimo segundo lugar!”, gritou. “Quinquagésimo segundo! Depois daquela paródia pornográfica intitulada Lolita!” ela proferiu o nome do título como se fosse um veneno. “Depois de Huckleberry Finn! Depois de Ulisses. Vocês já tentaram ler Ulisses alguma vez? Vocês terminaram de ler alguma vez? Não, não terminaram. Ninguém nunca terminou.”
Lucy pigarreou. “Se me lembro, O morro dos ventos uivantes ficou em vigésimo nono lugar.”
“Esse é de Emily!”, Charlotte disse, furiosa.
“Se isso é uma disputa entre Austen versus Brontë, Emily e Charlotte estão no mesmo time”, afirmou Lucy, de modo defensivo. Página 290

Finalizando... Não posso deixar de comentar sobre a estética da edição desse livro publicado pela Editora de Lua de Papel, que é um colírio para os olhos sonhadores de qualquer leitor: Uma foto brilhante e em cores vivas destoa na fosca cor de carne da capa, as três primeiras páginas são negras onde destacam-se os títulos em branco. Há desenhos semelhantes a riscos de lápis num tom grafite, que prevalece nas laterais de todas as páginas do livro aparenta, olhando-se o livro fechado, que suas laterais são negras. Isso tudo confere todo um estilo gótico muito caprichado e condizente com a proposta do livro.
Se você gosta de livros bem humorados onde tudo pode acontecer certamente vai gostar de Jane Austen – A vampira.

Sinopse da contracapa:
Aqui os personagens literários são literalmente fantásticos!

Imagine uma autora das mais festejada nos dias de hoje, masque pertence ao século XVIII, assistindo a todo tipo de adaptação de sua obra sem poder reclamar! Sem receber royalties e ainda sem conseguir publicar um único título novo? Imagine que ela se transformou em vampira, tornou-se dona de uma livraria e, de repente, Lorde Byron – o vampiro que cortou seu coração, ao trocá-la pela psicótica Charlotte Brontë –, ressurge em sua vida causando um turbilhão de situações absurdas. E, finalmente, quando uma editora decide publicar um livro novo, sua rival, Charlotte, tenta provar que se trata de um plágio. E pior: tem uma cópia para mostrar!
Com direito a acontecimentos recheados de referencias históricas, brigas hilárias dentro da livraria, mordidas, arremessos de best sellers de Stephen King; esta obra prova que um personagem clássico sempre pode ficar mais interessante.

Sobre o autor:
Michel Thomas Ford é autor de diversos livros juvenis e adultos, dentre eles, “Alec Baldwin Doesn’t Love Me” e “That’s Mr. Faggot To You”.

Seu trabalho recebeu excelentes críticas e, por duas vezes, ganhou o prêmio de Melhor Livro de Humor. Recentemente tornou-se membro da Horror Writers Association, após ter sido premiado com o Bram Stoker Award.

Comentários
30 Comentários

30 comentários:

  1. Desde que vi a sinopse desse livro, fiquei encantada. Logo de cara já tive vontade de ler. Eu já li orgulho e preconceito e é uma obra belíssima!
    Agora quero conhecer essa Jane vampira...heheh
    Parece ser ótimo mesmo!
    Adorei os trechos selecionados!
    bju!

    ResponderExcluir
  2. Olha, esse livro tinha me passado despercebido.
    Achei um absurdo sacanearem Austen.

    Mas acho que com sua resenha, acabei de mudar de idéia!!!!

    BJS

    <a href="http://amormisterioesangue.blogspot.com> Amor, Mistério e sangue </a>

    ResponderExcluir
  3. Ai que delícia !
    Se a resenha está uma delícia de ler, imagina o livro ?
    Amei !
    Bjs
    Luka.

    ResponderExcluir
  4. Sabrina, obrigada pela resenha! Posso publicar no meu blog sobre Austen?
    Obrigada,
    Adriana

    ResponderExcluir
  5. Parece ser bem legal esse livro!
    Gostei da resenha, deu uma visão bem ampla do que esperar do livro.
    Beijão!

    ResponderExcluir
  6. ô.. bem que vcs poderiam sortear este livro hein? ;)

    ResponderExcluir
  7. leninha, eu quero muito ler esse livro e agora que li sua resenha quero ler mais ainda... Eu vi o livro na Saraiva e ele já me chamou a atenção pela beleza da capa e o acabamento do livro, então ele com certeza está na minha lista de aquisição.

    Bem, parabéns pela resenha, foi muito bem escrita.

    UM super beijo.

    ResponderExcluir
  8. *_* olhinhos brilhando aqui!

    A resenha está M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-A!!!

    Fiquei com muita muita vontade de correr agora pra livraria mais próxima e comprar!

    Primeiro, amo a Jane Austen e toda a literatura Inglesa.
    Segundo, amo vampiros também^^

    E sobre a frase: Jane Austen Não Morreu.
    Isso é certo, ela pode não ter se tornado vampira como na estória do livro, mas a memória dela ainda está bastante viva!
    A gente vê isso em relação aos livros q ainda hoje são lançados intercalando com suas obras, como Diários do Mr.Darcy que conta a estória de Pride and Prejudice no ponto de vista dele, Orgulho e Preconceito e Zumbis, e agora transformam a Jane em vampira!!! uahauahuaha

    Que máximo! pegam a minha autora favorita e transformam em personagem de literatura sobrenatural!!!

    E, eu sempre suspeitei que o Byron fosse vampiro mesmo!
    rsrs.

    Parabéns mesmo!
    =)

    ResponderExcluir
  9. Eu já queria ler e pela resenha agora endoidei. rsrs

    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Fiquei meio assim de ler este livro, mas dps da sua resenha já comecei a me animar =)

    ResponderExcluir
  11. Oi Sabrina!
    Amei sua resenha! acho que colocarei esse livro na minha lista pois eu amo comédia com um toque de romance!
    Beijos e parabéns pelo blog!!!

    ResponderExcluir
  12. Excelente resenha!!! Estou ansiosa para ler esse livro!!

    ResponderExcluir
  13. Já tinha vontade de ler o livro e agora, depois de ler a resenha e os trechos, quero ainda mais, porque to precisando mesmo ler algo mais divertido e parece que esse é bem engraçado.
    #euquero! ^^

    ResponderExcluir
  14. Ainda não li esse livro, mas um amigo meu leu e gostou!!

    Ótima resenha!!

    ResponderExcluir
  15. Confesso que a primeira vez que ouvi falar sobre esse livro fique com uma pontada de receio, pela moda de vampirizar tudo na literatura. Eu pensei: WTF? Jane Austen vampira? Isso não deve ter ficado legal...

    Mas lendo uns comentários aqui e ali, ontem pude pegar o livro em mãos e folheá-lo e arte é mesmo muito bem feita (pena que não tive dinheiro para comprá-lo), e agora sua resenha Sabrina (que está muito boa por sinal =D ) eu decidi que agora eu quero lê-lo sim, sem preconceitos, vamos ver se ele me convence também! =)

    ResponderExcluir
  16. Ei Sa,

    Nossa eu estava na maior dúvida se eu ia gostar ou não deste livro, que eu gosto tanto de Austen e fiquei com aquela impressão que iam fazer piada da Jane, não pode rsrs

    Adorei a resenha, agora quero ler, deve ter ficado muito divertido mesmo e edição linda e bem feita já fico louca para ter na minha estante ^^

    bjoo

    P.S: Tem promo de Swoon no blog :)

    ResponderExcluir
  17. Oi Sa!
    Eu tbm achei a capa muito bonita. Quero muito ler, mas minha lista está imensa. Sua resenha está perfeita.
    BJs

    ResponderExcluir
  18. Olha, nunca poderia imaginar que fossemos encontrar tudo isso nesse livro!!! Já tinha visto esse título mas ele não tinha me chamado a atenção... agora vou olhar 'com outros olhos' para ele!!

    beijoo

    ResponderExcluir
  19. Ahhh, quero muito quero muito, deve ter sido uma leitura muito gostosa, um romance humorado eu diria, to muito louca para ler *-*

    ResponderExcluir
  20. Resenha perfeita. Parabéns!

    Mayara

    ResponderExcluir
  21. Eu adoro Jane Austen, e esse livro parece ser bem legal! Gostei da resenha!!

    ResponderExcluir
  22. ai, se já estava curiosa, agora então surtei... eu quero, eu quero...
    Adorei sua resenha e as passagens que você escolheu...

    beijos,
    Dé...

    ResponderExcluir
  23. Nossa! Estou lendo!!! É ótimo kkkk
    Adoro todos esses autores ingleses... Bem que pode ter uma continuação sim!
    E está magnifica essa capa da Lua de Papel!
    Adorei sua resenha sobre esse livro!
    bjus

    ResponderExcluir
  24. Sabrina, acho que agora eu fiquei com vontade de ler esse livro, huahuahauhauha. Sério, eu não tinha me interessado porque não sou nem a maior fã de Jane Austen e muito menos fã de vampiros. Mas adorei citações que você colocou - e eu não costumo ler as citações, mas dessa vez fiquei curiosa. Vou colocá-lo na minha lista (ai, meu Deus, mais um?)

    Beijos

    ResponderExcluir
  25. Andressa Brasileiro7 de agosto de 2010 10:31

    Estava em dúvida se ia gostar de ler esse livro, mas depois da sua resenha, Sabrina, tenho certeza q vou amar ler um livro tão inusitado!!! OBG!
    BJUS

    ResponderExcluir
  26. Já tinha visto a novidade na livraria e ficado curiosa, mas sua resenha me deixou com mais vontade ainda de ler o livro.
    Parece mto divertido e irônico. E sabem que já vi de verdade esse tipo disputa sobre que autora é melhor? Jane Austen ou Charlotte Bronte? Bem legal.

    ResponderExcluir
  27. omg!!!!!!!!!!!! ótimo meus parabens!!!

    ResponderExcluir
  28. COMO ASSIM? ACABOU? QUERO MAIS.! MICHAEL THOMAS FORD PRECISA CONTINUAR ESSA HISTORIA... O FINAL FICOU A DESEJAR.

    ResponderExcluir